sábado, 7 de fevereiro de 2015

Sacrifício voluntário


Sacrifício voluntário, 6 de Fevereiro 

Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus. 1 Coríntios 6:20. 

Quão fervorosamente Cristo Se dedicou à obra de nossa salvação! Que dedicação revelou Sua vida, ao procurar valorizar o homem caído, atribuindo a todo pecador arrependido e crente, os méritos de Sua imaculada justiça! Quão incansavelmente trabalhava Ele! No templo e na sinagoga, nas ruas das cidades, na praça, na oficina, junto ao mar, entre as montanhas, pregava Ele o evangelho e curava os doentes. Deu de Si totalmente, a fim de que pudesse efetuar o plano da graça remidora. Cristo não estava sob obrigação nenhuma de fazer este grande sacrifício. Voluntariamente se entregou para sofrer a punição devida ao transgressor de Sua lei. Seu amor era Sua obrigação única, e sem um queixume suportou Ele toda dor e recebeu toda indignidade que eram parte do plano da salvação. A vida de Cristo era de serviço abnegado, e Sua vida é nosso livro escolar. A obra que Ele começou, nós devemos continuar. Tendo diante de si a Sua vida de labuta e sacrifício, podem porventura aqueles que professam o Seu nome hesitar em se negar a si mesmos, tomar a cruz e segui-Lo? Ele Se humilhou às mais baixas profundezas a fim de que nós fôssemos erguidos às alturas da pureza e santidade e perfeição. Tornou-Se pobre para que pudesse derramar em nossa vida opressa pela pobreza, a plenitude de Suas riquezas. Suportou a cruz de ignomínia a fim de que nos pudesse dar paz, descanso e alegria, e fazer-nos participantes das glórias de Seu trono. ... Não deveríamos devolver a Deus tudo que Ele redimiu, as afei- ções que purificou, e o corpo que comprou, para serem guardados em santificação e santidade? ... 
O verdadeiro cristianismo difunde amor através do ser todo. Toca em todas as partes vitais — cérebro, coração, mãos ajudadoras, pés — habilitando os homens a permanecer firmes onde Deus requer que estejam. ... Nós podemos, nós podemos revelar a semelhança de nosso divino Senhor. Podemos conhecer a ciência da vida espiritual. Podemos glorificar a Deus em nosso corpo e nosso espírito, que são Seus. — The Review and Herald, 4 de Abril de 1912

Ellen White
Nos Lugares Celestiais - MM 1968 Pag. 90

Postagens de Destaque