quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Assembleia de Deus da Madureira libera divórcio, inclusive para pastores e líderes

Júlio Severo, polemista escritor, escreveu duramente contra a Igreja Assembleia de Deus Madureira, talvez a maior igreja assembleia de Deus, entre as centenas de "assembleias de Deus" que existe no Brasil.
O motivo foi a decisão tomada por esta denominação, em liberar o divórcio para pastores, líderes, e membresia em geral

Veja a matéria

Assembleia de Deus da Madureira libera divórcio, inclusive para pastores e líderes
Julio Severo
Uma das denominações evangélicas mais rígidas em sua doutrina parece que não é mais tão rígida assim: a Assembleia de Deus da Madureira (também conhecida como CONAMAD) decidiu mudar seu estatuto para permitir que pastores e outros líderes possam se casar novamente. Enfim, o divórcio está liberado.
A resolução foi ratificada em julho deste ano no congresso da CONAMAD (Convenção Nacional das Assembleias de Deus Ministério Madureira), que ocorreu em Brasília, e foi assinada por um grande número de pastores assembleianos.
A resolução diz “O ideal divino para o casamento é que ele seja uma união para a vida toda.” Mas então pondera que devido a violência, adultério, abusos físicos e psicológicos bem como abandono emocional ou espiritual podem fazer com que seja “imperiosa a dissolução do matrimônio” e “admite o divórcio e nova núpcia.”
Com a resolução, a Assembleia de Deus da Madureira tenta conter a enxurrada de escândalos de separação, onde líderes de renome deixaram suas esposas em troca de mulheres mais jovens.
Não se sabe o que foi que essa denominação fez com a passagem da Bíblia que diz:
“É fundamental, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só esposa, equilibrado, tenha domínio próprio, seja respeitável, hospitaleiro, capacitado para ensinar.” (1 Timóteo 3:2 King James Atualizada)
Mas a liberação do divórcio para pastores e líderes não é o primeiro escândalo da Assembleia de Deus da Madureira. O líder máximo dessa denominação, o bispo vitalício Manoel Ferreira, apoiou Lula e Dilma nas suas duas eleições presidenciais.
Lula discursando na Assembleia de Deus da Madureira
Há também o escândalo de pastores assembleianos que, segundo o Portal Padom, teriam recebido dinheiro de propinas da Petrobrás.
Outro escândalo importante é o envolvimento de Ferreira com o falso messias Rev. Moon.
Esses escândalos provam que a denominação dele anda divorciada de Deus já há algum tempo.
A única coisa certa que Ferreira andou fazendo foi questionar a fé evangélica da então candidata presidencial socialista Marina Silva. Seguindo o exemplo dele, por que não também questionar Ferreira e suas incoerências, oportunismos e apostasias?
Se a Assembleia de Deus da Madureira quer voltar a ser uma igreja que prega e pratica a Palavra de Deus, precisa se arrepender e se divorciar de seus pecados e escândalos, que já clamam ao Céu. Precisa se arrepender de seu divórcio e recasar com Deus.
Lugar de pastor ligado a Lula, Dilma, Rev. Moon, propinas e divórcio e recasamento não é no púlpito. É no banco, para ouvir a Palavra e ser liberto.
Com informações do Portal Padom.
 

Postagens de Destaque