quinta-feira, 8 de maio de 2014

Vida Sadia - Regime Alimentar Saudável


Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-Me atentamente e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura. Isa. 55:2.

A reforma da saúde significa a escolha inteligente dos artigos alimentícios mais saudáveis, preparados da forma mais simples e saudável. Diário 1984, pág. 37.
Nosso corpo é formado pela comida que ingerimos. Há constante desgaste dos tecidos do corpo; todo movimento de qualquer órgão implica um desgaste, o qual é reparado por meio do alimento. Cada órgão do corpo requer sua parte de nutrição. O cérebro deve ser abastecido com sua porção; os ossos, os músculos e os nervos requerem a sua. Maravilhoso é o processo que transforma a comida em sangue, e se serve desse sangue para restaurar as várias partes do organismo; mas esse processo está prosseguindo continuamente, suprindo a vida e a força a cada nervo, cada músculo e tecido. A Ciência do Bom Viver, pág. 295.
Deus forneceu ao homem abundantes meios para a satisfação de um apetite não pervertido. Estendeu diante dele os produtos da terra - bela variedade de alimentos agradáveis ao paladar, e nutritivos para o organismo. Dessas coisas nosso benévolo Pai celeste diz que podemos comer livremente. Frutas, cereais e verduras, preparados de maneira simples, livres de especiarias e gordura animal de qualquer espécie, fazem com leite ou nata, o regime alimentar mais sadio. Nutrem o corpo, e dão um poder de resistência e um vigor de intelecto não produzidos por um regime estimulante. Conselhos Sobre Saúde, págs. 114 e 115.
Que a mesa seja convidativa e atraente, sendo provida das boas coisas que Deus tão generosamente nos proporcionou. Seja a hora da refeição um tempo alegre e feliz. E, ao desfrutarmos os dons que nos são concedidos, retribuamos com gratos louvores ao Doador. A Ciência do Bom Viver, pág. 385.
Deus nos deu os frutos e os grãos da terra como alimento, para que tenhamos sangue frio, nervos calmos e mente clara. Review and Herald, 21 de fevereiro de 1888.
Ellen White
Minha consagração Hoje - MM 1989/1953 Pag. 132

Postagens de Destaque