domingo, 6 de abril de 2014

SBT cede a pressão e afasta Rachel Sheherazade do ar


Notícia do UOL- http://celebridades.uol.com.br/ooops/ultimas-noticias/2014/04/05/sbt-cede-a-pressao-e-afasta-rachel-sheherazade-do-ar.htm

SBT cede a pressão e afasta Rachel Sheherazade do ar

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin



  • Reprodução/Twitter
Pressionado por comissões parlamentares e pela ameaça de perder mais de R$ 150 milhões em verbas publicitárias governamentais, o SBT decidiu retirar --ao menos temporariamente-- a âncora e comentarista Rachel Sheherazade do ar.
A desculpa oficial da emissora é de que a jornalista está em férias, mas isso não é verdade. Sheherazade já havia tirado suas férias em janeiro, quando viajou a Paris.
O SBT também está sob investigação pela Procuradoria Geral da República, por suposta apologia ao crime.
Rachel ficou na berlinda em fevereiro, quando justificou a ação de uma milícia no Rio que acorrentou um suposto infrator a um poste. Embora boa parte dos comentários tenham sido favoráveis à jornalista, a opinião caiu pessimamente entre grupos de direitos humanos.
Oficialmente, o SBT afirma que ela voltará ao trabalho no próximo dia 14 de abril. No entanto, no final de março, a própria jornalista comentou que seus dias na TV "estão contados".

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin, 50, é colunista do UOL, onde apresenta o programa Ooops! às segundas, e também colunista do F5, site de entretenimento da Folha. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros.

Comentário do Pastor Manoel Barbosa da Silva 

Hoje são jornalistas que são punidos por discordar desse governo, amanhã poderá ser as instituições que não se alinharem com o pensamento, com as leis e decretos  desses ditadores.

A jornalista Rachel Sheherazade, por ser contra a violência de facínoras que o governo chama de "menor infrator" foi demitida. No futuro poderá ser sindicatos, colégios, e igrejas que se não se alinhar com o pensamento desse governo sofrerão as cosequencias.

Eu não aceito um governo que calam os jornalistas e os tortura com o desemprego, usando a pressão do poder econômico, pois esse tipo de tortura é igual, ou pior, que a do tempo dos militares.


Igrejas e pastores cuidado. A jornalista foi demitida por não aceitar que bandidos tenham  mais direitos que trabalhadores honestos. 
E as igrejas poderão ser fechadas e pastores presos, por não aceitar a agenda gay, e escolas de confissão religiosa por não querer ensinar aos alunos os conceitos deturpado que contrariam a palavra de Deus.

Não podemos ser cúmplices dessa bandalheira com o nosso silencio, pois, segundo o ditado popular, quem cala consente.

Eu não quero viver em uma Cuba, ou Venezuela, Muito menos em uma  Coreia do Norte



Postagens de Destaque