sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

PT VAI A CUBA PARA DAR UM JEITO DE EVITAR A DEBANDADA DOS MÉDICOS CUBANOS....Veja..

Fonte - aluizioamorim.blogspot.com.br

PT VAI A CUBA PARA DAR UM JEITO DE EVITAR A DEBANDADA DOS MÉDICOS CUBANOS ENQUANTO A MÉDICA RAMONA RODRIGUEZ DIZ QUE SOFRE ASSÉDIO DA POLÍCIA FEDERAL

A médica cubana Ramona Rodriguez, na liderança dos Democratas na Câmara, se diz perseguida pela Polícia Federal (Foto: O Globo)
A matéria que segue é do site do jornal O Globo. Os destaques em vermelho são meus e tem por objetivo mostrar de forma ligeira como os textos da grande imprensa estão viciados pela visão comunista, isto é, tratam como normal aquilo que é evidentemente anormal. Isso acontece em praticamente todos os textos, reportagens, notas, comentários veiculados pelos grandes jornais e redes de televisão. É o típico caso de desinformação. Mentiras ou meias verdades são transformadas em verdades absolutas, o que não deixa de ser uma forma de lavagem cerebral, porquanto passa aos leitores uma versão de determinados fatos e afirmativas que corresponde aos objetivos do movimento comunista.
A polêmica em torno das condições de trabalho e da remuneração dos cubanos [POLÊMICA? EIS AÍ O DEDO DO REDATOR COMUNISTA. POR QUE NÃO DIZ A VERDADE, QUE SE TRATA DE REGIME ESCRAVO?] contratados para o programa Mais Médicos levou nesta quinta-feira o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, a Havana. Figueiredo conversou sobre o assunto com o chanceler de Cuba, Bruno Parrilla. Foi a primeira vez que duas autoridades do primeiro escalão de Brasil e Cuba tratam do tema desde que começou a debandada de médicos cubanos, alguns se queixando do fato de só receberem uma pequena parte do salário pago aos médicos pelo Ministério da Saúde.
O teor da conversa não foi revelado pelo Itamaraty. A posição do governo brasileiro é evitar que o problema, iniciado pelo abandono do programa pela médica cubana Ramona Matos Rodríguez, transforme-se em um incidente diplomático [INCIDENTE DIPLOMÁTICO? COMO? SE O PT E A DITADURA COMUNISTA CUBANA SÃO SÓCIOS NESSA EMPREITADA?] . Outros quatro profissionais inscritos no Mais Médicos também deixaram o programa sem comunicar formalmente a desistência.
Segundo fontes, Figueiredo teria tratado com Parrilha sobre formas de evitar que o programa seja esvaziado, incluindo a melhora da remuneração dos médicos. O governo de Cuba estaria preocupado com esse cenário, uma vez que os médicos enviados ao Brasil são produtos de exportação da ilha caribenha. [CARAMBA! EXPORTAÇÃO DE ESCRAVOS, ESTA É QUE É A VERDADE. JORNALISMO EXIGE A VERDADE!]
Programa
Em São Paulo, depois de criticar severamente a contratação de médicos cubanos, a Associação Médica Brasileira lançou um programa para recrutar profissionais vindos do exterior e que estejam insatisfeitos com o Mais Médicos. Chamado de Programa de Apoio ao Médico Estrangeiro, o projeto tem como objetivo proteger “a liberdade e integridade dos profissionais trazidos de outros países”.
Segundo o presidente da AMB, Florentino Cardoso, desde que a médica cubana Ramona Rodrigues procurou a entidade médica, mais de dez cubanos já pediram ajuda à associação. Para o dirigente, a iniciativa não tem o objetivo de prejudicar o mais Médicos, mas apenas dar condições mínimas de trabalho para os profissionais que recebem menos do que os de outras nacionalidades.
— A iniciativa faz parte de algo para mostrar à população brasileira e a todos os médicos estrangeiros que os médicos brasileiros são solidários às questões que os envolvem. Nós não temos nada contra os médicos estrangeiros. Só defendemos princípios e as leis brasileiras. Se o médico quer ficar no Brasil, ele deve revalidar o diploma — disse Cardoso.
De acordo com Cardoso, as condições dos médicos cubanos no programa do governo federal têm sido “análogas à escravidão”. Cardoso disse que a médica Ramona Rodrigues está com medo de permanecer no país. Segundo ele, a Polícia Federal a procurou no abrigo onde ela permanecia. Cardoso afirmou que a própria médica poderá atender médicos que procurarem ajuda. Para os médicos estrangeiros "em situação de risco no Brasil", a AMB disponibiliza ajuda pelo telefone (11) 97078-4610 ou pelo e-mail medicoestrangeiro@amb.org.br. Do site do jornal O Globo

Postagens de Destaque