quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Reconheceremos uns aos Outros

 Ellen White

Então, conhecerei como também sou conhecido. I Cor. 13:12.

Reconheceremos os nossos amigos, da mesma maneira que os discípulos a Jesus. Talvez hajam sido deformados, doentes, desfigurados nesta vida mortal, ressurgindo em plena saúde e formosura; no entanto, no corpo glorificado, será perfeitamente mantida a identidade. ... No rosto, glorioso da luz que irradia da face de Cristo, reconheceremos os traços daqueles que amamos. O Desejado de Todas as Nações, pág. 804.
Os remidos encontrar-se-ão com aqueles que dirigiram ao Salvador ressurreto e os reconhecerão. Que bendita conversa entreterão com essas almas! "Eu era pecador", dirá alguém, "sem Deus e sem esperança no mundo, e chegastes a mim, dirigindo-me a atenção para o precioso Salvador como sendo minha única esperança." ... Outros dirão: "Eu era pagão, em terras pagãs. Vós deixastes os amigos e uma casa confortável e viestes ensinar-me a achar a Jesus e a nEle crer como o único Deus verdadeiro. Destruí meus ídolos e adorei a Deus, e, agora vejo-O face a face. Estou salvo, eternamente salvo, para sempre contemplar Aquele a quem amo. ..."
Outros exprimirão sua gratidão para com os que alimentaram os famintos e vestiram o nu. "Quando o desespero escravizou minha alma na incredulidade, o Senhor vos enviou a mim", dizem eles, "para me falar palavras de esperança e conforto. Levastes alimento para minhas necessidades físicas, e abristes diante de mim a Palavra de Deus, despertando-me quanto a minhas necessidades espirituais. Tratastes-me como irmão. Simpatizastes comigo nas minhas tristezas, e restaurastes minha alma magoada e ferida, para que eu me pudesse agarrar à mão de Cristo, estendida para me salvar. Quando eu ainda jazia em ignorância, pacientemente ensinastes-me que eu tinha nos Céus um Pai que cuidava de mim. Lestes-me as preciosas promessas da Palavra de Deus. Inspirastes-me a fé em que Ele me salvaria. Meu coração enterneceu-se, submeteu-se, quebrantou-se quando contemplei o sacrifício que Cristo fizera por mim. ..."
Que regozijo haverá, quando esses remidos se reunirem e saudarem os que com eles tanto se preocuparam! E os que viveram, não para agradar a si mesmos, mas para ser uma bênção aos desventurados ... - como seu coração vibrará de satisfação! Minha Consagração Hoje (Meditações Matinais, 1989), pág. 353.

Maranata, O Senhor Vem - MM 1977 Pag. 301

Postagens de Destaque