domingo, 9 de julho de 2017

O teste da provação


]Resultado de imagem para Imagens da tentação no eden

Ellen White

Capítulo 3 — O teste da provação

O Senhor colocou o homem sob provação a fim de que pudesse formar um caráter de integridade comprovada, para sua própria felicidade e para glória de seu Criador. 
Ele dotara Adão com poderes de uma mente superior, como nenhuma outra criatura que Suas mãos fizeram. Sua superioridade mental era um pouco menor do que a dos anjos. Estava em condição de familiarizar-se com a sublimidade e a glória da Natureza, e compreender o caráter do Pai celestial nas Suas obras criadas. 
As glórias do Éden, e sobre tudo em que pudesse repousar os olhos, testificava do amor e do infinito poder de seu Pai. 
O desprendimento foi a primeira lição moral dada a Adão. 
O governo de tudo foi-lhe colocado nas mãos. Julgamento, razão e consciência estavam sob seu domínio. “Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. E lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”  
Adão e Eva tinham permissão de participar de todas as árvores do jardim, salvo uma. Havia uma única e simples proibição. 
A árvore proibida era tão atrativa e desejável como qualquer outra do jardim. Era chamada árvore do conhecimento porque participando dessa árvore, da qual Deus disse, “dela não comerás”, eles teriam o conhecimento do pecado, experimentariam a desobediência. 
Eva saiu de perto do esposo, para contemplar as coisas maravilhosas da Natureza, deleitando-se nos seus cenários coloridos e na fragrância das flores, admirando a beleza das árvores e arbustos. Pôs-se a pensar na restrição que Deus lhes tinha imposto no tocante à árvore da ciência do bem e do mal. Ficou deslumbrada com a beleza e abundância que o Senhor providenciara para a satisfação de cada desejo. 
Tudo isto, disse ela, Deus nos deu para nossa satisfação. Tudo é nosso; porque Deus tinha dito: “De toda árvore do jardim Gênesis 2:15. 10 comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás.” 
Eva passeava perto da árvore proibida, e foi despertando a curiosidade para descobrir como a morte poderia ocultar-se no fruto dessa agradável árvore. 
Ficou surpresa ao ouvir que suas interrogações foram apanhadas e repetidas por uma estranha voz. “É assim que Deus disse: Não comerás de toda árvore do jardim?” 
Eva não percebeu que tinha revelado seus pensamentos conversando audivelmente consigo mesma; destarte, ficou grandemente atônita ao ouvir que suas inquietações eram respondidas pela serpente. 
Realmente pensou que a serpente lhe conhecia os pensamentos e que deveria ser muito sábia. Respondeu-lhe: “Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.”Aqui o pai da mentira fez sua asseveração em direta contradi- ção à expressa palavra de Deus. 
Satanás assegurou a Eva que ela fora criada imortal, e que para ela não havia possibilidade de morrer. Disse-lhe que Deus sabia que se ela e seu esposo comessem [17] da árvore do conhecimento, sua compreensão seria iluminada, expandida, enaltecida, tornando-se iguais a Ele mesmo. E a serpente respondeu a Eva que a ordem de Deus, proibindo-os de comer da árvore do conhecimento, foi dada para conservá-los num tal estado de subordinação que lhes vedasse o conhecimento, o qual era poder. Assegurou-lhe que o fruto desta árvore era desejável acima de todas as do jardim, para fazê-los sábios e exaltá-los à igualdade com Deus. 
Ele vos recusou, disse a serpente, o fruto desta árvore, a qual dentre todas as árvores, é a mais desejável pelo delicioso sabor e estimulante influência. 
Eva pensou que o discurso da serpente fosse muito sábio, e que a proibição de Deus fosse injusta. Olhava com ardente desejo para a árvore carregada de frutos que pareciam muito deliciosos. Gênesis 3:2. Gênesis 3:3-5. 12 
 A serpente estava comendo-os com evidente deleite. Eva agora desejava este fruto mais do que todas as variedades que Deus lhe pusera ao alcance, com pleno direito de uso. 
Eva exagerou as palavras da ordem de Deus. Ele disse a Adão e Eva: “Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” 
Na discussão de Eva com a serpente, ela acrescentou: “Nem tocareis nele.” 
Aqui apareceu a sutileza da serpente. Esta citação de Eva deu-lhe vantagem; colheu o fruto e o colocou nas mãos de Eva, usando suas próprias palavras. “Deus disse que morrerias se tocasses no fruto. Vê, nenhum mal te sucedeu ao tocares nele; tampouco receberás dano algum ao comê-lo.” 
Eva cedeu ao mentiroso sofisma do diabo em forma de serpente. Ao comer o fruto não se apercebeu imediatamente de nenhum mal. Então ela mesma apanhou o fruto para si e para o esposo. “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu, e deu também ao marido, e ele comeu.” 
Adão e Eva deveriam estar plenamente satisfeitos com o conhecimento que receberam de Deus por intermédio de Sua obra criada e das instruções dos santos anjos. 
Todavia, sua curiosidade foi despertada para ficar a par daquilo que Deus designou que não deveriam conhecer. 
A ignorância do pecado era para sua própria felicidade. 
O elevado grau de conhecimento que eles pensavam que obteriam comendo do fruto proibido, lançou-os na degradação do pecado e da culpa

Do livro no deserto da Tentação Pags. 10 - 12

sábado, 8 de julho de 2017

Adão, Eva e seu lar edênico


Resultado de imagem para Imagens do eden

Ellen White

Adão, Eva e seu lar edênico


Deus, em conselho com Seu Filho, estabeleceu o plano de criar o homem à Sua própria imagem. 
O homem deveria ser colocado sob período de prova. Deveria ser testado e provado; se suportasse o teste de Deus e permanecesse leal e verdadeiro através da primeira prova, não ficaria assediado por tentações contínuas, mas seria exaltado à igualdade com os anjos e feito, daí por diante, imortal. 
Adão e Eva saíram das mãos do Criador na completa perfeição do dote físico, mental e espiritual. Deus plantou para eles um jardim e os cercou de tudo o que era belo e atraente aos olhos, como requeriam suas necessidades físicas. 
Este santo par via um mundo de insuperável beleza e glória. O benevolente Criador deu-lhes evidências de Sua bondade e amor ao providenciar-lhes frutas, vegetais e grãos, e fez crescer na terra toda variedade de árvores úteis e bonitas. 
O santo par olhou para a Natureza como um quadro de deslumbrante formosura. A terra, amarronzada, estava coberta de um carpete vivo, esverdeado, diversificado com variedades intermináveis de flores de perpetuação própria. 
Arbustos, flores e trepadeiras embelezavam o cenário com sua exuberância e fragrância. As muitas variedades de árvores altaneiras estavam carregadas de frutos deliciosos de toda espécie, adaptados a satisfazerem o paladar e os desejos dos felizes Adão e Eva. Deus providenciou este lar edênico para os nossos primeiros pais, dando-lhes evidências inequívocas do Seu grande amor e desvelo por eles. Adão foi coroado rei no Éden. Foi-lhe dado domínio sobre todos os seres viventes que Deus tinha criado. 
O Senhor abençoou Adão e Eva com inteligência tal que Ele não tinha dado a nenhuma outra criatura. Conferiu a Adão o poder sobre todas as obras criadas, de Suas mãos. O homem, feito à imagem divina, poderia contemplar e apreciar as obras gloriosas de Deus na Natureza. 
Adão e Eva podiam divisar a habilidade e a glória de Deus em cada haste de grama, arbusto e flor. 
A beleza natural que os envolvia refletia-se como um espelho de sabedoria, excelência e amor do seu Pai celestial. 
Seus cânticos de afeição e louvor subiam ao Céu suave e reverentemente, em harmonia com os suaves cânticos dos elevados anjos, e com a passarada feliz que gorjeava despreocupadamente suas músicas. 
Não havia doença, decrepitude, nem morte. A vida estava em tudo em que se pudessem repousar os olhos. A atmosfera estava cheia de vida. Havia vida em cada folha, em cada flor e em cada árvore. 
O Senhor sabia que Adão não podia ser feliz sem o trabalho; portanto deu-lhe a agradável ocupação de cuidar do jardim. 
À medida que ele cuidava das coisas bonitas e úteis ao seu redor, podia ver a bondade e a glória de Deus nas Suas obras criadas. Adão tinha temas a contemplar nas obras de Deus no Éden, que era uma miniatura do Céu. 
Deus não formou o homem meramente para contemplar as Suas obras gloriosas; porém deu-lhe mãos para trabalhar, bem como mente e coração para contemplar. Se a felicidade do homem consistisse em não fazer nada, o Criador não teria apontado o trabalho para Adão. 
O homem deveria encontrar felicidade no trabalho e também na meditação. Adão deveria ter em grande estima o fato de que ele fora criado à imagem de Deus, a fim de ser semelhante a Ele em justiça e santidade. Sua mente possuía a capacidade de cultivo contínuo, expansão, refinamento e nobreza pois Deus era seu professor, e os anjos seus companheiros.

Do Livro - No deserto da tentação Pgs 8,9

segunda-feira, 19 de junho de 2017

No Deserto da Tentação


Resultado de imagem para imagens de jesus no deserto

Ellen White


Capítulo 1 — 


Confronto no deserto Após o batismo de Jesus no Jordão, Ele foi levado pelo Espí- rito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. Quando saiu da água, inclinou-Se nas barrancas do Jordão e suplicou ao grande Eterno, forças para suportar o conflito com o adversário caído. 
A abertura dos Céus e a descida da excelente glória atestava Seu caráter divino. A voz do Pai declarava o relacionamento achegado de Cristo com Sua infinita Majestade: “Este é o Meu Filho amado em quem Me comprazo.” 
A missão de Cristo começaria logo. Mas Ele deveria primeiro retirar-Se das cenas movimentadas da vida para um solitário deserto, a fim de expressar o propósito de suportar o tríplice teste da tentação em favor daqueles a quem veio redimir. 
Satanás, que tinha sido um honrado anjo no Céu, ambicionava honras mais exaltadas do que as que Deus dera a Seu Filho. Ele se tornou ciumento de Cristo, e afirmou aos anjos, que o honraram como querubim cobridor, que não lhe era conferida a honra que sua posição demandava. Asseverava que deveria ser exaltado com a mesma honra de Cristo. 
Satanás obteve simpatizantes. Anjos no Céu ajuntaram-se a ele em sua rebelião e caíram, com seu líder, da mais alta e santa posição e foram, conseqüentemente, expulsos do Céu juntamente com ele. 

sábado, 10 de junho de 2017

De publicador do Reino das Testemunhas de Jeová a adventista do sétimo dia

Fonte http://www.criacionismo.com.br/2017/06/


De publicador do Reino das Testemunhas de Jeová a adventista do sétimo dia

ex tjNascido em um lar testemunha de Jeová, meus pais sempre me ensinaram a importância de educar segundo os caminhos de Deus (Provérbio 22:6). Desse modo, fui treinado para expandir meu ministério desde criança, colocando no coração e na mente a importância de ser um missionário zeloso. Os métodos que meus avós e pais utilizaram para eu crescer segundo a vontade de Deus consistiram em me instruir ensinando princípios bíblicos e histórias vívidas e interessantes, como as que se encontram na Bíblia. Com 14 anos de idade, após ter estudado vários livros e passado por vários treinamentos ministeriais, aceitei a doutrina da organização Sociedade Torre de Vigia e fui batizado. Após doze anos como “publicador das boas-novas” das Testemunhas de Jeová (mais conhecido como missionário), deparei-me com erros graves ao comparar alguns textos da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas (TNM) com outras traduções da Bíblia, principalmente textos que se referem à divindade de Jesus Cristo e ao Espírito Santo, muitos dos quais foram alterados propositalmente para rebaixar a pessoa de Cristo e colocar o Espirito Santo como uma “força ativa”, não como um agente divino para nossa salvação.
É importante destacar que não é a sinceridade nem a fé de cada testemunha de Jeová que está em questão, mas, sim, que a TNM é uma paráfrase e não uma tradução literal dos idiomas originais. É uma obra deturpada, tendenciosa e cheia de interpolações. Creio que a Comissão da Tradução do Novo Mundo mudou o texto bíblico para se adequar à sua própria doutrina.
Quando percebi que não estava pregando a verdade sobre a pessoa de Cristo e o Espirito Santo, tomando como base a TNM, escrevi uma carta para a comissão judicativa de superintendente e ancião qualificados das testemunhas de Jeová para debater sobre o assunto. Uma semana depois de terem recebido a carta, marcaram uma reunião comigo. O encontro durou oito horas, e ao perceberem que estavam se deparando com verdades bíblicas descritas em Apocalipse 22:18 e 19, não tiveram argumentos convincentes. Logo depois mostrei o texto de Colossenses 2:9 que sofreu alteração na TNM: a palavra original “divindade” foi trocada por “qualidade divina”, para rebaixar a pessoa de Jesus Cristo. A comissão da TNM perverteu e adulterou essa passagem na “Bíblia” deles, retirando a real força de Cristo como divino.
Ora, “qualidade divina” não é a mesma coisa que “divindade”, visto que qualidade divina todo homem mortal tem, ao passo que divindade se refere diretamente a Deus.
Depois de muito debate, não só em torno de um texto, mas de vários, a comissão judicativa das testemunhas de Jeová me desassociou, e logo em seguida assinei um documento segundo o qual a partir daquele eu não mais seria testemunha de Jeová. Naquele mesmo dia, comecei a orar a Deus fervorosamente, pedindo que Ele me revelasse a Verdade. Passei então a frequentar e estudar algumas igrejas da cristandade, porque sempre tive em mente que a Bíblia é regra de fé e prática, e que eu devia estudá-la diariamente, mantendo um estudo regular da Palavra de Deus e muita oração.
Em junho de 2014, resolvi visitar uma igreja batista para frequentá-la, sendo que estava com o desejo de pertencer àquela denominação. Mas não sabia o que Deus estava guardando para a minha vida. Quando estava indo visitar a igreja batista da Olaria, na cidade de Porto Velho, RO, em um culto de domingo, ao caminhar, estava em frente a uma igreja adventista do sétimo dia (central de Porto Velho), que se encontra na mesma rua da igreja batista. Quando eu estava passando na frente do templo adventista, senti que o Espírito Santo estava me guiando e me chamou para entrar naquele templo adventista. Daquele momento em diante, comecei a perceber que Deus estava agindo na minha vida (Romanos 8:14).
Assisti ao culto e permaneci observando tudo, sendo que eu nunca tinha visitado um templo adventista. O que mais me chamou a atenção naquela reunião de Classe Bíblica Novo Tempo foi a segurança do orador em suas palavras, tomando como referência textos bíblico em tudo o que dizia.
A cada minuto que passava eu ficava mais convencido de que o Espírito Santo estava naquela igreja, porque não vi o orador dialogando com pseudodemônios e, muito menos, esses demônios incorporando em pessoas. Quando terminou o culto, sai da igreja adventista do sétimo dia convencido de que naquela igreja estava a verdade. Logo em seguida, resolvi aceitar um estudo bíblico. Depois de alguns meses de estudo, aceitei o dom de salvação, e no dia 19/10/14 fui Batizado por imersão nas águas, tornando-me membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia.
Hoje sou ancião da Igreja Adventista Areal Central de Porto Velho, trabalho também como diretor do Ministério Pessoal da minha igreja, faço parte da equipe distrital de Mordomia e pretendo seguir a “carreira” de pastor. Sabe qual é a minha missão hoje? Evangelizar as testemunha de Jeová, porque sei que existem lá pessoas sinceras que precisam conhecer a verdade que eu conheci.
Um ano depois da minha conversão, recebi outra benção do Criador: conheci e casei na igreja adventista com uma mulher virtuosa chamada Noêmia Carvalho, diretora do Departamento de Saúde da nossa igreja.
Agradeço a Deus por ter ouvido minhas orações e guiado minha vida por meio da Igreja Adventista e de Seu santo Espírito.
(Elison Ferreira é ancião da Igreja Adventista Areal Central de Porto Velho)

sexta-feira, 9 de junho de 2017

O que há de errado com nossas músicas e nossos sermões?


Fonte - http://www.criacionismo.com.br/2017/06/o-que-ha-de-errado-com-nossas-musicas-e.html


O que há de errado com nossas músicas e nossos sermões?


louvorNão é incorreto dizer que muita música gospel ressalta temas como “vitória pessoal” e “paixão por Jesus”. Mas não está totalmente certo dizer que a predominância dessa religião individualista, triunfalista e sentimental é culpa exclusiva dos compositores. Na verdade, esses temas correspondem aos temas predominantemente abordados no púlpito. Proliferam vídeos e sermões que apresentam Deus como o sócio dos empreendedores e Jesus como o ser meigo e bondoso que dá um abraço quando você chora. Não estou dizendo que o Pai e o Filho não Se importam com os problemas da vida humana, mas Cristo não morreu na cruz para levantar minha autoestima. Há quase uma relação direta entre uma sociedade que valoriza tanto o sucesso pessoal e uma igreja que trocou o sermão bíblico pela palestra motivacional. Buscar conforto espiritual não tem nada de errado. Mas queremos tanto resolver nossos problemas profissionais e familiares que, ao chegarmos à igreja, esperamos uma mensagem terapêutica que nos faça rir, chorar (se possível, com um fundo musical) e tomar boas decisões que duram até alcançarmos a porta de saída do templo.
E onde está a Bíblia no púlpito? Use uns poucos versículos fora de contexto para dizer que o indivíduo é a obra-prima de Deus e que Jesus te ama e que Ele quer te dar muito mais do que você possui. Não é exatamente o que dizem muitas letras da música gospel em português ou em inglês?
A canção cristã precisa de mudanças, dizemos. A reforma da música e da adoração está relacionada também à reforma do púlpito, e aí não haverá tantos cânticos teologicamente rasos espelhando sermões biblicamente superficiais.
(Resumo do resumo de um sermão apresentado por Joêzer Mendonça, no qual ele falou sobre a relação entre o conhecimento da Bíblia e a adoração a Deus a partir de dois princípios da Reforma Protestante, o Sola Scriptura [somente a Bíblia] e o Soli Deo Gloria [glória só a Deus]. Joêzer é doutor em música pela Unesp, professor na PUC-PR e autor do livro Música e Religião na Era do Pop.)
Nota: Creio que Joêzer foi ao cerne da questão ao expor um dos grandes motivos de as músicas sacras hoje (com honrosas exceções) serem tão desprovidas de conteúdo bíblico sólido, sendo algumas delas mais parecidas com mantras repetidos ad nauseam com sonoridade dançante calculada para emocionar/empolgar. Trata-se de uma retroalimentação bem ruim: escassez de sermões bíblicos com conteúdo sólido bem preparado (com a mente e com os joelhos) que contribui para a prática de um louvor, de uma conduta e de entretenimentos igualmente não balizada pela cosmovisão bíblica. Longe da Bíblia e sem conhecimento da vontade revelada de Deus, buscam-se paliativos para o vazio e a falta de sentido. [MB]

A resposta a pergunta do título da matéria acima, é um sonoro TUDO

Esta errado as musiquetas de auto ajuda, cantadas de forma misticas de olhos fechados, ou balançadas com requebros de corpo, palmas, gemidos, e recheadas de ôh ôh ôh, uh uh uh, assim como os sermões açucarados que são pregados nos púlpitos
E o motivo por que temos essas músicas e sermões assim,  é um só. O desejo de agradar e fazer sucesso
É muito mais fácil dar o que o povo quer, do que o povo precisa. Subir ao púlpito, com a Bíblia na mão, para mostrar a verdade, e reprender o erro, não é tarefa fácil, pastor que assim o faz, logo é rotulado de: conservado, radical, extremista, fanático e outros adjetivos. Alguns se levantam e vão embora, resmungando e dizendo: "eu vim a igreja para ouvi falar de amor, não do pecado de ninguém" 
Por isto é mais fácil fazer um sermão de auto ajuda. Dá mais IBOPE
Dá mesma forma as músicas. Cantar músicas de adoração, musicas que enlevam a alma, não faz sucesso. Hoje, no mundo da música popular, o que vale é o balanço, o ritmo, a letra fácil e a melódia barata. Quem vem para a igreja, espera ouvir uma música "gospel" parecida com a que eles esta acostumado a ouvir lá fora. Se nossos cantores fizerem uma música diferente, não farão sucesso. Daí essa enxurrada de sermões e músicas baratas que permeiam nossos púlpitos 

Manoel Barbosa da Silva

Leia também: “Música, sexo e drogas têm o mesmo efeito sobre o cérebro” (leia especialmente minha nota)

Pastor acusado de “crimes contra a humanidade” desafia preconceito de juiz

Todo cristão sabe que haverá "um tempo de angústia" como esta na linguagem bíblica, ou  "perseguição"  também chamado por muitas igrejas de "tribulação". O que muita gente não desconfia é que esse tempo já chegou e faz tempo.
Angústia, perseguição e tribulação é o quinhão de muitos cristãos ao redor do mundo. muitos tem sido mortos, simplesmente por confessar a Cristo, outros por defenderem os princípios bíblicos, e muitos tem sido perseguidos dentro da sua própria igreja, apenas por defender um estilo de vida crista mais conservador. esse são logo rotulados de extremistas, fanáticos e desequilibrados
Defender os princípios bíblicos não tem sido tarefa fácil no mundo de hoje, e tudo leva a crer, que ficará mais difícil, principalmente, para quem afirmar que as praticas homossexuais, são erradas e condenadas por Deus
Um pastor nos Estados Unidos, Scott Lively, foi levado a um tribunal, acusado de crime contra a humanidade, por pregar contra o homossexualismo. E crime contra a humanidade lá é pena de morte

Leia a matéria abaixo

Pastor acusado de “crimes contra a humanidade” desafia preconceito de juiz

Um tribunal federal dos EUA cessou seu processo contra o Pastor Scott Lively, reconhecendo que não existe base na lei americana para condenar o pastor por “crimes contra a humanidade” por falar contra o comportamento homossexual.
Scott Lively
Mesmo assim, o juiz federal Michael A. Ponsor, conhecido por seu apoio à agenda LGBT, deixou o caso contra o Lively se arrastar desnecessariamente desde 2013, custando ao pastor inúmeras horas de batalhas judiciais.
Mesmo sem base para condenar, o juiz Ponsor sustentou a alegação de que o pastor violou as leis internacionais de “crimes contra a humanidade.”
Para extinguir essa linguagem preconceituosa e hostil do juiz, Lively, com o apoio do escritório de advocacia evangélica Liberty Counsel, decidiu pela continuação do processo que o juiz encerrou.
O processo foi iniciado originalmente por uma entidade homossexual ugandense chamada Sexual Minorities Uganda (SMUG), que foi usada como fachada por organizações esquerdistas internacionais para destruir o ministério de Scott Lively.
O processo, de forma enganosa, acusava o pastor de querer pena de morte para os homossexuais, usando como base um discurso que Lively havia feito no Parlamento de Uganda, mas tudo o que o juiz Ponsor conseguiu provar é que Scott defende terapia para libertar homossexuais.
O processo só ganhou força nos EUA porque a entidade homossexual ugandense foi representada pelo Centro de Direitos Constitucionais, entidade esquerdista americana que recebe financiamento de George Soros. Havia um batalhão de advogados esquerdistas lutando contra o pastor.
Se Scott não prosseguisse o processo, iria pairar no ar a acusação de “crimes contra a humanidade,” que o juiz Ponsor confirmou, e cedo ou tarde isso poderia acarretar em problemas legais para o pastor e até virar precedente contra outros pastores.
Com a decisão de Scott prosseguir o caso, o escritório de advocacia Liberty Counsel espera desafiar e derrotar a linguagem preconceituosa de “crimes contra a humanidade” e outros termos usados pelo juiz que estão em conflito com a realidade.
Ore pelo Pr. Scott Lively.
Com informações da revista Charisma.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

VOCÊ PRECISA ORAR MAIS


Nós Devemos Orar Mais


Aldenir Araujo 

Texto: 1 Coríntios 13:12


Introdução: Deixe-me fazer uma pergunta….

Você crê que Deus responde à oração?

Você acredita que Deus ainda pode abrir um Mar Vermelho, que Deus ainda pode curar os doentes, que ele pode fazer com que os cegos vejam, fazer com que os coxos andem e fazer com que os corações mais endurecidos mudem?

Você acredita que Deus ainda pode transformar pessoas como Saulo em alguém como o Apóstolo Paulo?

Você sabe o que ... eu faço, e eu quero que minha vida seja um reflexo do poder de Deus ... um Deus que não só pode responder orações, mas que responde orações.

Quero falar com vocês nesta noite porque devemos orar e como devemos orar e implorar para orarmos mais.

Quero tomar um momento hoje e ensiná-lo sobre a oração. Eu quero abordar quatro pontos simples:

Por que devemos orar?

1. A oração é como a respiração espiritual.

Se você parasse de respirar, deixaria de viver. A oração é basicamente a nossa respiração espiritual. É como nós permanecemos conectados com Deus. É como nós falamos com ele e como ele nos conduz e nos responde.

O Novo Testamento ensina que a oração não é apenas algo que fazemos ocasionalmente; é algo que fazemos continuamente. 1 Tessalonicenses 5:17 diz: "orai sem cessar".

Você pode orar porque quer orar ou porque precisa, mas se não orar, sua alma nunca será saudável.

O pregador britânico do século XIX, Charles Spurgeon certa vez observou: "você não espera que uma planta cresça sem ar e água, como você pode esperar que seu coração cresça sem oração?"
Quando Jesus caminhou sobre a terra, Ele era Deus. Se alguém tinha uma desculpa para não orar, era Jesus; Ele já tinha tudo o que precisava e todo o poder e provisão no mundo.
No entanto, os Evangelhos observam que Jesus "frequentemente se retirava para lugares solitários para orar" (Lucas 5:16).

2. A oração é como Deus muda-nos, mas também é como ele muda o mundo.

"Se você acreditasse no poder da oração, você oraria mais?

Mais e mais, estou convencido de que o mundo seria um lugar muito melhor se tomássemos a oração mais a sério. A oração não é apenas uma prática espiritual, é o meio pelo qual Deus muda nossas vidas e muda o mundo.

A oração não é apenas útil, é importante.

A oração é uma responsabilidade que cada um de nós tem para trazer mais do Céu para este mundo muitas vezes corrompido.

Veja, eu creio que Deus não apenas ouve nossas orações, mas que ele responde a elas. Creio que Deus não está apenas ciente de nós, mas que está profundamente preocupado por nós.

Eu acredito que ele intervém de maneiras milagrosas com mais frequência do que pensamos, e essa coincidência é muitas vezes a maneira de Deus permanecer anônimo.

Deus não é apenas real e vivo, ele também está trabalhando em nossas vidas. Ele é "um amigo mais chegado do que um irmão", ele é "um auxílio sempre presente em nosso tempo de necessidade", e com ele "tudo é possível".

Eu nunca estive mais convencido do poder de Deus e nunca estive mais convencido de que ele responde à oração.

A oração traz mais Céu para este mundo corrompido.

Isso me lembra o Livro de Neemias, que registra a história dos israelitas voltando a Jerusalém para reconstruir o muro em volta da cidade, mesmo quando eles permaneciam em cativeiro nas mãos dos ferozes babilônios. Um reino conquistador NUNCA deixaria seus cativos reconstruir sua cidade, mas Neemias 1:4 diz que um israelita - que trabalhava para o Rei de Babilônia - começou a "jejuar e orar diante do Deus do Céu".

Quando ele começou a orar, o mundo começou a mudar.

Talvez este mundo esteja mais louco e corrompido porque a igreja ora cada vez menos.

3. Jesus nos disse que devemos orar.

Quando você pergunta "por que devemos orar?" eu não deveria esquecer de lembrá-lo de que Jesus nos ensinou a orar. Lucas 11:2 diz, "quando orares, diz: 'Pai, santificado seja o teu nome ...'"

Você notou a palavra: "quando"

Ele não disse "se"

Ele disse "quando".

Se você é cristão, você é uma pessoa de oração.

Como devemos orar?

1. Ore com fé.

Muitas vezes oramos porque "esperamos" que algo aconteça, mas Hebreus 11:1 nos lembra: "fé é confiança no que esperamos e certeza sobre o que não vemos".

Jesus nos disse em Mateus 21:22 "Se crerdes, recebereis".

Deus responde a todas as nossas orações. Às vezes ele diz "sim" e às vezes ele diz "não" e às vezes ele diz "não agora", mas tenha certeza de que ele está ouvindo e ele está respondendo, mas ele está esperando que nós oremos crendo que Deus PODE fazer qualquer coisa.

Quando oramos, a fé não é sobre o que obtemos de Deus, é sobre o que pensamos de Deus.

E toda vez que você orar você precisa crer que com "Deus todas as coisas são possíveis".

2. Ore de manhã e à noite e a cada momento entre a manhã e à noite.

Jesus nos deu muitos conselhos práticos sobre a oração, e também nos deu o exemplo de sua própria vida. Marcos 1:35 diz: "De madrugada, ainda bem escuro, levantou-se, saiu e foi a um lugar deserto, e ali orava"

Jesus começou seu dia com oração.

Em Mateus 6: 6 Jesus nos disse: "Quando você orar, vá para o seu quarto e feche a porta"
Ele sabia que a distração era o inimigo da oração, e há 2000 anos ele nos aconselhou a fechar o mundo quando travamos nosso tempo com Deus. Imagine o quanto mais verdadeiro isso é hoje - nesta era digital - do que era então?

O conselho de Jesus é tão bom no século XXI quanto no século I.

Se você não fecha o mundo quando ora, você tem dificuldade em abrir seu coração a Deus.

Nesta semana, orem de manhã e orem à noite e orem quando se lembrarem disso.

Há muito tempo atrás alguém me deu um grande conselho sobre a oração, quando orar:

  • Adoração - Dê louvor a Deus
  • Confissão - confesse seus pecados
  • Ação de graças - agradeça a Deus por sua provisão
  • Súplica - leve a Deus seus pedidos
3. Ore com honestidade e autenticidade
Você pode ser honesto com Deus. Você não tem que ter dominado o grego antigo, você não tem que pensar antes de falar. Hebreus 4:16 diz “Cheguemo-nos, pois, confiadamente ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno”

Jesus pode tomar suas emoções, suas perguntas, suas preocupações. Quando você orar, fale o que está em sua mente. A sala do trono de Deus é agora um lugar seguro para você.

"Um homem é o que ele é de joelhos diante de Deus, e nada mais" Robert Murray M'Cheyene

Você vai orar mais?

1. Você precisa que você ore mais, sua família precisa que você ore mais, o mundo precisa que você ore mais.

Ore regularmente, ore diligentemente, ore apaixonadamente e ore orações tão grandes quanto seu Deus.

Quando penso em orar por minha família, penso no espírito em uma famosa citação de EM Bounds: "Nossa oração precisa ser pressionada e perseguida com uma energia que nunca se cansa, uma persistência que não será negada e uma coragem que nunca falha"

2. Você nunca sabe o que sua vida poderia ter sido se tivesse orado mais.

Jesus disse algo incrível em Mateus 7:7: "Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á". Mas o que eu quero ter certeza que você entende é que o oposto também é verdade. Se você não pedir, você não receberá. Se você não buscar, você não achará. Se você não bater, a porta não será aberta para você.

Nunca sabemos o que nossas vidas poderiam ter sido se orássemos mais.

3. A oração é uma bênção.

Obtenha esta disciplina enraizada profundamente em sua vida, e não só irá mudá-lo que você vai atraí-lo. Você vai olhar para a frente ao seu próximo momento com Deus e você verá Deus mover-se em poder maneiras em sua vida.

A oração é a maneira de Deus fazer milagres, é a maneira de Deus mudar o mundo, mas nada disso acontece se a oração não for uma prioridade.

Conclusão / Convite:

Eu sei que alguns de vocês estão passando por um momento particularmente difícil. Talvez você esteja lutando com a oração porque está lutando com a fé.

Talvez uma tragédia tenha acontecido em sua vida. Talvez você esteja passando por um período de crise relacional, financeira ou espiritual.

Talvez você mal chegou aqui hoje porque foi difícil para você encontrar a força para sair da cama.
Talvez você esteja perguntando a Deus, "por quê?"

Enquanto o sermão desta noite não é sobre responder a essa pergunta, que é para outro sermão em outro dia, eu diria apenas algumas coisas para você ....

Primeiro, este não é o momento de fugir da oração, mas correr para ela. Não é o momento de fugir de Deus, mas correr para ele.

C.S. Lewis escreveu: "Deus sussurra para nós em nossos prazeres, fala na nossa consciência, mas grita nas nossas dores"

Em vez de perguntar a Deus "por quê?", Por que você não começa perguntando a si mesmo "quem?", por quem você está orando?

1 Coríntios 13:12 diz: "...agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido". Se apenas conhecemos em parte, é essencial que confiemos em Deus a curto prazo. É apenas olhando para trás que vamos ver plenamente e compreender as nossas dificuldades presentes. Agora é a hora de confiar Nele.

A melhor coisa que você pode fazer pelo seu coração partido hoje é ficar de joelhos e orar.

Você descobrirá que Deus já está presente, "Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis" Romanos 8:26

Fonte - http://www.opregadorfiel.com.br/2017/05

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Postagens de Destaque