segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Dádiva do Amor de Deus


Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16.


Como podemos entender a Deus? Como devemos conhecer nosso Pai? Devemos chamá-Lo pelo carinhoso nome de Pai. E como devemos conhecê-Lo e o poder de Seu amor? É pelo diligente exame das Escrituras. Não podemos apreciar a Deus a menos que introduzamos no coração o grande plano da redenção. Devemos conhecer tudo acerca desses grandes problemas da vida, da redenção da raça caída. É admirável que, depois de haver o homem transgredido a lei divina, separando-se de Deus, divorciando-se dEle, por assim dizer, - é admirável que, depois de tudo isso, houvesse um plano pelo qual o homem não devesse perecer, mas sim ter a vida eterna. ... Deus deu Seu Filho unigênito para morrer por nós. ... Quando nossa mente demora constantemente no incomparável amor de Deus à humanidade caída, começamos a conhecer a Deus, a familiarizar-nos com Ele. ...
Exatamente aqui, neste pequenino átomo de mundo, desdobraram-se as mais grandiosas cenas já conhecidas pela humanidade. Todo o universo celestial foi espectador, intensamente interessado. Por quê? Ia-se ferir a grande batalha entre o poder das trevas e o Príncipe da Luz. A obra de Satanás era engrandecer constantemente o seu poder. ... A todo momento apresentava ele a Deus numa luz falsa. Apresentava-O como Deus de injustiça, e não de misericórdia. Estava a provocar constantemente o espírito dos homens, de modo que tivessem uma visão incorreta de Deus.
Como devia Deus ser apresentado ao mundo? Como devia tornar-se conhecido que Ele era um Deus de amor, cheio de misericórdia, bondade e piedade? Como devia o mundo saber isso? Deus enviou Seu Filho, e Este devia apresentar ao mundo o caráter divino. ...
Devemos conservar diante de nós este Modelo perfeito. Deus foi tão bom que mandou um representante Seu mesmo, na pessoa de Seu Filho Jesus Cristo, e nós devemos levar o espírito e o coração a desdobrar-se e a expandir-se para o alto. ... Seja vossa a oração: Revela-Te a mim, para que em Tua graça incomparável possa eu agarrar-me à cadeia de ouro, Cristo, que foi baixada do Céu à Terra, a fim de que eu a apanhe e seja levado para o alto. Manuscrito 7, 1888.


Ellen White
Nos Lugares Celestiais - MM 1968 Pag. 11

Postagens de Destaque