terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Vem aí o “Domingo da Criação”. Domingo o quê?!

Vem aí o “Domingo da Criação”. Domingo o quê?!


Michelson Borges
AG: defendendo o indefensável
Para muitos cristãos, os dias santos são um tempo para refletir sobre a nossa fé, como um tipo de lembrança (2 Pedro 1:13). No Natal, celebramos a encarnação de Jesus Cristo. Na Sexta-Feira Santa, refletimos sobre o preço terrível que Ele pagou pelos nossos pecados. No Domingo da Ressurreição (Páscoa), louvamos a Deus pelo Salvador ressuscitado e a promessa da vida eterna. Mas nos últimos anos os pastores das igrejas cristãs ao redor do mundo começaram a comemorar um tipo diferente de férias: o “Domingo da Evolução”, literalmente pregando Darwin a partir do púlpito. Ao contrário dos dias santos verdadeiramente cristãos, esse corrói a fé e mina a Bíblia, substituindo a narrativa do Gênesis por uma “história sagrada” de sofrimento, espinhos, doença e morte, tudo isso no mundo antes do pecado, com uma pitada de “Deus fez isso” para desarmar objetores. O “Domingo da Evolução” teve início em 2006 para promover a evolução entre as comunidades religiosas e convencê-las de que a crença em Deus seria compatível com a evolução. Aqueles que promovem “Domingo da Evolução” insistem que a igreja deve adaptar a doutrina bíblica a milhões de anos de evolução do micróbio ao ser humano, ou, do contrário, vai perecer.

Em resposta, o CreationSundays.com foi criado em 2011, para incentivar as igrejas a falar e afirmar a autoridade da Palavra de Deus em Gênesis. Esse site/ministério dá sugestões sobre como as famílias e congregações podem comemorar o “Domingo da Criação” (é mais fácil do que você pensa), bem como oferece links para recursos que vão ajudá-las a defender a verdade [sic].

Neste ano, o CreationSundays.com sugere que as igrejas se perguntem: “Com que autoridade”, como servos de Cristo, não temos autoridade para mudar Sua Palavra – nem devemos presumir que podemos (Isaías 40:13, 14).

A melhor maneira de ensinar às pessoas o discernimento bíblico consiste em explicar diligentemente a verdade. Então fica mais fácil de reconhecer a falsidade. Nestes dias de rebeldia, a verdade sobre a criação de Deus e a origem do pecado precisa de atenção especial. Por que não um novo feriado neste ano? Junte-se a outras igrejas que afirmam a Bíblia em todo o mundo e celebre o “Domingo da Criação”, em 15 de fevereiro de 2015.


Nota: Respeito muito o trabalho desenvolvido pelo ministério Answers in Genesis (AG) na defesa do criacionismo, mas, desta vez, eles pisaram feio na bola! Querem combater um erro com outro! Já não basta os evangélicos quererem separar o sábado da criação do sábado do decálogo como justificativa para não guardar o sétimo dia, como está exposto na lição da Escola Dominical deste trimestre (confira aqui), agora vêm o pessoal do Answers promover esse tal de “Domingo da Criação”? Deixem que os evolucionistas promovam o dia deles no primeiro dia da semana. O memorial da criação sempre foi e sempre será o sábado, o sétimo dia da semana, santificado por Deus no início da história deste mundo (Gn 2:1-3), registrado em pedras no Sinai (Êx 20:8-11), guardado por Jesus (Lc 4:16) e pelos apóstolos, e anunciado como dia especial de reunião até mesmo na eternidade (Is 66:23). É triste ver que mesmo defensores do criacionismo não percebem que estão atacando o verdadeiro memorial da criação. Como celebrar uma criação em seis dias literais de 24 horas e não levar em conta o último dia dessa semana? De certa forma, evolucionistas, católicos e evangélicos estão (mesmo sem se dar conta) de mãos dadas na exaltação do falso dia de repouso contra o verdadeiro memorial da criação, o santo sábado da eterna lei de Deus. Os dois últimos parágrafos do texto acima são inacreditáveis! Eles dizem que não temos autoridade para mudar a Palavra de Deus, no entanto, propõem a celebração de um dia que em nenhum lugar da Bíblia é considerado santo. E dizem mais: “Nestes dias de rebeldia, a verdade sobre a criação de Deus e a origem do pecado precisa de atenção especial.” Concordo, mas que seja pregada TODA a verdade, e a “verdade verdadeira”: de que existe um único dia santificado por Deus e que a mensagem final da igreja consiste em chamar a atenção do mundo para o Criador, “que fez [em seis dias] o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap 14:6, 7). [MB]


Detalhe: curiosamente, no blog que promove o evento há um logotipo com a figura de um dinossauro dentro do Sol. De fato, “Sunday” (sun day) é o dia do Sol, dia em que os pagãos adoravam o deus Sol. Terá sido coincidência?

Postagens de Destaque