sábado, 14 de junho de 2014

Contentamento


Mas é grande ganho a piedade com contentamento. I Tim. 6:6.


São introduzidos demasiado cuidado e fardo no seio de nossas famílias e muito pouco de natural simplicidade, paz e felicidade é acariciado. Deve haver menos cuidado pelo que o mundo fora diz, e mais preocupada atenção para com os membros do círculo familiar. Haja menos exibicionismo e afetação de polidez mundana, e mais afeição e amor, plenitude de alegria e cortesia cristã entre os membros da família. Muitos necessitam aprender como tornar o lar atrativo, um lugar de prazer. Corações gratos e fisionomias de bondade são mais valiosos que riqueza e luxo; e o contentamento com coisas simples torna feliz o lar se nele há amor.
Jesus, nosso Redentor, andou na Terra com a dignidade de um rei; era contudo manso e humilde de coração. Era uma luz e bênção em todo lar, porque levava alegria, esperança e coragem consigo. Oh, que possamos ficar satisfeitos com menos anseios do coração, menos apego por coisas difíceis de serem obtidas para embelezar nossos lares, enquanto o que Deus avalia acima de jóias - um espírito manso e quieto - não é acariciado. A graça da simplicidade, mansidão e verdadeira afeição faria um paraíso do mais humilde lar. É melhor suportar alegremente cada inconveniência do que perder a paz e o contentamento. O Lar Adventista, págs. 155 e 156.
O cristão verdadeiro... procura viver vida de utilidade, e conforma seus hábitos ao exemplo de Jesus. Essa pessoa encontrará a verdadeira felicidade, a recompensa de fazer o bem. Tal pessoa será elevada acima da escravidão de uma vida artificial para a liberdade e graça da simplicidade de Cristo. The Health Reformer, fevereiro de 1877.

Ellen White
Minha Consagação Hoje - MM 1989 Pag 169

Postagens de Destaque