domingo, 8 de fevereiro de 2015

Despojando o poder da morte,


Despojando o poder da morte, 7 de Fevereiro

Eu os remirei da violência do inferno e os resgatarei da morte; onde estão, ó morte, as tuas pragas? Onde está, ó inferno, a tua perdição? Oséias 13:14. 

Bem poderia todo o Céu ficar maravilhado com a recepção que seu amado Comandante teve no mundo! ... Ele formou o mundo, e no entanto o mundo não O conheceu. Amigos O negaram, abando- [41] naram e traíram. Foi assaltado pela tentação. A agonia humana Lhe convulsionava o espírito divino. Teve o corpo lacerado por cruéis açoites. As mãos foram-Lhe atravessadas por cravos, a santa fronte coroada com espinhos. ... Foi a atuação das tramas de Satanás que tornou a vida de Cristo uma escura série de aflições e tristezas; e afinal conseguiu a morte de Cristo — ato no qual demoliu o próprio trono. No ato de morrer, Cristo destruiu aquele que tinha o poder da morte. Executou o plano, terminou a obra que, desde a queda de Adão, planejara empreender. Morrendo pela culpa de um mundo pecaminoso, restaurou o homem caído, sob condição de obediência aos mandamentos de Deus, na posição da qual ele caíra, em resultado da desobediência. E quando Ele rompeu os grilhões da tumba e Se ergueu triunfante dentre os mortos, deu resposta a pergunta: “Morrendo o homem, porventura, tornará a viver?” Jó 14:14. Cristo tornou possível que todo filho de Adão pudesse, por uma vida de obediência, vencer o pecado e ressurgir também da sepultura, para receber sua herança de imortalidade adquirida pelo sangue de Cristo. Nossa salvação efetuou-se graças ao infinito sofrimento do Filho de Deus. Seu divino seio recebeu a angústia, a agonia, a dor que a pecaminosidade de Adão acarretou à raça. O calcanhar de Cristo foi de fato ferido quando Sua humanidade sofreu, e uma dor mais intensa do que aquela que jamais tenha oprimido os seres por Ele criados, oprimia-Lhe o coração enquanto Se empenhava em pagar a fabulosa dívida que o homem contraíra com Deus. — Manuscrito 75, 1886. 
Foi respondida a pergunta: “Morrendo o homem, porventura, tornará a viver?” Jó 14:14. Sofrendo a penalidade do pecado, baixando ao sepulcro, Cristo iluminou o túmulo para todos os que morrem na fé. Deus em forma humana trouxe à luz a vida e imortalidade, por meio do evangelho. Morrendo, assegurou Cristo a vida eterna a todos os que nEle crêem. — Testimonies for the Church 6:230.

Ellen White
Nos Lugares Celestiais - MM 1967 

Postagens de Destaque