quarta-feira, 5 de março de 2014

Cientistas russos teriam descoberto monstro no Ártico

Fonte - http://restaumaesperanca.blogspot.com.br

À espera de mais evidências
Há bem pouco tempo, a mídia russa divulgou uma notícia sensacionalista [sic]: cientistas da Academia de Ciências do Extremo Oriente descobriram, nas águas árticas, um organismo desconhecido de enorme tamanho. A sonda submersível Klavesin-1P, efetuando pesquisas no fundo do oceano a uma profundidade de 1,5 km, detectou estranhos sinais de movimento à sua volta. O aparelho podia ter descoberto um cardume de peixes, mas tal hipótese foi logo afastada. Dizem que o objeto não identificado era um organismo de dimensões impressionantes que, passados instantes, se lançou em ofensiva contra a sonda e começou a sacudi-la. Após a emersão, no corpo da sonda foram visíveis algumas marcas resultantes dessa “batalha”. Que organismo podia ser esse e por que decidiu agredir a sonda? Para mais informações, a Voz da Rússia contatou o zoólogo Dmitri Isonkin: “Costumo encarar com calma tais notícias. Na ausência de provas que possam ser avançadas após o incidente, podemos entrar em falatórios vazios sem sentido.”
Ora bem, onde estão as fotos do corpo danificado e as imagens de vídeo desse organismo marítimo não identificado? Os estragos podiam ter sido causados na sequência de uma colisão com objetos submarinos que se encontram nas profundezas. O cientista prossegue: “Depois de divulgada a notícia sensacionalista sobre um monstro marítimo, muitas edições periódicas começaram a explorar essa temática. Mas, no momento, não está claro se o principal ‘culpado da festa’, ou seja, se o diretor do Instituto de Tecnologias Marítimas, Leonid Naumov, fez algumas declarações oficiais necessárias nesse caso.”
É uma pergunta ainda em aberto devido a certos detalhes. O primeiro a veicular a notícia foi a rede de noticias digital EVROSMI. Segundo a sua resolução, foi Leonid Naumov que informou sobre um incidente ocorrido à sonda Klavesin-1P. Depois, essa informação sensacionalista passou de boca em boca a várias agências de notícias. Todavia, ninguém sabe dizer se essa história aconteceu na realidade ou o incidente citado com tanta frequência não passa de um simples boato?
Curioso que múltiplas citações e alegações tornadas públicas têm provocado muita confusão e conclusões diametralmente opostas. Conforme algumas fontes, Naumov assumiu a responsabilidade por tais declarações, mas, segundo outras, desmentiu a notícia da sua própria autoria. Resta saber o que é que aconteceu na realidade?
Dmitri Isonkin afirma que o incidente devia deixar marcas do tecido do atacante ou de uma matéria rochosa que tivesse afetado a sonda, isto é, as marcas de origem não orgânica: “Não se excluí a hipótese de termos descoberto uma nova espécie de organismos que habitam nas profundezas do Ártico. Isso é bem possível. Mas para tal precisamos de provas convincentes. Por isso, deve ser formado um grupo de peritos que possa estudar o fenômeno enigmático. Seria, pois, prematuro adiantar quaisquer declarações oficiais.”
Estamos, pois, perante uma incógnita por desvendar, razão pela qual continuamos a seguir com muita atenção o desenrolar dos acontecimentos.


Nota Criacionismo.com.br: 
Na ausência de mais evidências, toda cautela é realmente recomendável. Mas afirmar logo de cara que se trata de “sensacionalismo” parece uma tentativa de induzir os leitores a descrer de que possa haver monstros marinhos nas profundezas (quem sabe dinossauros marinhos remanescentes?). Aguardemos novas informações (ou a ocultação delas). [MB] 

Em tempo: O amigo jornalista Ruben Dargã Holdorf, pra não perder a piada, me escreveu: "Resgatado do fundo do mar, o verdadeiro nome desse monstro eslavo é Tiranossaurus comunistus putinus."

Postagens de Destaque