quinta-feira, 26 de maio de 2016

Casamento Amor, Romantismo e Realidade


 
Pr. Manoel Barbosa da Silva

Sermão de Casamento

Nos escritos de Salomão duas mulheres se destacam. Uma real, a outra, ideal. A primeira era a namorada do rei Salomão, mulher muito bonita, apaixonada, cheia de vontades. Mulher esta, que mexeu com a cabeça do Rei e o deixou loucamente apaixonado e com ela viveu um dos mais bonitos romances da Bíblia.

Encontramos esta mulher no livro de Cantares, que é um poema de amor - o mais lindo da Bíblia, dedicado a este romance e que portanto, fala da beleza desta mulher. A outra, é uma mulher idealizada por ele -  Salomão. Mulher trabalhadora, equilibrada, empreendedora, boa negociante, administradora, que sabia muito bem governar a casa, cuidar dos filhos, e que dava muito orgulho ao seu esposo.

Talvez esta segunda mulher fosse até a mesma, digo a primeira, depois de amadurecida. Esta segunda mulher a encontramos no capítulo 31 do livro dos Provérbios. Quanto à primeira talvez, tenha sido a primeira esposa dele, Salomão. Com certeza foi a mulher que mais amou, e com quem fez um casamento sem interesses comerciais ou políticos, como acontecia nos casamentos das antigas dinastias.

Não temos informação detalhada do romance dos dois, pois o livro dos cânticos, já começa com palavras apaixonadas: “Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o seu amor do que o vinho...." Não sabemos, por exemplo, a idade dos dois, quanto tempo de namoro, detalhes da festa do casamento, nem a cidade onde foi feito o casamento. Não sabemos também os nomes dos pais da noiva. Os pais do noivo sabemos: Davi e Bate Seba.

Porém este mesmo livro nos dá um vislumbre deste romance, e dele podemos tirar lições valiosas para todo casal atual. Nas linhas deste livro, podemos vislumbrar um pouco do perfil dos dois. Sobre ela: era morena, muito bonita, romântica, tinha a auto-estima alta, era ciumenta, e emocionalmente instável, tinha irmãos, e trabalhava na roça. Ele: alvo, cabelos pretos, olhos claros, alto, forte, romântico, e era o Rei.

Nada sabemos de como começou o namoro. Talvez ele estivesse passeando pelos campos para ver os seus rebanhos, tenha visto aquela morena trabalhando em um, e tenha se apaixonado.

Que ela vivia no campo, não há dúvidas, pois todo o poema menciona coisas ligadas à natureza. Fala do dia, da noite, do sol, do vento norte, do vento sul. Fala de árvores, cita a macieira, os cedros, a figueira, a hena, o nardo, o açafrão, o cálamo e o cinamomo. Não esquece dos frutos: maçãs, uvas, figos, romãs. Fala ainda dos animais, cabras, ovelhas, gazelas, pombas e raposas. Fala das mais lindas flores, a rosa e o lírio.

Enaltece o amor puro. Fala de beijos, abraços, comenta até o sabor de um beijo de língua: leite e mel. Menciona o êxtase e o desfalecimento de amor. Descreve ainda o romantismo de uma vida a dois em uma roça (vinha) próximo a um pequeno povoado, ou seja, todo o enredo do romance se passa em um povoado do interior.

Salomão e Sulamita, viveram um romance, onde os dois não cansavam de se elogiar. Ele fazia elogios a ela. Elogiou a esposa 16 vezes. Elogiou o cabelo, a face, os olhos, a boca, a voz, os lábios, os dentes, o pescoço, os seios, o umbigo, as pernas, disse: Em ti não há defeito. Ela elogiou nele o nome, a cor, os olhos, as faces, os lábios, as mãos, a cintura, as pernas, e o falar, tudo.

Lições:

Noivos: Em todos os sermões de casamento há os inevitáveis conselhos aos noivos e com vocês não será diferente. Quero dividir estes conselhos com os demais casais aqui presente, talvez ajude algum deles em alguma coisa.

1. A importância do elogio: um casal que se elogia, que sabe admirar um ao outro, não tem como ser infeliz, pois todo ser humano é carente de reconhecimento. Esse é um dos segredos de um casamento feliz. Elogiar não só a beleza física, mas os valores, a personalidade, e as realizações. Guardem esta lição. Um casal que se ama, sabe reconhecer as qualidades um do outro, e faz questão de mencioná-las. Noivo, todos os dias de tua vida, diga a sua amada que ela é linda que você a ama. Mulher gosta disso. E você, Noiva, saiba reconhecer as qualidades do seu esposo, e fale a ele, faça-lhe elogios, todo homem gosta de reconhecimento

2. Auto-estima alta. Duas frases ditas pela Sulamita demonstram quanto ela se valorizava. Eu estou morena e formosa. Cap. 1:5. Eu sou a rosa de Sarom, eu sou o lírio dos vales. Cap. 2:1. Com estas palavras a Sulamita deixava claro quanto ela se estimava. Demonstrava a segurança que tinha em sua beleza. E isso é muito importante em uma relação conjugal. Quando em um casal, a esposa, ou o marido, não se auto-valoriza, começam os problemas. Se a mulher se acha feia, e acha as outras mais bonitas que ela, passa a ter ciúme do marido, pois começa a pensar que o marido também acha as outras mais bonitas que ela. E vice e versa. A Sulamita se achava linda. É certo que teve seu momento de modéstia quando quase pedindo desculpas disse. “Não olhe eu esta morena. O sol me queimou. Meus irmãos me obrigaram a vigiar a vinha ” cap. 1: 6. É assim que deve ser toda mulher. Ter segurança. Se achar o máximo. Se achar linda. Uma rosa, um lírio.

3. Simplicidade. Outro fator para a felicidade em um casamento é a simplicidade. A Sulamita como esposa do Rei, e um dos Reis mais poderosos do oriente, poderia ter exigido uma lua de mel em uma praia exótica, em alguma ilha do Caribe, ou mesmo no Golfo Pérsico, quem sabe em Dubai? Poderia exigir um hotel 5 estrelas, e uma criadagem para servi-la, no entanto, veja onde ela quis sua lua de mel. Cap. 7: 10-12.(ler) Vem, ó amado meu, saiamos ao campo, passemos as noites nas aldeias. 12 Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se estão abertas as suas flores, e se as romãzeiras já estão em flor; ali te darei o meu amor. Note a frase: Ali te darei o meu amor. Onde? No campo, nas aldeias. Muitos acham que felicidade está em extravagâncias, em um lindo apartamento decorado, ou em uma linda mansão, com móveis lindos, quando na realidade a felicidade é o companheirismo, a presença um do outro, não importa a simplicidade do lugar. Que a felicidade de vocês seja a companhia um do outro, e não casa onde moram.

4. Não provocar um ao outro. A quarta lição do livro de Cantares, primordial para todo o casal, é não provocar um ao outro. Salomão um dia saiu de casa e não voltou. Cap. 3: 1-4. 1 De noite, em meu leito, busquei aquele a quem ama a minha alma; busquei-o, porém não o achei. 2 Levantar-me-ei, pois, e rodearei a cidade; pelas ruas e pelas praças buscarei aquele a quem ama a minha alma. Busquei-o, porém não o achei. 3 Encontraram-me os guardas que rondavam pela cidade; eu lhes perguntei: Vistes, porventura, aquele a quem ama a minha alma? 4 Apenas me tinha apartado deles, quando achei aquele a quem ama a minha alma; detive-o, e não o deixei ir embora, até que o introduzi na casa de minha mãe, na câmara daquela que me concebeu.

Fica a impressão que ele saiu de casa aborrecido, e as escondidas Ela saiu a procurá-lo. Quando o encontrou, deteve-o e não o deixou ir embora levou-o para a casa da mão dela. Ali, fizeram amor. Noutra vez ele se demorou até tarde, quando chegou em casa ela se recusou a abrir a porta. Já estava vestida para dormir, e não iria sujar os pés até o portão, ele foi embora. Quando ela percebeu que ele tinha ido embora, resolveu abrir a porta. Era tarde. Saiu outra vez à procura dele, não o encontrou, e os guardas na rua bateram nela e lhe tomara a capa. Isto é uma lição a todo o casal. Noivo. Não provoque sua esposa. Não saia de casa quando estiver aborrecido. Atitudes assim não resolvem problemas E quando for sair, diga a aonde vai e que horas chega. Não a deixe ansiosa. Se tiver que chegar atrasado, telefone, avise, dê noticia Se souber que ela não gosta de determinado atitude, não faça. Maridos, não provoquem suas esposas nem as deixe aflitas. Não faça nada que você sabe que a esposa não gosta. Procure chegar no horário combinado. Noiva não faça chantagem com o seu esposo Mulheres, não façam chantagem com vossos maridos. Algumas não se recusam a abrir a porta da casa, fecham é a porta do quarto e põe o coitado pra dormir no sofá.

5. Empreendedorismo. A outra mulher mencionada por Salomão, aquela do capítulo 31 do livro dos provérbios, não tem nada a ver com a mulher oriental, pelo menos aqueles estereótipos que conhecemos. Mulher submissa, vestida em uma burca, que se prostra ante o marido, o chama de senhor e casa-se contra a vontade, com quem o pai escolhe. A mulher idealizada por Salomão é uma mulher moderna, atual.

Comerciante no ramos de produtos importados. “É como os navios do negociante; de longe traz o seu pão”. Verso 14 “Prova e vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite”.verso 18
Agricultora de grandes projetos agrícolas “Considera um campo, e compra-o; planta uma vinha com o fruto de suas mãos”. Verso 16 3.
Tinha uma industria no ramos de confecções “Faz para si cobertas; de linho fino e de púrpura é o seu vestido”. Verso 22 “Faz vestidos de linho, e vende-os, e entrega cintas aos mercadores”.verso 24 4.
É oradora brilhante “Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua”. Verso 26 5.
Tem um projeto social “Abre a mão para o pobre; sim, ao necessitado estende as suas mãos”. Verso 20 6.
Dona de casa dedicada “Olha pelo governo de sua casa, e nao come o pão da preguiça”. Verso 27 “Levantam-se seus filhos, e lhe chamam bem-aventurada, como também seu marido, que a louva": verso 28.

Estou citando isto para vocês a fim de lembrar que um casal moderno, os dois sente orgulho em ver as realizações pessoais um do outro e entre eles não há competição, mais esforço conjunto e desejo de crescer. Na visão bíblica de Salomão, a mulher nunca foi submissa, mas atuante em todas as esferas da vida do marido. Não há a mulher submissa ao homem nem o homem submisso à mulher, porém os dois são parceiros da jornada e amantes apaixonados.

6. Cuidado com as raposinhas 15 Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas; pois as nossas vinhas estão em flor. Cap. 2: 15 Na vida conjugal o que atrapalha não é grandes maldades feitas um ao outro, por que isto não acontece, são pequenas coisas: falta de atenção, indiferença, falta de romantismo, falta de cortesia, coisinhas pequenas, ou seja, as raposinhas. Cuidado com elas, queridos noivos. Vocês estão começando uma nova vida a partir de hoje.

Muita coisa vocês terão que aprender. Algumas são fundamentais:
a- O valor do elogio
b- A importância da auto-estima alta
c- Simplicidade
d- Não provocar um ao outro
e- Empreendedorismo. Disposição para o trabalho. Desejo de crescer. Dever de ambos
f- Ter cuidado com as raposinhas

A aplicação principal deixei para o final:

6. Aplicação espiritual. O livro de Cantares, por ser o poema de amor mais intenso da bíblia, e descrever a beleza do verdadeiro amor que deve existir entre um homem, e uma mulher; representa o verdadeiro amor que deve existir entre a igreja e Jesus. É uma alegoria. Uma parábola. O noivo, Jesus. A noiva a igreja. O lar de vocês deve ser uma igreja. Uma micro igreja e Jesus o noivo. Assim como a Sulamita buscou com todo empenho o noivo, até encontrá-lo, vocês devem buscar a Jesus diariamente. Nunca deixem Jesus de fora de vossa vida, vossos planos, vossos negócios, vossos sonhos E quando Jesus bater à porta, abram-na imediatamente, pois Ele mesmo o diz. “Eis que estou a porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo”.

Que Deus vos abençoe.

Postagens de Destaque