terça-feira, 16 de junho de 2015

O dom da palavra,


 

O dom da palavra, 16 de Junho

Guarda a tua língua do mal e os teus lábios, de falarem enganosamente. Salmos 34:13. 


A palavra é um dos maiores dons de Deus. É o meio pelo qual são comunicados os pensamentos do coração. É com a língua que apresentamos a Deus oração e louvor. Com a língua convencemos e persuadimos. Com a língua confortamos e bendizemos, acalmando as dores do coração ferido. Com a língua podemos tornar conhecidas as maravilhas da graça de Deus. Com a língua podemos também proferir coisas perversas, falando palavras que ferem qual picada da serpente. A língua é um membro pequenino, mas as palavras que articula têm grande poder. Declara o Senhor: “É um mal que não se pode refrear.” Tiago 3:8. Tem lançado nação contra nação, e causado guerra e derramamento de sangue. Palavras têm ateado incêndios difíceis de apagar-se. Têm também trazido alegria e satisfação a muito coração. ... Satanás põe na mente pensamentos que o cristão jamais deve pronunciar. 
A desdenhosa descortesia, a palavra amarga e apaixonada, a acusação cruel e suspeitosa, dele procedem. Quantas palavras se proferem, que só fazem dano aos que as pronunciam e aos que as ouvem! As palavras duras ferem o coração, despertando suas piores paixões. Os que causam dano com a língua, que, mediante palavras egoístas e invejosas, semeiam discórdia, esses ofendem o Espírito Santo, pois trabalham em linhas cruzadas com os propósitos divinos. ... Guardai bem o talento da fala, pois é enorme poder para o mal, assim como para o bem. Não podeis ser cuidadosos demais em relação ao que dizeis, pois as palavras que proferis mostram qual o poder que vos controla o coração. Se Cristo ali domina, vossas palavras revelarão a formosura, a pureza e fragrância de um caráter moldado e afeiçoado por Sua vontade. Mas se sois guiados pelo inimigo de todo o bem, vossas palavras ecoarão os seus sentimentos. Unicamente por Cristo podemos alcançar a vitória sobre o desejo da palavra precipitada, não cristã. Quando, em Sua força, nos recusamos a dar expressão às sugestões de Satanás, a planta da amargura em nosso coração murcha e morre. O Espírito Santo pode fazer da língua um cheiro de vida para vida. — The Review and Herald, 12 de Maio de 1910. Deus quer que sejamos um auxílio e força uns aos outros. Quer que falemos palavras de esperança e animação. — The General Conference Bulletin, 23 de Abril de 1901.

Ellen White
Nos Lugares Celestiais Pag. 360

Postagens de Destaque