domingo, 2 de abril de 2017

A EXPIAÇÃO DIÁRIA E ANUAL

Resultado de imagem para imagens do santuário celestial

A EXPIAÇÃO DIÁRIA E ANUAL

PREFÁCIO: O presente estudo, pretende explicar os seguintes pontos: 
1) O que é expiação diária e anual.                        
2) Qual a diferença entre os serviços do cerimonial típico e antitípico. 
3) Lá no céu, há uma expiação anual?
Que Deus possa lhe abençoar através dessa leitura!

POR QUE ESTUDAR ESTE TEMA?
“O assunto do santuário e do juízo de investigação, deve ser claramente compreendido pelo povo de Deus. Todos necessitam para si mesmos de conhecimento sobre a posição e obra de seu grande Sumo Sacerdote. Aliás, ser-lhes-á impossível exercerem a fé que é essencial neste tempo, ou ocupar a posição que Deus lhes deseja confiar”. CS 117

Definição da Palavra Expiação:                                         Do hebraico – Kaphar  - que pode ser: propiciar ou encobrir por cima. 
Do grego – ilasmós – propiciação. 
Do latim - expiatione – 
E significa: Reconciliação, Remissão, Purificação de Faltas.
  
Noções Fundamentais
Sob as sombras do Monte Sinai, Deus entregou ao povo de Israel a lei de sacrifícios.  Levítico 1. O sangue derramado destes animais apontavam para o precioso sangue de Cristo que um dia seria vertido por nós. Lucas 22:20
Era através do sangue que acontecia a expiação: “Porque a alma da carne está no sangue, pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pela vossa alma, porquanto é o sangue que fará expiação pela alma”. Levítico 17:11.

A expiação servia para o perdão de pecados, para purificar as pessoas, o Santuário e os utensílios sagrados. 

Números 15:28, Ezequiel 43:22,26. Levítico 16:30,33.

O livro de Hebreus expressa a dupla função do sangue nas seguintes palavras:  “Quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão...Hebreus 9:22.

 É importante notar que para cada ocasião havia uma expiação. Mas podemos dividi-la em expiação diária e  expiação anual.

A EXPIAÇÃO DIÁRIA

Dia após dia era feito expiação pelos pecados dos ofertantes: “Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando algum de vós oferecer oferta ao Senhor , oferecereis as vossas ofertas de gado, de vacas e de ovelhas... E porá a sua mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito por ele, para a sua expiação”. Levítico 1:2, 4

O Local Da Expiação

A vítima era sacrificada  no altar de holocausto. Levítico 1:5;  e em alguns casos o sangue era introduzido até ao lugar Santo do tabernáculo. Levítico 4:6,17

Ocasiões

A expiação diária acontecia  também nos dias das Festas. Na maioria das vezes o bode era o animal oferecido para este fim. Veja alguns exemplos:

· Na Festa da Lua Nova. Números  28:11-15
· Na Festa da Páscoa.      Números 28:16-22
· Na Festa  das Primícias.  Números 28: 26-30
· Na Festa das Trombetas. Números 29:1-5
· No próprio dia da Expiação.  Números 29:7- 
  • Na Festa dos Tabernáculos. Nestes dias eram oferecidos oito bodes para expiação de pecados. Um para cada dia. Números 29:16,19,22,25,28,31,34,38.

OUTRAS OCASIÕES DE EXPIAÇÃO

·  Por pecados de ignorância.  Números 15:22, 24
·  Na consagração de sacerdotes Levítico 8:1-36
·  Na oferta para o holocausto Levítico 1:1-6
• Nos pecados cometidos contra o próximo . Levítico  6:1-7
· Na expiação pela culpa. Levítico 7:1-7.

Havia porém, inúmeros outros casos a qual não iremos relatar.

O SIGNIFICADO PARA HOJE

Levando em conta que não se expiava pecados sem sacrifício; temos então, na morte de Cristo, a real expiação de pecados.  Colossenses 1:14, Mateus 26:28.
Levando em conta, o tanto de  animais que eram mortos, temos em Cristo uma única morte. Hebreus 9:28
Levando em conta que a expiação produzia reparação,  reconciliação e perdão das culpas. Temos na morte e na  interseção diária de Cristo, este real benefício. Colossenses 1:20. 
Ver também: 1 João 2:1-2. Hebreus 9:24. Efésios 2:15-18
Levando em conta o local em que era ministrada a expiação diária, temos a seguinte representação:  O ministério do sacerdote, durante o ano todo, no primeiro compartimento do santuário, “para dentro do véu” que formava a porta e separava o lugar santo do pátio externo, representa o ministério em que entrou Cristo ao ascender ao Céu... durante dezoito séculos este ministério continuou no primeiro compartimento do santuário”.  GC 420,421

A EXPIAÇÃO DIÁRIA CONTAMINAVA O SANTUÁRIO

Examine primeiro  Levítico 1:4-5 e o capítulo  10:12-18

E em seguida compare com o   comentário da Sra. White:

Dia após dia, o pecador arrependido levava sua oferta à porta do tabernáculo, e, colocando a mão sobre a cabeça da vítima, confessava seus pecados, transferindo-os assim, figuradamente, de si para o sacrifício inocente. O animal era então morto...Por esta cerimônia, o pecado transferia-se, mediante o sangue, em figura, para o santuário. Em alguns casos o sangue não era levado para o lugar santo; mas a carne deveria então ser comida pelo sacerdote conforme Moisés determinou aos filhos de Arão, dizendo: “O Senhor a deu a vós, para que levásseis a iniqüidade da congregação.” Levítico 10:17. Ambas as cerimônias simbolizavam, de igual modo, a transferência do pecado do penitente para o santuário”. GC 418.1

COMO O SANTUÁRIO E  O POVO ERAM PURIFICADOS

A Bíblia declara: “Quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão...” (Hebreus 9:22)

Esta purificação ocorria apenas uma vez ao ano.


A EXPIAÇÃO ANUAL

Era um dia específico:
“Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: Mas, aos dez deste mês sétimo, será o Dia da Expiação...” Levítico 23:26-27

Só neste dia o Sumo Sacerdote entrava no segundo compartimento do Santuário.

“mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo; Hebreus 9:7

Só Neste Dia O Santuário e  seus utensílios eram purificados.

E daquele sangue espargirá sobre ele com o seu dedo sete vezes, e o purificará das imundícias dos filhos de Israel, e o santificará.  Havendo, pois, acabado de expiar o santuário, e a tenda da congregação, e o altar, então, fará chegar o bode vivo”. Levítico 16:19-20

Só Neste Dia O Povo Era Totalmente Purificado:

  “Porque, naquele dia, se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados, perante o Senhor Levítico 16:30

Só neste dia o Santuário era purificado dos pecados dos filhos de Israel, e também de suas imundícias.

“Assim, fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas transgressões, segundo todos os seus pecados; e, assim, fará para a tenda da congregação, que mora com eles no meio das suas imundícias”. Levítico 16:16


DETALHANDO O RITUAL

1) Dois bodes eram  apresentados diante da Tenda da Congregação e sobre eles eram lançados sorte. Um deles  era  para  o Senhor e o outro, para ser o bode emissário. Levítico 16:7-8

2. O bode pelo Senhor era  morto e o seu sangue era  introduzido  no santíssimo lugar para expiação,  purificação do Santuário e  do povo.  Levítico 16:9,19,20

 3. Na cabeça do bode Azazel eram  depositados os pecados do povo de Deus,  e depois  ele era  enviado ao deserto Levítico 16:21-22

  4. Fora da tenda da  congregação, o povo deveria  acompanhar com aflição de alma e sem nenhuma atividade secular. A desobediência era punida com a morte. Levítico 16:29; 23:29


OBSERVANDO OS DETALHES

Observe que: Todos os dias havia expiação pelos pecados. Mas apenas uma vez ao ano, havia uma purificação do povo, do Santuário e dos seus utensílios.

Observe também: Neste mesmo dia o Sacerdote que entrava no Santíssimo Lugar, também saia. Neste mesmo dia o bode emissário era banido para a terra solitária. Nada era feito em outro dia. Tudo isto acontecia num espaço de 24horas

FIGURAS DA REALIDADE

O Apóstolo Paulo declara assim: “O trabalho que esses sacerdotes fazem é, de fato, somente uma cópia e uma sombra do que está no céu. Foi isso que aconteceu quando Deus falou com Moisés. Quando Moisés estava para construir a Tenda, Deus disse: “Tenha cuidado para fazer tudo de acordo com o modelo que eu lhe mostrei no monte. Hebreus 8:5 (NTLH).

Ellen White também afirma: “Tal era o serviço efetuado como “exemplar e sombra das coisas celestiais.” E o que se fazia tipicamente no ministério do santuário terrestre, é feito na realidade no ministério do santuário celestial”. GC 420

TUDO EXATAMENTE IGUAL?

Estas afirmações acima,  devem ser  compreendidas, olhando primeiro  as diferenças que  existem entre os dois sistemas.  Um análise profundo, revela dessemelhanças: Tudo no Santuário celestial é infinitamente maior. Tudo lá  é infinitamente superior. Tudo que se cumpre ali, se cumpre numa gigantesca dimensão.

Observe as frases do livro de Hebreus,  apontando  esta superioridade:

Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele também Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas.Hebreus 8:6

“Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens sujeitos à fraqueza, mas a palavra do juramento, que foi posterior à lei, constitui o Filho, perfeito para sempre”. Hebreus 7:28

“Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação” Hebreus 9:11

O primeiro Tabernáculo era  um pálido reflexo do segundo. É por isso que o escritor fala de um  Santuário maior e mais perfeito.

Ele também acrescenta:

“Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas, nunca jamais pode tornar perfeitos os ofertantes, com os mesmos sacrifícios que, ano após ano, perpetuamente, eles oferecem.” Hebreus 10:1

Vamos identificar algumas dessas diferenças:


1. DIFERENÇA NO SACERDÓCIO

No primeiro Tabernáculo oficializava sacerdotes mortais da tribo de Levi. No segundo, um Sacerdote imortal, vindo da tribo de Judá.  Hebreus 7:5,14,23,24

2. DIFERENÇA DO SANGUE

No primeiro Tabernáculo era oferecido sangue de animais. No segundo, é oferecido o sangue de Cristo. Hebreus 9:12

3. DIFERENÇA  NO LOCAL  DA CONSTRUÇÃO

O primeiro Tabernáculo foi construído na Terra por mãos humanas. O segundo, foi construído no Céu pelo próprio Deus. Hebreus 9:1,11; 8:1-2

4. DIFERENÇA NO TEMPO EM QUE OCORRE A EXPIAÇÃO

Cristo tem um sacerdócio eterno e ministra num santuário eterno. Hebreus 7:24 Sendo eterno, o tempo de Cristo é diferente do nosso.

“Porque mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem que passou, e como a vigília da noite” . Salmos 90:4
“Mas, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos, como um dia”. 2Pedro 3:8

Se as Tardes e Manhãs de Daniel 8:14, não são dias literais, mas são simbólicos, então o dia da Expiação que faz parte  desta mesma profecia, também é  simbólico.

Os ciclos das Festas Judaicas ocorriam dentro do período de um ano. Levítico 23. Mas  o cumprimento profético dessas festas, não ocorreram em um ano. Mas percorre centenas  de anos. Começou a partir do ano 31 DC. E se estende até ao tempo do fim.                   

Quando se trata  de profecia, o tempo literal se dilata. É simbólico.                         

Portanto, se conclui  que o dia  de expiação no céu, ultrapassa  um período simples de 24 horas.


5. DIFERENÇA NO ESPAÇO FÍSICO

● Os Sacerdotes não entravam a todo o tempo no santíssimo lugar. Por quê? Qual o motivo?

 “Disse, pois, o Senhor a Moisés: Dize a Arão, teu irmão, que não entre em todo tempo no lugar santo, para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra; porque aparecerei na nuvem sobre o propiciatório.  Levítico 16:2

O motivo é claríssimo: Havia uma limitação humana. 

Mas em Relação a Jesus é dito:  “mas este, havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, está assentado para sempre à destra de Deus”. Hebreus 10:12

Aqui existe outra razão pela qual a Expiação no céu, segue  outra dimensão  de tempo e espaço. O primeiro serviço era realizado por sacerdotes que não podiam entrar na presença de  Deus em todo tempo. Mas no segundo, temos Um, que a todo tempo está com o Pai, intercedendo por nós.
Além do mais, o espaço não limita a presença de Cristo – como limitava aqueles sacerdotes - pois sendo Deus, Jesus pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo.
“Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles”. Mateus 18:20


6. DIFERENÇAS NA FUNÇÃO

Os que oficializavam no templo dedicavam-se apenas ao ofício sacerdotal. Números18. Mas Cristo, é  Sumo Sacerdote. Hebreus 8:1. Ele é  Deus. Hebreus 1:9. É Criador. Joao 1:3. Ele também é Rei. Apocalipse 19:16. É Juiz. Joao 5:22. É  Advogado. 1. João 2:1
Como um ser Divino,  Jesus  exerce todas estas funções ao mesmo  tempo, sem cansar e sem se atrapalhar.


 7. DIFERENÇA NA  EFICÁCIA DO SANGUE

Observe o que é dito sobre o sangue de animais: “porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire pecados”. Hebreus 10:4

Se tais sacrifícios eram ineficazes, o que acontecia a cada ano?  

“Doutra maneira, teriam deixado de se oferecer, porque

purificados uma vez os ministrantes, nunca mais teriam 

consciência de pecado. Nesses sacrifícios, porém, cada ano, 

se faz comemoração dos pecados.“ Hebreus 10:2-3


Mas em relação ao sangue  de Cristo é dito: “Porque, com uma só oblação, aperfeiçoou para sempre os que são santificados”. Hebreus 10:14
  “...e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. I João 1:7

DIFERENÇA NA QUANTIDADE DE ENTRADA

 Hebreus esclarece que Jesus rompeu o modelo. Não é anual­mente, mas apenas uma vez Ele entrou no lugar santo, e munido de seu próprio sangue. Hebreus 9:7,12

LEMBRANDO ENTÃO:

O texto que afirma o seguinte: “... E o que se fazia tipicamente no ministério do santuário terrestre, é feito na realidade no ministério do santuário celestial” GC 420.        E o texto  de  Hebreus 8:5,  devem  ser interpretados à luz das próprias diferenças que a  Bíblia apontam entre os dois Santuários e seus serviços.

ALGO IMPOSSÍVEL
O que acontecia logo após a purificação do Santuário? 

“Havendo, pois, acabado de expiar o santuário, e a tenda da congregação, e o altar, então, fará chegar o bode vivo”.

Levítico 16:20

O bode vivo era responsabilizado pelos pecados do povo e levado à terra solitária. Levítico 16:21-22

Isto equivale a dizer que quando Jesus terminar de purificar o santuário do céu, Ele sairá do santíssimo lugar e confessará os pecados do povo de Deus na cabeça de Satanás; e este será preso por mil anos. Apocalipse 20:1-2

Este evento não pode acontecer anualmente. É impossível que Jesus saia do santuário para prender Satanás a cada ano. Isto só pode  ocorrer uma única vez. Apocalipse 20:1-2.

Esta Expiação também,  não  pode ocorrer num período de 24horas. Visto que entre o início do Juízo Investigativo (1844), o  encerramento da obra expiatória, as sete últimas pragas, a volta de Cristo,  e a prisão de Satanás, são acontecimentos que não cabem  em um dia literal. Isto certamente nos leva a conclusão de que: o dia antitípico representa um tempo profético.


ELLEN WHITE RELACIONA  O DIA DA EXPIAÇÃO A UM TEMPO

Vivemos hoje no grande dia da expiação”. GC 489
“A obra do juízo que começou em 1844, deve continuar até que os casos de todos estejam decididos, tanto dos vivos como dos mortos; disso se conclui que ela se estenderá até ao final do tempo de graça para a humanidade...A fim de que os homens possam preparar-se..” GC 435.2


DENTRO DESSE TEMPO A PROFECIA SE CUMPRE UMA VEZ

 “Como no serviço típico havia uma expiação ao fim do ano, semelhantemente, antes que se complete a obra de Cristo para redenção do homem, há também “uma expiação” para tirar o pecado do santuário. Este é o serviço iniciado quando terminaram os 2.300 dias..."  GC 421.2
Claríssimo! Na visão da escritora, o dia da expiação representa o último tempo da graça iniciado em 1844.  E dentro desse tempo, a profecia se cumpre uma vez.


MAS ERA UMA VEZ A CADA ANO

 No cerimonial típico, a expiação acontecia todos os anos. Mas tal repetição não são provas de que aconteceria de igual modo no cerimonial antitípico. Mas prova o contrário; prova que elas se cumprem em uma única vez.
 Basta olhar que outros rituais eram repetidos com imensa intensidade querendo apenas apontar para um único evento. Veja  alguns exemplos:


MUITOS RITUAIS   APONTANDO PRA UM

A – Milhares de animais mortos apontando para uma única morte:                                

Doutra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo; mas, agora, na consumação dos séculos, uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. Hebreus 9:26.

B – Milhares de sacerdotes apontavam para um Sacerdote:

“Na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer, mas este, porque permanece para sempre, tem o seu sacerdócio perpétuo. Hebreus: 7:23- 24.

C – Milhares de sacrifícios imperfeitos, apontavam para um único sacrifício perfeito:

 “Ora, todo sacerdote se apresenta dia após dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar pecados;  mas este, havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, assentou-se para sempre à direita de Deus.  Hebreus: 10:11-12.

D – Os sacerdotes entraram milhares de vezes naquele  santuário. Indicando que Jesus entraria uma vez:

  “não pelo sangue de bodes e novilhos, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no santo lugar, havendo obtido uma eterna redenção... nem também para se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote de ano em ano entra no santo lugar com sangue alheio". Hebreus: 9:12,25

E – Milhares de bodes foram banidos inúmeras vezes para indicar uma única expulsão:

E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre. Apocalipse 20:10

F - Milhares de expiação apontavam para uma única expiação: “...e tirarei a iniquidade desta terra, em um dia”. Zacarias 3:9

G - Uma única expiação fará o que milhares de expiações não fizeram.   “Naqueles dias e naquele tempo, diz o Senhor

 , buscar-se-á a maldade de Israel e não será achada; e os pecados de Judá, mas não se acharão, porque perdoarei os que eu deixar de resto”. Jeremias 50:20

Fica claríssimo que as  intensas repetições em milhares de cerimônias, apontam para um único acontecimento. 


AQUELES RITUAIS APONTAVAM PARA UM ÚNICO EVENTO 

A –“Quando Cristo, pelo mérito de Seu próprio sangue, remover do santuário celestial os pecados de Seu povo, ao encerrar-se o Seu ministério, Ele os colocará sobre Satanás, que, na execução do juízo, deverá encarar a pena final. O bode emissário era enviado para uma terra não habitada, para nunca mais voltar à congregação de Israel. Assim será Satanás para sempre banido da presença de Deus e de Seu povo, e eliminado da existência na destruição final do pecado e dos pecadores”. GC 422.2

B – “... a purificação do santuário era o último serviço realizado pelo sumo sacerdote no conjunto anual das cerimônias ministradas. Era a obra encerradora da expiação — uma remoção ou afastamento do pecado de Israel. Prefigurava a obra final no ministério de nosso Sumo Sacerdote no Céu, pela remoção ou obliteração dos pecados ... ”CS 72.3

C – “Assim como na expiação final os pecados dos verdadeiros arrependidos serão apagados dos registros do Céu, para não mais serem lembrados nem virem à mente, assim no serviço típico eram levados ao deserto, para sempre separados da congregação”. PP 255.5

D  – “e uma vez ao ano sua mente era transportada para os acontecimentos finais do grande conflito entre Cristo e Satanás, e para a final purificação do Universo, de pecado pecadores”. PP 255.6

 “e tirarei a iniquidade desta terra, em um dia. Zacarias 3:9 (e não como sendo a cada ano)

Bem claro! Cada expiação apontava para um único evento. A expiação final.

O JUÍZO INVESTIGATIVO ESTÁ EM ANDAMENTO

Está escrito: “...assentou-se o juízo, e abriram-se os livros’. Daniel 7:10

No tempo indicado para o juízo — o final dos 2.300 dias, em 1844 — iniciou-se a obra de investigação e apagamento dos pecados. Todos os que já professaram o nome de Cristo serão submetidos àquele exame minucioso. Tanto os vivos como os mortos devem ser julgados “pelas coisas escritas nos livros, segundo as suas obras”. GC 486.1

  “Assistido por anjos celestiais, nosso grande Sumo Sacerdote entra no lugar santíssimo, e ali comparece à presença de Deus a fim de Se entregar aos últimos atos de Seu ministério em prol do homem, a saber: realizar a obra do juízo de investigação e fazer expiação por todos os que se verificarem com direito aos benefícios da mesma”. GC 479.3


JESUS  COMPARECE AGORA

“Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus”. Hebreus 9:24

“Como houvessem estudado o assunto do santuário, chegaram a compreender a mudança operada no ministério do Salvador, e viram que Ele agora oficiava diante da arca de Deus, pleiteando com Seu sangue em favor dos pecadores”. GC 433.1

Agora, enquanto nosso grande Sumo Sacerdote está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo”. GC 623
AGORA DEVEMOS NOS HUMILHAR
“No cerimonial típico, enquanto o sumo sacerdote fazia expiação por Israel, exigia-se de todos que afligissem a alma pelo arrependimento do pecado e pela humilhação, perante o Senhor, para que não acontecesse serem extirpados dentre o povo. De igual modo, todos quantos desejem seja seu nome conservado no livro da vida, devem, agora, nos poucos dias de graça que restam, afligir a alma diante de Deus, em tristeza pelo pecado e em arrependimento verdadeiro”. GC 489


AGORA É O GRANDE DIA DA EXPIAÇÃO

Que toda pessoa se humilhe agora diante de Deus, pois agora vivemos realmente no grande Dia da Expiação. Agora mesmo, os casos de muitos estão sendo examinados perante Deus, pois eles terão de dormir em suas sepulturas por um pequeno período de tempo”. EF 722

Agora não é amanhã.  Agora não é no próximo ano. Agora representa urgência. Agora quer dizer hoje. Agora vivemos realmente no grande Dia da Expiação. 


MENSAGEM PARA REFLEXÃO

“Eu sei que a questão do santuário se firma em justiça e verdade, tal como a temos mantido por tantos anos. O inimigo é que desvia os espíritos para atalhos ao lado... Obreiros Evangélicos, 303. CS 19.5

Deus nos Abençoe!


Autor: Gerson de Menezes Silva.

Gerson de Menezes Silva é ex Pastor da "Igreja Adventista da Completa Reforma" , e Neto do seu fundador , José gomes de Menezes. 
O irmão Gerson hoje é ancião da "Igreja Adventista do Sétimo Dia", e colaborador deste Blog

Postagens de Destaque