terça-feira, 21 de abril de 2015

A NECESSIDADE DA PRESENTE HORA



A década de 1850 foi marcara por um acentuado declínio religioso nos Estados Unidos. A descoberta de ouro na Califórnia, além de outras coisas, tinha desviado a atenção das pessoas da religião para as coisas materiais. A instabilidade política por causa da escravidão e a desintegração que ameaçava a nação preocupavam a população. Um pânico financeiro no fim daquela década trouxe uma maior preocupação com as coisas materiais.
Em Setembro de 1857 um comerciante chamado Jeremiah Lanphier decidiu convidar outros comerciantes para orarem com ele uma vez por semana ao meio dia pela atuação renovadora do Espírito Santo. Ele distribuiu centenas de folhetos convidando para o encontro, mas no primeiro dia só meia dúzia apareceu, encontrando-se nos fundos de uma igreja na Fulton Street. Duas semanas depois já eram quarenta, e em seis meses uns dez mil se reuniam diariamente para orar, somente em Nova Iorque. Um avivamento passou pelo país, e em dois anos mais ou menos um milhão de pessoas tinha se decidido por Cristo.
Os efeitos deste avivamento, em vidas particulares e na sociedade, foram profundos, mas tragicamente o avivamento veio tarde demais para evitar a Guerra Civil que ameaçou a própria existência da nação americana. Mas ele trouxe incontáveis benefícios, incluindo muitos movimentos evangelísticos e de melhoria social.

A Necessidade de Avivamento Espiritual

Atualmente o mundo precisa de novo, desesperadamente, de um avivamento espiritual. Esta é a única esperança para a sobrevivência da raça humana.
Em meio aos problemas sem fim que o mundo enfrenta, os cristãos estão estranhamente silenciosos e impotentes, quase vencidos pelas ondas do secularismo. Mas os cristãos devem ser o "sal da terra" (Mat. 5:13), protegendo o mundo em decadência de mais podridão. Eles devem ser a "luz do mundo" (Mat. 5:14), iluminando a escuridão que o pecado produz, servindo de guia para um mundo que se perdeu do caminho. Nós devemos ser: "Filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo" (Filip. 2:15).
Por que não somos "sal" e "luz", como deveríamos? Por que não estamos fazendo muito mais para levar o reino de Deus aos corações e às vidas das pessoas? Sem dúvida temos muitos exemplos de cristãos que foram tocados por Deus e estão, por sua vez, tocando a vida de outros para levá-los a Cristo. Mas para cada exemplo destes há muito mais cristãos que vivem derrotados e sem alegria. Não têm vitória sobre o pecado nem sucesso no testemunhar. Causam pouco impacto sobre os que vivem ao seu redor, quanto ao Evangelho.
Então, se a maior necessidade no nosso mundo é sentir os efeitos de um avivamento, a maior necessidade da Igreja de Cristo no mundo todo hoje é experimentar o toque do Espírito Santo, trazendo "reavivamento" e "renovação" verdadeiros à vida de incontáveis cristãos.
Há muitos séculos atrás Deus fez com que Ezequiel, o profeta, tivesse uma visão marcante, em que Israel como nação estava disperso entre os povos. Muitos ossos secos representavam Israel. Parecia que não havia mais esperança para o futuro. Pela palavra do profeta, Israel poderia ter sido enterrado quanto ao mundo secular. Mas Ezequiel ficou aturdido quando Deus lhe perguntou: "Estas ossos poderão reviver?" (Ezeq. 37:3). O profeta respondeu: "Tu o sabes." Então o homem de Deus recebeu a ordem de falar a palavra de Deus, e os ossos se levantaram, revestindo-se de carne: uma grande multidão. Mas eles ainda estavam estranhamente apáticos. Faltava-lhes sopro, ou espírito. Então o Espírito de Deus lhes deu sopro, e todos aqueles homens se transformaram num poderoso exército.
Nós estamos novamente enfrentando uma época negra na história do povo de Deus. Apesar de alguns sinais encorajadores, as forças do mal parece que estão se agrupando para desfechar um ataque total à obra de Deus no mundo. Satanás está usando seu poder como talvez nunca antes na história da Igreja. Precisamos mais do que nunca de um reavivamento. Só Deus pode impedir a execução dos planos de Satanás com suas legiões, porque só Deus é Todo-Poderoso. Somente Seu Espírito Santo pode trazer avivamento espiritual que pare o curso do mal e inverta a tendência. Mesmo na hora mais escura Deus pode reavivar Seu povo, e soprar novo vigor e poder no corpo de Cristo através do Espírito Santo.
Nosso mundo precisa ser temperado por cristãos que sejam cheios do Espírito, guiados pelo Espírito e revestidos de poder pelo Espírito. Você é um cristão assim? Ou você precisa de que o Espírito Santo toque novamente em sua vida? Você está precisando de um avivamento em sua própria vida? Pois saiba que Deus Espírito Santo quer lhe conceder isto agora mesmo.

O Tempo é Agora

Agora é o tempo certo para o avivamento espiritual. Não devemos adiar mais esta hora. Dr. Samuel Johnson usava um relógio em que estavam inscritas as palavras de João 9:4: "A noite vem". Nós cristãos deveríamos ter inscrito em nossos corações a solene verdade de quão curta é nossa oportunidade de falar de Cristo e viver por Ele. Não sabemos – ninguém de nós – quanto tempo nos resta nesta terra. A morte pode pôr um fim à nossa vida a qualquer momento. Cristo pode vir a qualquer momento.
Eu li uma vez sobre um relógio de Sol que continha esta inscrição misteriosa: "É mais tarde do que você pensa." Quem viaja deve parar às vezes para refletir sobre o significado desta frase. Nós cristãos temos um relógio de Sol – a Palavra de Deus. Desde o Gênesis até o Apocalipse ela adverte: "É mais tarde do que você pensa." Escrevendo aos cristãos da sua época, Paulo disse: "Chegou a hora de vocês acordarem. Porque o momento de sermos salvos está mais perto agora do que quando começamos a crer. A noite está terminando, e o dia vem chegando. Por isso paremos de fazer o que pertence à escuridão, e peguemos as armas para lutar na luz" (Rom.13:11,12, BLH).
Billy Bray, um homem de Deus de outra geração, estava visitando um cristão que tinha sido muito tímido durante a sua vida quanto a falar de Cristo, e agora estava no leito de morte. O moribundo disse: "Se eu tivesse forças eu daria glória a Deus". Billy Bray respondeu: "É uma pena que você não deu glória a Deus enquanto tinha a força." Eu nem quero saber quantos de nós vão olhar para trás, para as oportunidades desperdiçadas da sua vida e seu testemunho ineficiente e chorar porque não deixaram que Deus os usasse como Ele queria. "A noite vem, quando ninguém pode trabalhar" (João 9:4).
Se quisermos estudar a Escritura, Se quisermos dedicar tempo à oração, se quisermos ganhar pessoas para Cristo, se quisermos investir nosso dinheiro no seu reino – tem de ser agora. "Sabendo que tudo isto vai ser destruído assim, então que tipo de gente vocês precisam ser? Suas vidas devem ser santas e dedicadas a Deus. Esperem a vinda do Dia de Deus, e façam o possível para que venha logo mesmo. Naquele dia os céus serão destruídos com fogo, e tudo o que há no universo ficará derretido. Porém Deus prometeu, e nós estamos esperando um novo céu e uma nova terra, ande mora a justiça. Por isso, meus queridos amigos, enquanto vocês esperam aquele Dia, façam o possível para serem puros e perfeitos diante de Deus, e estarem em paz com ele" (2 Ped. 3:11-14, BLH).

Os Efeitos de um Avivamento

O que aconteceria se o avivamento irrompesse em nossa vida e em nossas igrejas hoje? Eu creio que há pelo menos oito características de tal derramamento do Espírito Santo.
1) Haverá uma nova maneira de ver a majestade de Deus. Temos de entender que o Senhor não é somente carinhoso e misericordioso e cheio de compaixão, mas Ele é também o Deus de justiça, santidade e ira. Muitos cristãos têm em sua mente uma caricatura de Deus. Não vêem Deus como Ele é, mas só uma parte. Nós citamos João 3:16 de cor, mas esquecemos do versículo que vem logo depois: "O que não crê já está julgado" (v. 18). A compaixão não é completa em si mesma, mas ela tem de ser acompanhada de justiça inflexível e ira contra o pecado, além de um desejo por santidade.
O que mais mexe com Deus não é sofrimento físico, mas pecado. Nós temos muito mais medo de dor física do que de males morais. A cruz é evidência duradoura de que a santidade é para Deus um princípio pelo qual Ele está disposto a morrer. Deus não pode apagar a culpa sem que alguém tenha pago por ela. Nós precisamos alcançar misericórdia, e a obtemos aos pés da cruz.
2) Haverá uma nova maneira de encarar a pecaminosidade do pecado. Isaías viu o Senhor sobre um trono alto e Sublime, e as abas das Suas vestes enchiam o templo, e os serafins se curvavam diante dEle, exclamando: "Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória" (Isa. 6:3). Então Isaías reconheceu sua própria insignificância e sua profunda dependência de Deus. Quando Simão Pedro, no lago da Galiléia, viu que o próprio Senhor estava com ele no barco, ele disse: "Retira-te de mim, Senhor, porque sou pecador!" (Lucas 5:8). A consciência de que Jesus era o próprio Deus lembrou Pedro do seu próprio estado pecaminoso. Jó, na presença de Deus, disse: "Eu me abomino" (Jó 42:6).
Tiago nos diz que quando alguém é tentado suas próprias paixões é que o atraem e seduzem (Tiago 1:14, 15). E seja qual for o seu desejo, ele dá à luz ao pecado, e o pecado quando praticado leva à morte. Precisamos ver o pecado como ele realmente é. A maior visão de pecado que alguém pode ter é olhar para a cruz. Se Jesus Cristo teve de morrer pelos pecados, então o pecado era de fato negro e terrível aos olhos de Deus.
3) Haverá ênfase na necessidade de arrependimento, fé e novo nascimento. Jesus veio, pregando o arrependimento e dizendo que quem não nasce de cima não pode ver o reino de Deus. Ele disse que os pecadores amam as trevas, e não querem vir para onde há luz porque têm medo de que seus pecados sejam expostos e condenados. Os que têm Seus corações mudados são novas criaturas. Eles vêm para onde há luz porque amam a verdade e a Deus. Se alguém está em Cristo é nova criação, as coisas antigas já passaram e tudo ficou novo.
4) Haverá alegria na salvação. O salmista ora por avivamento, "para que em ti se regozije o teu povo" (Salmo 85:6). Davi desejava que a alegria da salvação fosse restaurada. O propósito declarado de Jesus era que "a alegria de vocês seja completa" (João 15:11, BLH). Quando Filipe foi a Samaria e provocou um grande avivamento, a Escritura diz que "houve grande alegria naquela cidade" (Atos 8:8). Jesus também nos diz que há alegria no céu, alegria dos anjos na presença de Deus por um pecador que se arrepende (Lucas 15:7). Uma revitalização verdadeira da Igreja traria consigo a salvação de dezenas de milhares de pecadores, o que por sua vez produziria alegria na terra tanto como no céu.
Mesmo se não houvesse céu e interno eu ainda quereria ser cristão, por causa do bem que isto traz ao nosso lar e à nossa família aqui nesta vida.
5) Haverá uma nova compreensão da nassa responsabilidade pela evangelização do mundo. João Batista mostrou aos Seus ouvintes o "Cordeiro de Deus", e dois dos Seus discípulos passaram a seguir a Jesus (João 1:36, 37). André achou primeiro o seu irmão Pedro e lhe disse que tinha achado o Cristo. Quando Filipe se decidiu por seguir a Jesus, ele foi procurar por Natanael (João 1:40-45). Os apóstolos deveriam ser testemunhas em qualquer lugar e em todos os lugares, mesmo nos confins da terra (Atos 1:8). E quando a perseguição dispersou os cristãos que moravam em Jerusalém eles foram por todos os lugares pregando Cristo e o evangelho glorioso (Atos 8:4). Uma das primeiras e mais seguras evidências de que alguém é um crente verdadeiro é a preocupação que sente por outras pessoas.
6) Haverá uma profunda preocupação social. Jesus disse em Mateus 22:37-39: "Amarás o Senhor teu Deus de todo o, teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. ... Amarás o teu próximo como a ti mesmo." Nossa fé não é só vertical, é também horizontal. Nós começaremos a nos importar com os problemas dos que vivem ao nosso redor e dos que estão longe. Mas eu tenho de dizer que um mundo que realmente quer ser salvo das conseqüências do seu próprio pecado e da sua insensatez só pode receber uma mensagem de uma cristandade reavivada: "Arrependam-se". Muitas pessoas hoje em dia querem um mundo fraternal em que elas possam permanecer infraternas. Muitas pessoas querem segurança econômica sem segurança espiritual. Mas o avivamento que desejamos deve ser bíblico. Se for cristão, será bibliocêntrico. Se for verdadeiro, então seus líderes terão de ter a coragem de Amós para condenar "os que compram os pobres por dinheiro e os necessitados por um par de sandálias" (Amós 8:6).
Devemos segurar bem alto os ensinos morais, éticos e sociais de Jesus, estando de acordo de que Ele oferece o único padrão para o caráter do indivíduo e da nação. O Sermão do Monte vale hoje e sempre. Não podemos edificar uma civilização nova sobre os fundamentos caóticos do ódio e da amargura.
7) Haverá cada vez mais manifestações dos dons e do fruto do Espírito. Quem traz o avivamento é o Espírito Santo, e quando Ele vem com todo Seu poder haverá claras evidências na Igreja dos Seus dons e do fruto do Espírito. Os crentes saberão o que significa  servir uns aos outros e edificar-se mutuamente através dos dons que o Espírito Santo concebeu. Todos eles receberão uma nova medida de amor uns pelos outros e por um mundo perdido e em decadência. O mundo não dirá mais que a Igreja é silenciosa e sem poder. As nossos vidas não parecerão mais normais e indistinguíveis do resto do mundo. Nossas vidas serão marcadas pelos dons que o Espírito Santo pode dar. Serão marcadas pelo fruto que somente Ele pode produzir.
8) Haverá renovada dependência do Espírito Santo. Em diversos lugares no mundo já podemos ver isto acontecendo. Não pode haver revitalização espiritual sem Ele. O Espírito Santo repreende, convence, luta conosco, instrui, convida, incentiva, regenera, renova, fortalece e um. Ele não deve ser entristecido, tentado, receber resistência da nossa parte, ser apagado, insultado ou blasfemado. Ele dá liberdade ao cristão, objetivos ao que trabalha, discernimento ao que ensina, poder à Palavra e fruto para um trabalho fiel. Ele revela as coisas de Cristo. Ele nos ensina como usar a espada do Espírito que é a Palavra de Deus. Ele nos guia a toda a verdade. Ele nos orienta como podemos viver como Deus quer. Ele nos ensina como dar respostas aos inimigos de nosso Senhor. Ele possibilita o acesso ao Pai. Ele nos ajuda na oração.
Há coisas que o dinheiro não pode comprar, que a música não rode proporcionar, que nenhuma posição social pode garantir, que nenhuma influência pessoal pode conseguir e que nenhuma eloqüência pode ordenar. Por mais brilhante que seja um pastor, por mais eloqüente ou persuasivo que seja um evangelista, eles não podem trazer o avivamento de que precisamos. Só o Espírito Santo pode trazê-lo. Zacarias disse: "Não por força, nem por ceder, mas pelo meu Espírito" (Zac. 4:6).

Passos para um Avivamento

Se muitos cristãos precisam de um avivamento hoje em dia, como fazer para consegui-lo? Que passos temos de dar em nossa vida, que passos os outros têm de dar para serem avivados? Eu creio que a Bíblia exige três passos da nossa parte.
O primeiro passo é admitir nossa pobreza espiritual. Vezes demais nós nos parecemos com os cristãos de Laodicéia, que estavam cegos para as suas necessidades espirituais: "Dizes: Estou rico e abastado, e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu" (Apoc. 3:17).
Há algum pecado em nossa vida que está boqueando a atuação do Espírito Santo em e através de nós? Não devemos rapidamente dizer "não". Examinemo-nos à luz da Palavra de Deus, oremos para que o Espírito Santo nos revele todos os pecados que nos embaraçam. Talvez estejamos fazendo algo errado – um hábito, o relacionamento que temos com alguém, algum pensamento ou motivação má. Talvez estejamos negligenciando algo alguma responsabilidade de que estamos nos esquivando ou algum ato de amor que não praticamos. Seja o que for, deve ser reconhecida com honestidade e humildade diante de Deus.
O segundo passo para o reavivamento espiritual é confissão e arrependimento. Podemos saber que pecamos e mesmo assim não fazer nada. Precisamos confessar nossos pecados a Deus e nos arrepender deles, não só reconhecê-los diante dEle mas voltar as costas ao pecado de verdade e tentar ser obedientes a Ele. Uma das grandes promessas da Bíblia está em 1 João 19: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça." O profeta Isaías disse: "Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo os seus pensamentos; converta-se ao Senhor" ( Isa. 55:6, 7).
Não é por acaso que alguns dos grandes reavivamentos da história começaram com oração. O primeiro movimenta missionário americano em grande escala começou em 1806, em uma reunião de oração debaixo de um monte de feno, no meio de uma tempestade. Em 1830 umas 30.000 pessoas se converteram em Rochester, estado de Nova Iorque, nas pregações de Charles Finney. Finney disse mais tarde que a causa foi a oração fiel de um homem que nunca vinha às reuniões, mas dedicava seu tempo à oração. Em 1872 o evangelista americano Dwight L. Moody iniciou uma campanha em Londres, na Inglaterra, que Deus usou para tocar vidas incontáveis. Moody mais tarde descobriu que uma menina humilde, presa à cama, estivera orando. Esta lista poderia ir longe.
Você está orando por reavivamento na sua vida e na de outros? Você está confessando seus pecados a Ele e procurando a Sua bênção para sua vida?
O terceiro passo é um compromisso renovado de nossa parte de procurar e fazer a vontade de Deus. Talvez já estejamos convencidos de que pecamos – já oramos e confessamos nosso pecado – já nos arrependemos mas a prova mesmo é nossa disposição de obedecer. Não é por acaso que verdadeiro reavivamento sempre é acompanhado por fome e sede de fazer o bem. Uma vida que o Espírito Santo tocou não tolera mais o pecado.
O que está impedindo o reavivamento espiritual em sua vida? No fundo, sem dúvida, é pecado. Às vezes é doloroso encarar a verdade sobre nossa falta de zelo e dedicação espiritual. Deus quer nos dar do Seu poder e fazer de nós servos úteis a Ele. "Desembaracemo-nos de todo peso, e do pecado que tenazmente nos assedia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus" (Heb, 12:1, 2).
James A. Stuart observou: "Uma igreja que precisa de reavivamento está vivendo abaixo do padrão do Novo Testamento. ... É trágico que a vasta maioria dos cristãos está vivendo uma vida cristã abaixo do normal ... a Igreja nunca voltará à normalidade enquanto não houver reavivamento."1
Você está vivendo uma vida cristã "abaixo do normal" – uma vida sem sucesso, indiferente, sem amor por Cristo e pelos outros? Deixe que o Espírito Santo o leve humildemente a Deus, confessando seus pecados e procurando a Sua face. Deixe que Ele ponha Sua mão sobre você enquanto você se entrega a Ele. O que o mundo mais precisa hoje em dia é de cristãos totalmente entregues a Cristo.
Há mais de 100 anos dois jovens estavam conversando, na Irlanda. Um deles disse: "O mundo ainda há de ver o que Deus pode fazer com alguém totalmente consagrado a Ele." O outro meditou sobre estas palavras durante semanas. Elas não o soltaram mais, até que um dia ele disse: "Pelo Espírito Santo eu serei este homem". Hoje os historiadores dizem que ele tocou dois continentes por Cristo. Seu nome: Dwight L. Moody.
Isto pode acontecer de novo, se abrirmos as nossas vidas para o poder criador do Espírito Santo. Ninguém pode querer sinceramente ser purificado e abençoado pelo Espírito Santo, e permanecer o mesmo. Nenhuma nação pode experimentar o toque do reavivamento e permanecer a mesma.

Vimos neste livro que Pentecostes foi o dia do poder do Espírito Santo. Foi o dia em que nasceu a Igreja de Cristo. Nós não esperamos que Pentecostes se repita, da mesma forma que sabemos que a morte de Jesus na cruz não se repetirá. Mas nós esperamos bênçãos pentecostais quando as condições para a atuação de Deus são cumpridas, especialmente à medida que nos aproximamos dos "últimos dias". Nós cristãos devemos preparar o caminho. Devemos estar prontos para o Espírito Santo nos encher e usar.

Billy Graham

Do Livro o Espírito Santo 

Postagens de Destaque