quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Carnaval ou Festa do Céu?


Carnaval; Festa da Carne - Bodas do Cordeiro; Festa do Céu.

Qual é a origem do Carnaval? O Carnaval surgiu a partir do século XI e XII através da igreja Católica Romana. Essa festa é sucedida por quarenta dias de suposto jejum, a quaresma. 

A palavra Carnaval deriva da expressão latina carne levare, que significa abstenção da carne. 
Este termo começou a circular por volta dos séculos XI e XII para designar a véspera da quarta-feira de cinzas, dia em que se inicia a exigência da abstenção de carne, ou jejum quaresmal.

Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a quarta-feira de cinzas, o primeiro dia da quaresma. A palavra "Carnaval" está, desse modo, relacionada com a ideia de deleite dos prazeres da carne marcado pela expressão "carnis valles", que, acabou por formar a palavra "Carnaval", sendo que "carnis" do grego significa carne e "valles" significa prazeres. O Carnaval é uma celebração combinando paradas, representação teatral, drama e festa que é usualmente mantida nos países de tradição católica durante as semanas que antecedem o período da quaresma. Quaresma são os 40 dias que antecedem a Páscoa, que vão da quarta-feira de cinza até o domingo de Páscoa.

Provavelmente originou-se com o rito pagão da fertilidade da primavera. O primeiro registro de Carnaval foi numa festa egípcia de Osíris, um evento marcando a chegada das enchentes do rio Nilo. Carnaval atinge um cume de desordem de dissipação com Bacanália Romana, festa em honra de Baco, orgia e Saturnália, festim de libertinagem. Durante a Idade Média a igreja Católica tentava controlar as celebrações. Os papas serviam algumas vezes como patrões; os piores excessos eram gradualmente eliminados. 

O primeiro baile de Carnaval,  no Brasil, aconteceu no dia 22 de janeiro de 1841, na cidade do Rio de Janeiro, no hotel Itália, localizado onde hoje está a praça Tiradentes e por iniciativa de seus proprietários italianos empolgados com o sucesso dos grandes bailes de Carnaval da Europa. O Carnaval no Brasil é uma das mais conhecidas festas populares do mundo, mas é totalmente contrário aos valores cristãos. Durante quatro dias toda esta movimentação, aparentemente harmoniosa, com ritmos atordoantes e alucinantes regados a bebidas alcoólicas, vícios e sexo sem limites, enchem ilusoriamente o coração dos seus participantes nos variados clubes das noites e ruas, na esperança de poderem, neste espaço de tempo, ceder, sem nenhum temor a Deus às suas luxurias, na ignorância de que na quarta-feira de cinzas, confessando os seus excessos pecaminosos, através da figuração das cinzas, serão de seus pecados perdoados como se Deus tivesse permitido, dado o Seu aval para outros deuses serem venerados e adorados nesta celebração. Triste engano e ilusão!

O que Deus espera dos cristãos fiéis?  A ignorância tem cegado o entendimento e a lucidez da mente das pessoas, porém Deus declara com muita rigidez em Sua Palavra as advertências contra o pecado. Veja estes textos : "O Senhor é longânimo  e grande em misericórdia, que perdoa a iniquidade e a transgressão, que o culpado não tem por inocente, e visita a iniquidade dos pais sobre os filhos até à terceira e quarta geração". Num 14:18

"Os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz". Rom. 8.5-8, 12-14

"Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade par dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor. Os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências".   Gal.5:13,24

"Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna". Gal.6:8

Todos os que se inclinam para as coisas da carne constituem-se em inimigos de Deus. O contexto do Carnaval é totalmente contrário a vontade de Deus. Embora o Natal de hoje tenha recebido alguma influencia pagã, especialmente quanto a data de 25 de dezembro, Jesus realmente nasceu, e aproveitamos a data em que todas as pessoas comemoram para lembrar do nascimento de Cristo, mas o Carnaval é de origem e realização totalmente pagã e não se pode aplicar e nem aceitar quaisquer processos de cristianização. O Carnaval é um exemplo real da sobrevivência do paganismo, com todos os seus elementos presentes. É a explícita manifestação das obras da carne conforme vemos nos textos acima já citados.

A Festa do Céu: Como os crentes fiéis não participam da festa do Carnaval, eles são convidados à participar da festa do céu. São convidados à aproveitar esses dias de confusão para duas atividades: retiro espiritual ou passeio em família. A maioria das igrejas adventistas e outras evangélicas aproveitam muito bem esses dias para reunirem os jovens e ajudá-los em duas vertentes; comunhão com Deus e evangelismo. Em meio à pressão provocada pelo mundo, a igreja deve buscar estratégicas adequadas para apoiar os crentes que querem ter um relacionamento com Deus através dos retiros espirituais. Assim devemos lançar mãos da sabedoria que temos recebido do Senhor e optar pela melhor atividade para a nossos membros, nesse período tão sombrio que é o Carnaval.

A igreja jamais pode ser omissa quanto a esse assunto. O filho de Deus deve ser sábio ao tomar sua decisão. Veja mais este este texto: “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo, Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; isto não vem de vós, é dom de Deus, e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus”. Efésios 2:2-6

A Palavra de Deus diz que há uma festa no céu quando um pecador se arrepende, e o crente é convidado à participar da festa de Deus. Veja estes textos: “Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.” Lucas 15:10.

Em Apocalipse 19:7-10, vemos que Jesus comemora as bodas com a igreja salva e restaurada, logo na iminência de seu aparecimento glorioso da Sua segunda vinda: "Regozijemo-nos, e alegremo-nos , e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino as justiças dos santos. E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro." 

Mas quando o mundo festeja a carne, o que acontece no céu? E quando um cristão que recebe o Espírito de Deus se deixa participar ou assistir tal festa, será que há uma festa no céu? O cristão não pode servir a dois senhores!Veja o texto: “Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. Mateus 6.21. 

Que Deus nos conceda a força do Seu Espírito Santo para vivermos de acordo com a Sua vontade e participarmos da festa de Deus e não andarmos segundo a carne.

Luís Carlos Fonseca

Postagens de Destaque