quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

O Vazio da Alma – Por Que Alguns Saem Vazios Após o Culto?

O Vazio da Alma – Por Que Alguns Saem Vazios Após o Culto?

Há um tempo atrás participei de uma conversa que um grupo de pastores teve com um irmão da igreja. Fizemos uma visita de amizade àquela pessoa. Depois do irmão ter contado um pouco do seu percurso naquele novo país onde vivia e trabalhava, ele começou a soltar flechas contra a igreja, sua liderança e métodos de ensino e evangelismo que adotamos.E no final da conversa ele disse: “Quando vou à igreja saio de lá mais vazio do que quando lá entro”.

É possível alguém estar perdido dentro da igreja? Infelizmente isso é possível. Há os que estão perdidos fazendo coisas erradas enquanto ninguém vê, mas existe outra classe de perdidos: aqueles que fazem tudo direito, cumprem aparentemente tudo que a igreja pede, vivem preocupados com detalhes de regulamentos e normas, mas estão igualmente perdidos. Realmente não existe nenhuma fórmula mágica. Mas a receita é simples: Abra o seu coração para que Deus, Jesus e o Espírito Santo possam nele habitar.

Abrir o coração à Deus envolve dois aspectos muitíssimo importantes:

1) Separe tempo para falar com Deus e ouvir a Sua voz falando a você. Reserve diariamente momentos para estar na presença de Deus. A alegria da comunhão com o Senhor vem apenas quando é buscada de todo o coração. Esta comunhão envolve o estudo da Bíblia e oração particular que temos com Deus. Quando oramos, é a nossa voz que Deus ouve, e quando lemos a Bíblia, é Deus que fala conosco. Por isso necessitamos ter comunicação com os Céus. 

2) Deposite as suas ansiedades e preocupações aos pés de Jesus. Deus disse: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” Mateus 6:33-34

“Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” I Pedro 5:7

Por que alguns sentem-se vazios após o culto? Apresento dois motivos:

A) Os cristãos em geral têm a sua vida repleta por várias atividades tendo que trabalhar, cuidar dos filhos, gerir assuntos particulares como; tratar de uma doença, cuidar de familiares, ir às compras, etc…Isso tudo demanda tempo, energia e dedicação, e realmente torna-se muito difícil conjugar as coisas materiais com as coisas espirituais. O que tem acontecido com alguns crentes é que ainda não aprenderam a depositar as suas preocupações e ansiedades aos pés de Jesus. E na hora de uma reunião de oração ou culto de adoração, não conseguem se desligar dessas coisas, e porque o canal do coração está cheio com preocupações, não percebem as bênçãos dos céus. Entram com as preocupações e saem com elas. A alma tem que estar sossegada para poder ouvir a voz de Deus. Os crentes adoradores; desempregados, doentes, solitários, abandonados, quando levam à igreja as suas preocupações, geralmente não escutam Deus falando-lhes.

Elias, após o episódio do Monte Carmelo quando foi perseguido, a sua alma estava grandemente assustada, com medo de morrer. Deus manifestou-Se a Elias de várias formas: Através de uma tempestade, de um terremoto, de um fogo, mas Deus não estava nestas manifestações naturais, mas Deus foi ouvido no “sussurro de brisa suave e tranquila”.Ver I Reis 19. O crente que continuar ouvindo as altas vozes das coisas materiais e não confiar em Jesus, vai continuar saindo da igreja, após o culto, sem ouvir a voz de Deus. Eis o convite divino: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” Mateus 11:28-30

B) Na conversa que tivemos com aquele irmão de negócios eu fiz-lhe duas perguntas: Com que frequência ele ia à igreja e se tinha um plano de leitura da Bíblia e oração particular. À primeira pergunta ele disse que não era assíduo nas reuniões da igreja, e à segunda pergunta ele disse que já não lia a Bíblia e nem fazia orações em casa há mais de quatro anos. Jesus disse que onde está o nosso tesouro ali também está o nosso coração. Eu li uma história muito engraçada: Em um dia de culto de oração, o pastor de uma igreja olhou para os bancos quase vazios e viu apenas quatro solitárias pessoas na congregação; um jovem e três senhoras de idade. Ele então começou a falar: “Graças Te dou, ó Deus, porque ao menos algumas pessoas se esforçaram para vir Te adorar e se alimentar da Tua Palavra, crendo que não és menos importante do que a partida de futebol que está sendo transmitida pela televisão.” De repente, o jovem que estava assentado no último banco deu um pulo. “Puxa! Eu me esqueci do jogo!”, e saiu em disparada.” Revista Adventista, outubro de 2002, 8.

Quando adorar se tornar uma prioridade em nossa vida aí então o culto e reuniões da igreja será uma bênção para nós. Adorar é reconhecer o valor supremo de alguma coisa ou alguém. É expressar um amor sem medida. É dar a glória que alguém merece. É aplaudir com a mente, o coração e o corpo. É afirmar que Deus é o máximo. O único ser digno de adoração é o Deus Criador. Eis o convite:“Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor, que nos criou” Salmo 95:6.

Como adorar dignamente? Cito três pontos:

1) Fazer a tarefa de casa. Ao estudar a Bíblia e fazer as minhas orações em casa, quando chego na igreja eu já terei lançado as bases da comunhão com Deus e o meu coração estará preparado para adorar, e sentirei as bênçãos de Deus mais facilmente. É como tudo na vida; o aluno que chega para fazer um exame que ele não tenha estudado, vai ficar alheio ao seu conteúdo. Alguns membros da igreja já não vão à escola sabatina porque não estudam a lição, e tem receio de que se façam perguntas para eles. Aquele irmão já não lia a Bíblia há 4 anos!

2) Adorar com louvor e gratidão. Veja estes textos: “Cantemos ao Senhor com júbilo”. Salmo 95:1. “Saiamos ao Seu encontro, com ações de graças”. Salmo 95:2. Quando se adora com humildade, mansidão e amor no coração, aí então ouvimos Deus nos falando. Há cristãos que não cantam e ficam distraídos com telofones celulares ou com coisas paralelas na hora do culto. Depois jogam a culpa na igreja!

3) Eliminar mágoas e ira. Antes de entrarmos nos átrios da igreja somos convidados a eliminarmos qualquer ressentimento contra qualquer pessoa. Jesus exigiu: “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta.” Mateus 5:23-24

Existe um uma bênção ordenada por Deus na igreja. Ver Salmo 133. No momento da adoração, nós somos perdoados, purificados e transformados. Veja este texto: “Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, ... tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniquidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado”. Isaías 6:6 e 7. Durante a adoração somos desafiados a aceitarmos a missão de Deus para a nossa vida: “Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem envia­rei, e quem há-de ir por Nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim”. Isaías 6:8.

Lembre-se amigo de que a adoração não é algo que fazemos uma vez por semana na igreja, mas sim deve ser uma atitude que praticamos todos os momentos e em todos os lugares. Portanto amigo, lembre-se que a igreja é você. Se você está bem, a igreja também está bem. Criticar a igreja ou dizer que não sentiu a bênção de Deus no culto é o mesmo que dizer que o problema está com Deus e com a Sua igreja. Como Deus é perfeito, nós é que devemos aproximar-nos de Deus com extrema humildade e crescer na graça e no conhecimento de Cristo a cada momento.


Luís Carlos Fonseca.

Postagens de Destaque