segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Cristo, a revelação de Deus,


Jesus conversando com criancinha                 Cristo, a revelação de Deus, 12 de Janeiro

Pois o mesmo Pai vos ama, visto como vós Me amastes e crestes que saí de Deus. João 16:27.
Ao contemplar a santidade e glória do Deus do Universo, ficamos aterrorizados, pois sabemos que Sua justiça não permitirá que declare inocente o culpado. Mas não precisamos permanecer em
terror, pois Cristo veio ao mundo para revelar o caráter de Deus, tornando-nos claro o Seu paternal amor para com Seus filhos adotivos.
Não devemos estimar o caráter de Deus tão-somente pelas estupendas obras da natureza, mas pela simples, amorável vida de Jesus, que apresentou Jeová mais misericordioso, mais compassivo, mais terno do que nossos pais terrestres.
Jesus apresentou o Pai como alguém em quem podemos depositar nossa confiança e a Ele apresentar nossas necessidades. Quando temos medo de Deus, e nos sentimos oprimidos com o pensamento
de Sua glória e majestade, o Pai nos aponta a Cristo como representante Seu. O que vedes revelado em Jesus, de ternura, compaixão e amor, é o reflexo dos atributos do Pai. A cruz do Calvário revela ao homem o amor de Deus. Cristo representa o Soberano do Universo como um Deus de amor. Pela boca do profeta disse Ele: “Com amor eterno te amei; também com amável benignidade te atraí.” Jeremias 31:3.
Temos acesso a Deus pelos méritos do nome de Cristo, e Deus nos convida a levar-Lhe nossas aflições e tentações, pois Ele as compreende todas. Não deseja que desabafemos nossos ais a ouvidos
humanos. Pelo sangue de Cristo podemos chegar ao trono de Deus e encontrar graça para sermos ajudados em tempo oportuno. Podemos ir confiantes, dizendo: “Minha aceitação depende do Amado.” “Porque, por Ele, ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.” Efésios 2:18. “No qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nEle.” Efésios 3:12. 38

Ellen White
Nos Lugares Celestiais - MM 1967 Pag. 14

Postagens de Destaque