sábado, 24 de janeiro de 2015

O terno cuidado do pastor,



 Digo-vos que assim haverá alegria no Céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Lucas 15:7. 

A bela parábola dada por Cristo, da ovelha perdida, do pastor que deixou as noventa e nove para ir em busca da perdida, ilustra o cuidado do sumo Pastor. Ele não passou os olhos descuidadamente sobre as ovelhas do rebanho, dizendo: “Tenho noventa e nove, e dar-me-á demasiado trabalho ir em busca da desgarrada; ela que volte, e abrir-lhe-ei a porta do curral e a deixarei entrar. Mas não posso ir em sua busca.” Não! ... Ele conta e reconta o rebanho, e quando se certifica de que uma ovelha está perdida, não descansa. Deixa no redil as noventa e nove; por escura e tempestuosa que seja a noite, por arriscado e incômodo o caminho, por longa e tediosa a procura, ele não se cansa, não hesita até que tenha encontrado a perdida. E uma vez achada, procede ele com indiferença? Porventura chama a ovelha e manda à desgarrada que o siga? Ameaça-a ele, bate-lhe ou a empurra a sua frente, relatando o aborrecimento, amargura e ansiedade que sofreu por sua causa? Não; achega aos ombros a ovelha cansada, exausta e errante, e... devolve-a ao redil. Sua gratidão, exprime-a ele em melodiosos cânticos de alegria, e coros celestes respondem às notas de felicidade do pastor. Quando é encontrada a perdida, Céu e Terra unem-se em regozijo e ações de graças. “Assim haverá alegria no Céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.” Lucas 15:7. Diz Jesus: “Eu sou o bom Pastor, e conheço as Minhas ovelhas, e das Minhas sou conhecido.” João 10:14. Justamente como um pastor terrestre conhece suas ovelhas, assim conhece o sumo Pastor o Seu rebanho, espalhado, através do mundo todo. ... “Vós, pois, ó ovelhas 52O terno cuidado do pastor, 19 de Janeiro 53 Minhas, ovelhas do Meu pasto; homens sois, mas Eu sou o vosso Deus, diz o Senhor Jeová.” Ezequiel 34:31. Por humildes, por elevados que possamos ser, quer nos achemos nas sombras da adversidade ou à luz do Sol da prosperidade, somos ovelhas dEle, rebanho de Seu pasto, e achamo-nos sob os cuidados do sumo Pastor. — The Review and Herald, 23 de Agosto de 1892.

Ellen White
Nos Lugares Celestiais - MM 1967 Pag 52,53

Postagens de Destaque