terça-feira, 4 de abril de 2017

O DIA DA EXPIAÇÃO – UMA SOMBRA


Resultado de imagem para imagens da purificação do Santuário


O DIA DA EXPIAÇÃO – UMA SOMBRA



RECAPITULANDO:







No estudo anterior, vimos  que a expiação era anual por tais  motivos.
1.  Os sacerdotes não podiam a todo tempo  entrar na presença de Deus. Levítico 16:2
2. O sangue de animais eram imperfeitos. Hebreus 10:2-3.

3. As repetições cerimonias apontavam sempre para um evento. Hebreus 9:26
4. Todo o ritual era uma pálida  sombra de bens futuros. Hebreus 10:1

Vimos também que a expiação no céu, ocorre em um tempo profético,  porquê:

1. Jesus está sempre na companhia do Pai. Hebreus 10: 12

2. O sangue de Cristo é eficaz  Hebreus 9:7,12

3. O período de 24 horas para a expiação, é símbolo de um tempo maior. Ex. Daniel 8:14. Salmo 90:4

4. Todo o ritual do Céu é realidade plena daquela sombra. Hebreus 9:11

Com tais razões apresentadas  ainda perguntamos: O povo de Deus deve observar o dia cerimonial da expiação como era observado no passado?



DEVEMOS OBSERVAR ESTE DIA?

Observe o texto a seguir:

“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” Colossenses 2:16-17

Observe que o Apóstolo não diz: “...que são ordenanças para o futuro. “  Mas: “sombras de coisas futuras”. Ele queria dizer que elas apontavam  acontecimentos proféticos e não que eram leis para o futuro. 
Se crêssemos assim, seríamos obrigados a prática de sacrifícios. Pois as comidas e as bebidas mencionadas no texto, eram a ingestão de animais e licores oferecidos no templo. Ver:   Hebreus 9:9-10. Números 28:7.

Quando cremos que a expressão: “sombra das coisas futuras”, representam acontecimentos proféticos,  ela se encaixa perfeitamente. Um exemplo disso é a Festa da Páscoa; que celebrada todos os anos,  apontava  para um único evento na história. Ver : Números 9:2. 1. Coríntios 5:7. 

Da mesma forma se cumprem as demais Festas.


A NATUREZA DA SOMBRA

1. Não Reflete Bem: Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas, nunca jamais pode tornar perfeitos os ofertantes, com os mesmos sacrifícios que, ano após ano, perpetuamente, eles oferecem. Hebreus 10:1

A sombra não pode representar fielmente o objeto. A imagem projetada pela sombra  não reflete a realidade. Esta é  portanto, a penalidade da projeção: Quem seguí-la - sem compreender a sua fragilidade -  certamente vai errar. E  vai errar feio. 

2. É  FRACA E POBRE:  “Mas agora, conhecendo a Deus ou, antes, sendo conhecidos de Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós que haja eu trabalhado em vão para convosco.” Gálatas 4:9-11


3. SUA OBSERVÂNCIA SE TORNOU UM JUGO:  Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós podemos suportar? Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também.” Atos 15:10-11


4.     NÃO É A VERDADE PRESENTE:

E isso por causa dos falsos irmãos que se tinham entremetido e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão; aos quais, nem ainda por uma hora, cedemos com sujeição, para que a verdade do evangelho permanecesse entre vós”. Gálatas 2:4-5

Ele está dizendo que a verdade   do evangelho só era mantida se os discípulos se negassem  àquelas práticas cerimoniais; tais como: circuncisão,  sacrifícios,  festas, luas novas, sábados anuais e  expiações. Etc.

5.FOI ABOLIDA: tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz... portanto ninguém vos julgue...” Colossenses 2:14,16.

 Pelas razões apresentadas, concluímos que: A observância do  dia  da  expiação foi cancelada. Era uma sombra de uma realidade maior.  Representava um tempo profético.


REPETINDO:  A sombra não pode representar fielmente o objeto. A imagem projetada pela sombra  não reflete a realidade. Esta é  portanto, a penalidade da projeção: Quem seguí-la -  sem compreender a sua limitação - certamente vai errar. E vai errar feio. 


PARA REFLEXÃO:


“Conquanto a morte do Salvador pusesse termo à lei dos tipos e sombras não diminuiu no mínimo a obrigação imposta pela lei moral. Ao contrário, o próprio fato de que foi necessário Cristo morrer a fim de expiar a transgressão daquela lei, prova ser ela imutável”. PP 262.2

Postagens de Destaque