domingo, 12 de outubro de 2014

Ebola mata 16 adventistas na África Ocidental

Fonte - http://megaphoneadv.blogspot.com.br/

O Presidente mundial da Igreja Adventista Ted N. C. Wilson, líderes da Divisão da África Centro-Ocidental,
um representante da ADRA, e Peter Landless, diretor dos Ministérios de Saúde da Igreja Adventista a nível mundial,
à frente de uma oração especial sobre o surto de Ebola, em 11/10/2014
O surto do vírus Ebola na África Ocidental já causou a morte de 16 adventistas do sétimo dia, anunciou um líder da igreja. "As pessoas estão sofrendo", disse James Golay, presidente da Missão da União África Ocidental, falando da Libéria em um telão projetado para centenas de líderes da igreja que se reuniram no sábado, 11 de outubro, na sede mundial da Igreja para o Concílio Anual de 2014.
Organizações de saúde globais e líderes da igreja estão incentivando as pessoas a limitar as viagens de e para a África Ocidental, devido às preocupações com a doença infecciosa que se espalha rapidamente, e que já matou mais de 4.000 pessoas.
Ebola foi o foco de uma oração especial durante o culto matinal de sábado do conselho liderado por Ted N. C. Wilson, presidente da Conferência Geral da Igreja. "Hoje temos uma oportunidade especial em nome dos nossos queridos irmãos e irmãs na África Ocidental, a orar para que Deus possa interceder e parar a terrível epidemia de crise do Ebola", disse Wilson para mais de 400 pessoas no auditório. "Nós pedimos à igreja mundial para orar hoje e que não pare de orar."
Wilson, que no início de sua carreira pastoral serviu por nove anos na África Ocidental, disse que os 33.000 adventistas na Guiné, Serra Leoa e Libéria estão enfrentando "dificuldades inacreditáveis." [...] Ted Wilson ainda disse que a igreja tem respondido adequadamente à crise. "Temos muitas atividades acontecendo para cuidar das pessoas na África Ocidental, através da ADRA, através de nossa igreja... um maravilhoso trabalho está sendo feito em nome do Senhor." 
A ADRA reagiu à crise com dezenas de milhares de dólares em suprimentos e equipamentos. Em parceria com a Universidade de Loma Linda, a Adventist Health International e a GlobalMedic, a ADRA está ajudando o Hospital Adventista Cooper em Monrovia, Libéria e o Ministério da Saúde liberiano com 92 mil dólares americanos em suprimentos, incluindo: 60.000 luvas de vinil; 38 mil máscaras; 3.200 vestidos de isolamento e 600 macacões descartáveis.
O Hospital Cooper, onde três pessoas morreram, fechou temporariamente, por um período de quarentena de três semanas. Outro centro médico na África Ocidental, o Hospital Adventista de Waterloo, também fechou, depois de vários membros da equipe contraírem o vírus na comunidade. Quando o Hospital Waterloo reabrir, será uma clínica de Ebola administrada pelo governo.
Além disso, a ADRA em Serra Leoa está fornecendo aconselhamento às vítimas; treinamento para funcionários e voluntários; e uma campanha de educação pública, que inclui informações sobre prevenção do Ebola em folhetos, cartazes e programas de televisão.
Com informações de Adventist Review Online

Postagens de Destaque