sábado, 6 de dezembro de 2014

A perseguição contra o povo de Deus está mais perto do que se imagina

Todos os cristãos que creem na criação do mundo em seis dias, conforme esta descrito no livro de Gênesis, e por causa disto, guardam o sábado em vez do domingo, são chamados de fundamentalistas pelos dominguistas em geral.  O mundo está estarrecido com as barbáries feita contra os cristãos pelos fanáticos do islamismo, que também são chamados de fundamentalistas. Eles, islamistas  fanáticos, são chamados de fundamentalistas, por que interpretam o Alcorão ao pé da letra, e nós os cristãos que guardamos o sábado. por que cremos na Bíblia literalmente como esta escrito.

Só que o Alcorão e a Bíblia, não tem nada a ver um com o outro, a Bíblia é a palavra de Deus, o Alcorão é a palavra de Maomé. A Bíblia foi inspirada pelo Espírito Santo, o Alcorão é fruto da imaginação de Maomé. Comparar os seguidores das Escrituras sagradas, com os seguidores do Alcorão é a pior blasfêmia que pode haver, é desmerecer a própria Bíblia.   Infelizmente, é isto que muitos estão fazendo, colocando no mesmo pé de igualdade os seguidores da palavra de Deus com aqueles, fanáticos seguidores do Islã.

Para piorar a situação, o Papa compara os fieis cristãos com os terroristas do oriente médio. Qual será o resultado?... O ódio que o mundo esta tendo para com aqueles fanáticos, será transferido para os sinceros seguidores da palavra de Deus. É assim que irá começar a perseguição contra o povo de Deus, pois muitos ao perseguirem os cristãos, o farão achando que estão fazendo um bem à sociedade, pois esta ajudando a mesma, a se livrar de "perigosos fundamentalistas"

Veja a matéria abaixo

 

Papa compara fundamentalistas cristãos com terroristas

Papa visita Mesquita Azul, na Turquia
No avião que o levou de volta à Itália depois de uma visita de três dias à Turquia, o papa conversou com jornalistas durante quase uma hora. “O Alcorão é um livro de paz.” A declaração do papa Francisco, durante a viagem de volta à Roma, repercutiu no mundo inteiro. “Não se pode dizer que todos os islâmicos são terroristas, assim como não se pode dizer que todos os cristãos são fundamentalistas”, completou o Papa. Para ele, é preciso que os líderes islâmicos - sejam eles políticos, religiosos ou acadêmicos - condenem claramente o terrorismo. Uma condenação mundial, segundo o pontífice, ajudaria a maioria dos muçulmanos a se livrar das reações negativas que enfrentam em vários lugares do planeta. Sobre o momento em que rezou na Mesquita Azul, disse que estava ali como um peregrino e que fez orações pela Turquia e pela paz. A viagem à Turquia foi um dos passos mais importantes que um líder da Igreja Católica romana deu na aproximação com os cristãos ortodoxos desde que eles se separaram no século XI. O papa também manifestou o desejo de se encontrar com o patriarca de Moscou. A Igreja Ortodoxa Russa é a que mantém as relações mais delicadas com o Vaticano.

O papa Francisco declarou ainda que não acredita que a Síria possua armas químicas e afirmou que gostaria de viajar para o Iraque, mas reconhece que neste momento criaria um problema de segurança para as autoridades iraquianas.
Fonte: O Globo

Nota: Ao comparar fundamentalistas cristãos com terroristas islâmicos, Francisco está preparando o caminho para algo há muito tempo descrito nas páginas sagradas da Bíblia. Uma vez que fundamentalistas cristãos para Francisco são aqueles que interpretam Gênesis 1 a 11 de forma literal, a discórdia entre o Sábado (homenagem à Criação literal de seis dias, Gênesis 2:1-3) e o Domingo (homenagem à Igreja Romana e à autoridade papal) está se aproximando rapidamente. Junte a isso a crise climática e teremos o cenário perfeito descrito em Apocalipse 13.

Do site, http://restaumaesperanca.blogspot.com.br/2014/12

Postagens de Destaque