sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Cristo, nosso sacrifício e penhor



Cristo, nosso sacrifício e penhor, 5 de Fevereiro

Levando Ele mesmo em Seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas Suas feridas fostes sarados. 1 Pedro 2:24. 

Se, por qualquer crime que tivésseis cometido, fôsseis lançados entre as paredes de um cárcere, lavrada contra vós a sentença de morte, e um amigo fosse ter convosco e dissesse: “Eu tomarei vosso lugar, e vós estareis livres” — não se encheria vosso coração de gratidão para com tão abnegado amor? Cristo fez por nós infinita- [39] mente mais que isso. Estávamos perdidos; fora lavrada contra nós a sentença de morte; e Cristo morreu por nós, libertando-nos assim. Disse Ele: “Tomarei sobre Mim a culpa do pecador, para que ele tenha outra oportunidade. Porei ao seu alcance o poder que o habilite a vencer na luta contra o mal.” Nessa situação é que estão hoje os seres humanos. Cristo nos comprou com Sua vida, e nós Lhe pertencemos. Todos os nossos poderes, físicos, mentais e espirituais, a Ele pertencem; e reter aquilo que Lhe pertence é roubo. — Manuscrito 11, 1885. Imaginai, se possível, a natureza e intensidade dos sofrimentos de Cristo. Esse sofrimento, na carne humana, destinava-se a impedir o derramamento da ira de Deus sobre a totalidade daqueles pelos quais Cristo morreu. Sim, para a igreja este grande sacrifício será eficaz através da eternidade. Poderemos computar em algarismos a quantidade de suas transgressões? Impossível! Quem, então, poderá ter um conceito aproximado do que Cristo suportou quando Se pôs no lugar de penhor de Sua igreja? ... Era Ele o único capaz de suportar os golpes em favor do pecador sem que, por virtude de Sua inocência, fosse consumido. ... No sacrifício do unigênito Filho de Deus, demonstra-se a tremenda glória da justiça e santidade divinas. — Manuscrito 6, 1897. Dando em penhor Sua própria vida, Cristo Se tornou responsável por todo homem e mulher da Terra. Está Ele em presença de Deus, dizendo: “Pai, tomo sobre Mim a culpa daquela pessoa. Se ela for deixada a suportá-la, isso representará morte para ela. Se se arrepender, será perdoada. Meu sangue a purificará de todo pecado. Dei Minha vida pelos pecados do mundo.” — Manuscrito 127, 1899

Ellen White 
Nos Lugares Celestiais  - MM 1967 pag 88

Postagens de Destaque