segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Ocupação Aprazível

Ellen White

Meu Pai trabalha até agora, e Eu trabalho também.  João 5:17.

O Céu é um lugar de interessada atividade; no entanto, para o cansado e oprimido, para os que pelejaram a boa peleja da fé, será um glorioso descanso; pois seus serão a juventude e o vigor da imortalidade, e não mais terão de combater contra o pecado e Satanás. Para esses dinâmicos obreiros, um estado de eterna indolência seria enfadonho. Não seria Céu para eles. Orientação da Criança, pág. 354.
Aos moradores do Éden foi confiado o cuidado do jardim, "para o lavrar e o guardar". Sua ocupação não era cansativa, antes agradável e revigoradora. Deus indicou o trabalho como uma bênção para o homem, a fim de ocupar-lhe o espírito, fortalecer o corpo e desenvolver as faculdades. Na atividade mental e física Adão encontrava um dos mais elevados prazeres de sua santa existência. ...
Aqueles que consideram o trabalho como maldição, acompanhado embora de cansaço e dor, estão acalentando um erro. Os ricos freqüentemente olham com desdém para as classes trabalhadoras; mas isto está inteiramente em desacordo com o propósito de Deus ao criar o homem. O que são as posses do mais abastado mesmo, em comparação com a herança proporcionada ao nobre Adão? Contudo, Adão não devia estar ocioso. Nosso Criador, que compreende o que é necessário para a felicidade do homem, designou a Adão o seu trabalho. A verdadeira alegria da vida é encontrada apenas pelos homens e mulheres do trabalho. Patriarcas e Profetas, pág. 50.
No Céu constantemente está sendo efetuado trabalho. Não há ociosos ali. "Meu Pai trabalha até agora - disse Cristo - e Eu trabalho também". João 5:17. Não podemos supor que quando chegar o triunfo final e recebermos as mansões preparadas para nós, a ociosidade será nosso quinhão - que permaneceremos num jubiloso estado de inatividade. Review and Herald, 17 de maio de 1898.
É desígnio de Deus que todos sejam operosos. Os incansáveis animais de carga correspondem ao fim para que foram criados, melhor que o homem indolente. Deus é trabalhador constante. Os anjos são trabalhadores; são ministros de Deus para com os filhos dos homens. Os que aguardam um Céu de inatividade ficarão decepcionados; pois a ordem celeste não provê lugar algum para satisfação da indolência. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 280.

Maranata, O Senhor Vem - MM 1977 Pag. 348

Postagens de Destaque