domingo, 1 de fevereiro de 2015

O perigo da negligência



O perigo da negligência, 31 de Janeiro

Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram? Hebreus 2:3. 

Nenhum dom maior pode ser concedido ao homem do que aquele que está contido em Cristo. ... A negligência de vos prevalecerdes do incalculável tesouro da salvação significa a eterna ruína de vossa vida. O perigo da indiferença para com Deus e da negligência de Seu dom, é medido pela grandeza da salvação. Deus exerceu ao máximo o Seu grandíssimo poder. Os recursos do amor infinito esgotaramse em delinear e executar o plano da redenção do homem. Deus revelou Seu caráter na bondade, na misericórdia, na compaixão e amor manifestados para salvar uma raça de rebeldes culpados. Que mais poderia ser feito que não se fizesse, ao providenciar o plano da salvação? Se o pecador permanecer indiferente à manifestação da bondade de Deus, se negligenciar tão grande salvação, rejeitar as propostas da misericórdia divina, ... que poderá então ser feito para lhe tocar o endurecido coração? — The Review and Herald, 21 de Novembro de 1912. 
Que importância, que magnitude, concede ao tema da redenção, o fato de que Aquele que empreendeu a salvação do homem foi o resplendor da glória do Pai, a expressa imagem de Sua Pessoa! Como, então, poderá o Céu considerar os que negligenciam tão grande salvação, realizada em favor do homem a tão infinito preço? Negligenciar de lançar mão das ricas bênçãos do Céu é recusar, é desprezar Aquele que era igual ao Pai, o único capaz de salvar o homem caído. Oh, porventura deveríamos, pela negligência em aceitar a Cristo, lançar para longe nossa única oportunidade de alcançar a vida eterna? ... Que amor, que maravilhoso amor, foi manifestado pelo Filho de Deus! A morte que nós merecíamos, foi permitido que Lhe tocasse, a fim de que nos pudesse ser concedida a imortalidade, a nós que jamais poderíamos merecer semelhante recompensa. Não é [34] mesmo grande a salvação, em sua simplicidade, e maravilhosa em sua vastidão? ... Contemplando a plenitude das providências que Deus tomou, pelas quais todo filho e filha de Adão se pode salvar, somos levados a exclamar, com João: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus.” 1 João 3:1. ... 
O plano da redenção provê para toda emergência, e para cada necessidade humana. — The Review and Herald, 28 de Novembro de 1912

Ellen White
Nos Lugares Celestiais - MM 1967 Pag. 74

Postagens de Destaque