quinta-feira, 21 de novembro de 2013

DIVINDADE E PERSONALIDADE DO ESPÍRITO SANTO

Fonte - http://temasbblicos.blogspot.com.br/2013/11

DIVINDADE E PERSONALIDADE DO ESPÍRITO SANTO
INTRODUÇÃO: Alguns cristãos têm dificuldades em aceitar a personalidade do Espírito Santo; e em consequência disso também ignoram a Sua Divindade. Para a maioria dos cristãos o tema é claro; mas para alguns não é tão claro assim. Lembramos que uma pessoa é composta de mente, emoções, inteligência e habilidades como: Ouvir, falar, interceder, alegrar-se e chatear-se.
A maioria das pessoas não tem dificuldades com a ideia de o Pai ser Deus. Afinal, Deus é o Pai. Mesmo a ideia de Jesus como Deus, como um Ser completamente Divino manifesto, em forma humana, embora um tanto difícil de entender, é mais compreensível e aceita por quase todos. Afinal, um Deus todo-poderoso deve ser capaz de manifestar-Se em carne humana se decidir morrer para salvar a humanidade. Certo? No entanto, para alguns, o conceito de o Espírito Santo ser Deus é muito mais difícil de aceitar. Para essas pessoas é bem mais fácil pensar no Espírito Santo, não como o próprio Deus mas como algum tipo de força impessoal, alguma energia ou poder Divino, como a gravidade, que vem de Deus e permeia o mundo. Mas a Bíblia é clara em afirmar que o Espírito Santo é uma pessoa Divina; isto é, o Espírito Santo, assim como o Pai e o Filho, é um dos personagens da Divindade.

O Espírito Santo manifesta sintomas pessoais no Seu trato com a humanidade. Se fosse uma energia, como poderia manifestar sentimentos? Vento, energia elétrica e átomos não manifestam emoções.
O Espírito Santo esteve e está em atuação com o Pai e com o Filho. Em todas as épocas o Espírito Santo esteve presente na formação e plano de salvação da humanidade. Em Gênesis 2:1 menciona o Espírito agindo no processo da criação. Em Mateus 28:19 menciona assim: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” Mateus 28:19.
O Espírito Santo é uma pessoa da Divindade. Cito apenas, a guisa de introdução, mais dois textos que mostram claramente que o Espírito Santo é Deus: “Hananias, por que encheu Satanás o teu coração para que mentisses ao Espírito Santo?...Não mentiste aos homens, mas a Deus” Atos 5: 3 e 4. Aqui faz referência clara ao Espírito Santo como Deus e não ao Pai. Ninguém mente à uma força ou energia. Concorda?
“Mas Deus no-las revelou pelo Seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.” I Cor. 2:10. Somente Alguém que seja Divino pode entender as coisas da Divindade. Concorda?
A Divindade no Velho Testamento - Elohim, no original, está sempre no plural. Sempre quando aparece Elohim refere-se a pluralidade da Divindade. Deus, Jesus e o Espírito Santo estiveram na criação, logo pertencem a Divindade! Ver João 1:1-3 e Gênesis 1:1-2.
O primeiro verso da Bíblia ao descrever a obra da criação de Deus diz assim: "No princípio criou Deus os céus e a terra”. Gen 1:1. A palavra Deus aqui, vem do Hebraico Elohim. E Elohim é a forma plural de Elohá. Assim sendo, aqui está a primeira evidência bíblica de pluralidade Divina. Matthew Henry diz que ela significa :"a pluralidade de pessoas na deidade: Pai, Filho e Espírito Santo. Este nome de Deus no plural...confirma nossa fé na doutrina da trindade, que é claramente revelada no Novo Testamento, apesar de só levemente sugerida no Antigo". Mathew Henry, Commentary on the Whole Bible, Vol. 1 Old Tappan, N. J.: Fleming H. Revell Co., p. 2. Embora a palavra Elohim seja o plural de Deus, não indica três deuses, mas um Deus, porque o verbo criou, está no singular.
Outro exemplo está em Gênesis 1:26 onde lemos: "E disse Deus, façamos o homem à nossa imagem, conforme à nossa semelhança...Já no verso 27 lemos: "E criou Deus o homem à Sua imagem”. Moisés ao escrever este relato intercalou plural com singular. Mostrando que há um só Deus, que se manifesta em três pessoas. Logo após a entrada do pecado, continua a descrição: "Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós..." Gênesis 3:22. Perceba novamente que o verbo disse o Senhor no singular e como um de nós no plural.
Um outro texto que devemos entender bem é o de Deuteronômio 6:4: O verso diz: "Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor." Aqui Moisés estava fazendo uma separação evidente do “Deus Criador” dos outros supostos “deuses pagãos”. Na língua hebraica, há duas palavras para determinar uma unidade. Se for uma unidade absoluta, usa-se a palavra Yachid. Mas, se for uma unidade composta de mais pessoas, usa-se a palavra Echad

Vejamos alguns exemplos de cada uma das palavras. Em Gênesis 2:24 lemos: "Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne”. Um homem e uma mulher formam uma unidade composta por duas pessoas. Ao decifrar os sonhos de Faraó, José falou: "O sonho de Faraó é um só." Gen. 41:25 Embora fossem dois sonhos, José disse que os sonhos formavam uma unidade composta. Quando os espias voltaram trazendo os frutos da terra, Moisés escreveu: "Depois vieram até o vale de Escol, e dali cortaram um ramo de vide com um cacho de uvas". Num.13:23 Um cacho de uvas é uma unidade composta de muitas uvas. Em todos os exemplos mencionados, a palavra usada foi Echad. E como já vimos, esta palavra indica uma unidade composta.
Veja o exemplo de Gênesis 22:2: "E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho a quem amas, e vai-te a terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto..." Verso 12: "Não estendas a tua mão sobre o moço...agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único". Aqui é uma unidade absoluta. Isaque era único em sua espécie. Neste caso, a palavra usada foi Yachid. Voltemos agora para Deuteronômio 6:4. 
Qual palavra Moisés usou Echad ou Yachid? Moisés usou a palavra Echad. Logo, quando a Bíblia diz que o Senhor Deus é o único Senhor, está falando de uma unidade composta". Ficou claro?
A Divindade no Novo Testamento - As três pessoas da Divindade aparecem com mais clareza no Novo Testamento. Após a Sua ressurreição, Jesus disse aos Seus discípulos: "Fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século." Mateus 28:19 e 20. Observe que o substantivo “nome” aparece no singular. Em “nome” do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas menciona-se três pessoas. Esta similaridade com os textos do Antigo Testamento onde o verbo aparece no singular e os nomes no plural, indica que há um só Deus, mas três pessoas co-eternas.
Quando o nascimento de Cristo foi anunciado pelo anjo, este declarou: ": "Descerá sobre ti o Espírito Santo e o poder do Altíssimo te envolverá com a Sua sombra; por isso também o ente Santo que há-de nascer, será chamado Filho de Deus". Lucas 1:35. Aqui aparecem as três pessoas da Divindade.
O apóstolo Paulo ao terminar a Segunda Carta aos Coríntios declara: "A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós". II Cor. 13:13. Quando pensamos neste texto como um desafio para termos comunhão com o Pai, com o Filho e com o Espírito Santo, entendemos que somente podemos ter comunhão com uma Pessoa e não com um poder ou com uma força. Então, se somos chamados para ter comunhão com o Espírito Santo, fica claro que Ele é uma pessoa. 
Como se mantém comunhão com alguma coisa que não uma pessoa?
No batismo de Jesus encontramos os três membros da Divindade em atividade ao mesmo tempo. Veja este texto: “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Mat. 3.16-17. O relato do batismo de Jesus é uma notável manifestação da doutrina das três pessoas da Divindade. Ali estava Jesus, em forma humana, visível a todos; o Espírito Santo descendo sobre Cristo em forma corpórea, como uma pomba; e a voz do Pai falou do céu: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
Em João 10:30, Cristo reclama igualdade com o Pai. Ele diz assim: “Eu e o Pai somos um”. E em Atos 5:3 o Espírito Santo é identificado como Deus. Portanto, é difícil, se não impossível, explicar a cena do batismo de Cristo de qualquer outra forma a não ser admitir que há três pessoas na natureza ou essência Divina. Jesus também disse: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo". Mat. 28:19.
O Espírito Santo tem atribuições de uma pessoa:

1) Tem mente:  “E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que Ele intercede pelos santos”. Romanos 8:27. Uma pessoa real  tem uma mente. Deus fala que o Espírito Santo tem uma mente. Somente quem tem inteligência é capaz de tomar decisões e levar avante ações independentes. Uma influência ou força ativa, semelhante à eletricidade, não tem uma mente.
2) Tem pensamentos e ações inteligentes: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.” João 14:26
“A outro, no mesmo Espírito, fé; dons de curar; a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpreta-las, mas um só, e o mesmo Espírito realiza todas estas cousas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente”. I Coríntios 12:9-11. Assim como Deus tem a habilidade de tomar uma decisão independente, o Espírito Santo tem a mesma habilidade. Uma influência, ou força ativa, como a eletricidade, não conta com inteligência, não pode tomar decisões independentes em conceder dons “como lhe apraz”. Ninguém diria: A eletricidade foi cortada sozinha.

3) Tem emoções: “E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção”. Efésios 4:30.
“Mas eles foram rebeldes, e contristaram o Seu Espírito Santo pelo que se lhes tornou em inimigo, e Ele mesmo pelejou contra eles”  Isaías 63:1. A palavra grega para Efésios, traduzida por entristecer, é lupay tendo o sentido de “dor, pesar, angústia, sofrimento”.

4) Mantém conversação e tem boca: “Quando, porém, vier o Consolador, que Eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dEle procede, esse dará testemunho de Mim; e vós também testemunhareis, porque estais comigo desde o princípio”. João 15:26, 27.
“Então disse o Espírito à Filipe: Aproxima-te desse carro, e acompanha-o”. Atos 8:29
“Disse o Espírito Santo: Apartai-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado.” Atos 13:2
“E, pensando Pedro naquela visão, disse-lhe o Espírito: Eis que três varões te buscam.” Atos 10.19. 
“Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios.” I Timóteo 4:1

5) Tem conhecimento: “Porque, na mesma hora, vos ensinará o Espírito Santo o que vos convenha falar”. Lucas 12:12. 
“Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em Meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”. João 14:26.
6) Fica triste: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.” Efésios 4:30.
7) Faz convites para a salvação: “O Espírito e a noiva dizem: vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha, e quem quiser, toma de graça da água da vida.” Apoc 22:17.
8) Agrada-Se: “Na verdade, pareceu bem ao Espírito Santo, e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias.” Atos 15:28.
9) Permanece em nós: “E eu rogarei ao Pai e Ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê, nem O conhece; vós O conheceis, porque Ele habita convosco e estará em vós”. João 14:16, 17.

10) Pede obediência: “E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. . . Enviados, pois, pelo Espírito Santo , desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre”  Atos 13:2, 4.
“E nós somos testemunhas acerca destas palavras, nós e também o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem.” Atos 5:32. Somente Deus pode reclamar obediência.

11) Assume formas: "E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água e eis que se lhe abriram os céus e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre Ele". Mateus 3:16.

12) Faz intercessão: “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis." Rom. 8:26. Qualquer pessoa, que é sincera, teria que forçar muito estes textos para dizer que o Espírito Santo é uma força ativa que sai de Deus. 
Atributos Divinos do Espírito Santo

1) É a verdade: “Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há-de vir.” João 16:13
"Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só por água, mas por água e por sangue. E o Espírito é o que testifica, porque o Espírito é a verdade”. I João 5:6
2) Comunica Vida: “Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.” Romanos 8:2
“E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo.” Mateus 1:20. Aqui faz referência à concepção de Jesus no ventre de Maria por obra do Espírito Santo, também é um texto esclarecedor sobre a Divindade do Espírito Santo, pois só Deus pode gerar vida.
3) Comunica a Revelação e Inspiração: “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo. II Pedro 1:21. Somente a Divindade podia trazer a Bíblia como chegou até nós.
4) Promove a Salvação: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há-de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:8.
“Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.” João 3:5
“E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.” João 16:8.
“Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor." II Cor. 3:18
“Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas." I Pedro 1:2. Sem o Espírito Santo não haveria fé, nem novo nascimento, nem santidade e nenhuma igreja cristã no mundo.
5) É Onisciente: “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus.” Coríntios 2:10-11
6) É Onipresente: “Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.” Salmo 139:7-8
7) É Juíz: “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.” Atos 5:3-4. Nestes dois versos, Deus e o Espírito Santo são usados de modo intercambiável. Aqui, Pedro está dizendo que o Espírito Santo é Deus, um texto poderoso que aponta para a Divindade do Espírito Santo.
8) É uma pessoa Divina: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre.” João 14:16. Neste verso, Jesus trata Seu Pai como igual e solicita um dom para Seus seguidores. No grego, a palavra traduzida aqui como "outro" é allos e significa "outro do mesmo tipo", ao contrário de heteros, que significa "outro de outro tipo". Jesus tinha a intenção de enviar alguém para os discípulos, e para as gerações sucessivas de Seus seguidores, que fosse semelhante a Ele mesmo, isto é; Divino e capaz de salvar. Anteriormente, Jesus relacionou-Se com o Pai. Agora, Ele relacionou-Se com o Espírito Santo. Em conclusão, as três pessoas da Divindade são todas semelhantes.
“Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.” João 16:7. Mais uma vez vemos um “outro” em destaque. Outra pessoa!
 9) Ele pede obediência: “E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre”. Atos 13:4
“E disse o Espírito a Filipe: Chega-te, e ajunta-te a esse carro”. Atos 8:29
 “E, pensando Pedro naquela visão, disse-lhe o Espírito: Eis que três homens te buscam. Levanta-te pois, desce, e vai com eles, não duvidando; porque eu os enviei”. Atos 10:19 e 20
“Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais." Atos 7:51
10) Pode-se blasfemar contra o Espírito Santo: “Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens." Mateus 12:31. A blasfêmia é um insulto que se faz apenas à Divindade.
11) Ele é a Sabedoria: “Quem guiou o Espírito do Senhor, ou como seu conselheiro o ensinou?" Isaias 40:13
Os Pioneiros Adventistas - Os primeiros Adventistas, os pioneiros não tinham uma posição definida sobre a personalidade do Espírito Santo, mas essa situação mudou na década de 1890, por influência de Ellen G. White. No início do século 20, o ensino bíblico sobre as três pessoas da Divindade já era considerado um dos principais pontos de fé do sistema teológico Adventista, uma das grandes doutrinas da Palavra de Deus e um dos principais pontos de fé da igreja. A partir de 1897, tornou-se abundante a literatura Adventista sobre a Divindade e a personalidade do Espírito Santo. Documentos históricos mostram que, nos primeiros anos do século 20, a Igreja Adventista do Sétimo Dia já tinha uma posição consolidada sobre as três pessoas da Divindade.
Os Adventistas não aceitaram a trindade Divina por meio de algum líder da igreja há poucas décadas, mas pelo estudo da Bíblia e por influência do Espírito Santo e apoio de Ellen G. White, a profetisa de Deus há mais de cem anos. Se a trindade Divina fosse uma doutrina falsa, por que Ellen G. White não reprovou seus contemporâneos que escreveram tão extensamente e em consenso sobre o tema a partir de 1897? Estamos convictos de que, em vez de ter ocorrido uma apostasia, como alguns críticos sugerem, o Senhor guiou a Sua igreja na compreensão da verdade bíblica e cumpriu Suas promessas
Veja estes textos: “A vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” Prov. 4:18
“Quando o Espírito da verdade vier, Ele os guiará a toda a verdade”. João 16:13.
O Espírito Santo nos escritos de Ellen White - Ellen White veio, com sua família, da igreja Metodista para o Movimento Millerita, e depois para a igreja Adventista. Como os Metodistas também acreditam na trindade Divina, é lógico pensarmos que ela era trinitariana. No começo de seu ministério, embora chamada e eleita por Deus como profetisa, não se pode afirmar que ela tivesse compreensão clara e cabal de todos os assuntos doutrinários. Em outubro de 1844, ela cria, como os demais, na doutrina da porta fechada, mas depois de estudar a bíblia, mudou de opinião. Após a sua primeira visão, em dezembro de 1844, ela ainda continuou a observar o domingo. “E após aceitar o sábado, continuou a guardá-lo erroneamente das seis horas da tarde de sexta- feira, até às seis horas da tarde do sábado, até que Deus lhe mostrou em visão que estava errada.” Whidden, Moon e Reeve, The Trinity, págs.205 e 206, Review and Herald Publishing Association, USA, 2002
“Assim sendo, podemos afirmar que, embora fosse trinitariana, o seu conhecimento maior, mais abarcante e completo desta doutrina foi aprofundado dos anos de 1890 para frente. Em 1898 “com a publicação do livro O Desejado de Todas as Nações, parece que esta fase madura do assunto tornou-se muito clara e definida.” Whidden, Moon e Reeve, The Trinity, págs.208 a 210, Review and Herald Publishing Association, USA, 2002.
Veja algumas citações de Ellen White sobre o Espirito Santo a partir destas datas:
"O Espírito Santo tem personalidade, do contrário não poderia testificar ao nosso espírito e com nosso espírito que somos filhos de Deus. Deve ser também uma pessoa divina, do contrário não poderia perscrutar os segredos que jazem ocultos na mente de Deus. Por que qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus." Evangelismo, 617.
"são um em desígnio, mente, em caráter, mas não em pessoa". A Ciência do Bom Viver, 422.
"O príncipe da potestade do mal só pode ser mantido em sujeição pelo poder de Deus na terceira pessoa da Divindade, o Espírito Santo." Special Testimonies, Série A, nº 10, 37. 1897
"O Filho é toda a plenitude da Divindade manifestada. A Palavra de Deus declara que Ele é a expressa imagem da Sua pessoa. ... O Consolador que Cristo prometeu enviar depois de ascender ao Céu, é o Espírito em toda a plenitude da Divindade, tornando manifesto o poder da graça Divina a todos quantos recebem e crêem em Cristo como um Salvador pessoal. Há três pessoas vivas pertencentes à trindade celestial; em nome destes três grandes poderes; o Pai, o Filho e o Espírito Santo; os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo." Evangelismo, 614 e 615.
"Cristo enviou Seu representante, a terceira pessoa da Divindade o Espírito Santo. Nada podia superar esse Dom. ..." Manuscrito 44, 1898 Citado em Meditações Matinais de 2002,301.
"Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa atuação da terceira pessoa da Divindade a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder”. O Desejado de Todas as Nações, 671
"Os eternos dignitários celestes; Deus, Cristo e o Espírito Santo, munindo-os [aos discípulos] de energia sobre-humana, ... avançariam com eles para a obra e convenceriam o mundo do pecado". Manuscrito 145, 1901.
"Há três pessoas vivas pertencentes à Divindade celeste; em nome destes três grandes poderes; o Pai, o Filho e o Espírito Santo; os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo.” Evangelismo, 616.
CONCLUSÃO - Quem é o Espírito Santo? Há muitos conceitos errôneos sobre a identidade do Espírito Santo. Alguns vêem o Espírito Santo como uma força mística. Outros entendem o Espírito Santo como sendo um poder impessoal que Deus disponibiliza aos seguidores de Cristo. A Bíblia diz que o Espírito Santo é Deus. A Bíblia também nos diz que o Espírito Santo é uma pessoa, um Ser com mente, emoções e uma vontade. O fato do Espírito Santo ser Deus é claramente visto no estudo apresentado. Podemos saber que o Espírito Santo é Deus porque Ele possui os atributos ou características de Deus.
Podemos saber que o Espírito Santo é mesmo uma pessoa porque Ele possui uma mente, emoções e vontade. O Espírito Santo pensa e sabe. O Espírito Santo é Deus, a terceira “pessoa” da trindade Divina. Como Deus, o Espírito Santo pode verdadeiramente agir como o Confortador e Consolador que Jesus prometeu que Ele seria.
Afinal se o Pai, o Filho e o Espírito Santo são um Deus, oramos aos três, temos comunhão com os três e adoramos os três. E, enquanto o Pai espera-nos de braços abertos, o Filho intercede por nós no santuário celestial, o Espírito Santo, além de interceder por nós, capacita-nos para a pregação do evangelho.
A verdade é que o homem é tão pequeno, e Deus é tão grande que não conseguimos conhecer as coisas sobre Deus. Sabemos apenas aquilo que nos foi revelado na Palavra. Veja estes textos: “Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória. A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória. Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” I Coríntios 2:7-9
“Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação”. I Cor. 1:21
“Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.” I Coríntios 2:10.
Compete-nos sermos humildes a Deus com os abundantes textos e evidências sobre a personalidade e Divindade do Espírito Santo. Termino este estudo desejando que “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós. Amém”. II Cor. 13:13

Luís Carlos Fonseca.

Postagens de Destaque