sexta-feira, 20 de março de 2015

As Duas Naturezas

Resultado de imagem para imagens as duas naturezas do cristão
As Duas Naturezas

Deus um muitas figuras de linguagem para descrever, na Bíblia, o que o Espírito Santo faz por nós. Já constatamos isto em João 3, onde Ele diz que nós "nascermos de novo" pelo Espírito Santo. Isto é claramente uma ilustração para descrever em termos físicos uma grande verdade espiritual. Em Romanos 7 e 8 e Efésios 4 Deus usa termos psicológicos com referência à nossa vida cristã: "nova natureza – velha natureza" ou "novo homem – velho homem", para tentar fazer-nos entender a mudança radical que ocorre em nossa vida de cristão quando esta é controlada pelo Espírito Santo.
Na verdade nós sabemos que somos apenas urna pessoa. Quando eu pequei, lá no fundo eu sei que o fiz. Eu senti a atração da tentação. Correspondi, e a certa altura consenti em pecar. Em um momento eu disse "sim" ao diabo quando ele estava me tentando através dos meus velhos hábitos, meus velhos desejos, minhas amigas motivações, ou estava estimulando meus antigos objetivos de vida. É isto que Paulo quer dizer quando fala da "velha natureza" ou da lei do pecado. Na verdade sou eu. Eu sou um só diante de Deus. Sou responsável por meus pecados. Não posso culpar a lei do pecado que ainda está em mim. Eu tenho a possibilidade de escolher entre me submeter ao Espírito – o novo impulso em minha vida – ou à velha força do pecado.
Só que agora o Espírito Santo está em meu coração. Ele me deu vida – a vida eterna que Deus dá. Ele mesmo está em mim para acabar com os velhos hábitos, purificar minhas motivações, dirigir minha atenção para novos objetivos, entre os quais o mais importante é o de se tornar semelhante ao Senhor Jesus Cristo (Rom. 8:29).
Pelo resto da minha vida, até que Cristo venha e me chame para casa, eu estarei sendo santificado (crescendo mais e mais em direção à maturidade espiritual) pelo Espírito Santo, através da Palavra de Deus. O melhor de tudo é que o Espírito Santo, diariamente, em silêncio, está me fazendo ficar mais parecido com o Senhor Jesus Cristo, se eu estiver cooperando com Ele: "E todos nós com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória da Senhor, somos transformados de glória em glória, na Sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito" (2 Cor. 3:18).
Mas nunca se esqueça de que sempre haverá lutas, internas e externas. O diabo é um inimigo implacável, que nunca desiste. Ele apela à velha força dentro de mim, através do "mundo" e da carne, para que ela se reafirme. Ele apela para meus desejos, minha cobiça e meu orgulho, da mesma maneira como fez com Eva e Adão (Gên. 3). Sempre sentirei a pressão da tentação. Minhas velhas tendências estarão despertas e quererão pecar. Mas eu tenho dentro de mim o Espírito Santo, uma lei ou força mais poderosa: "Maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo" (1 João 4:4). Se eu colaborar com Ele e Lhe pedir ajuda, Ele me dará condições de resistir à tentação. O resultado de cada teste será que eu estarei mais forte.
Talvez na próxima vez o diabo apele para uma outra fraqueza da "carne". Eu tenha diversas coisas em que sou tentado. Mas o Espírito Santo está sempre em meu coração para me dar a vitória na nova luta, e de vitória em vitória eu vou ficando mais forte. O Dr. Bonar diz que para Deus o conflito interno dos santos é "um processo indispensável de disciplina, em que se desenvolve o contraste entre a luz e a escuridão, e se mostra a maneira de Deus ser glorificado pelas fraquezas dos seus santos, em sua luta contra os poderes do mal."4
Em Romanos 7 Paulo não está dizendo que não pode deixar de pecar por causa da sua velha natureza que ele não consegue controlar. Ele está descrevendo a luta que todos nós temos de travar, e dizendo-nos que podemos obter a vitória em Cristo, pelo poder do Seu Santo Espírito que vive em nós (Rom. 8:4).

Billy Graham 
A Luta Interior do Cristão, Pags. 5 e 6


Postagens de Destaque