segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Em foto chocante, criança segura cabeça decapitada de sírio

Tenho orado todos os dias e chorado também ao pensar na situação que esta vivendo nossos irmãos de fé, nos países islâmicos, em especial no Iraque nos últimos dias. 

Não sei se há entre eles, algum Adventista do Sétimo Dia, mas o certo é que são nossos irmãos em Cristo, não importa o nome da denominação a que pertençam. São fieis, totalmente entregues a Cristo preferindo morrer crucificados, como Jesus o foi,  a renunciar a fé. 

Cristãos assim devem ser o maior exemplos de fidelidade, pois são diferentes de muitos que estão renunciando a fé cristã, divertimentos passageiros, tipo, uma balada, por uma noitada de motel com a namorada, ou por uma roda de cerveja com os amigos.

Que tipo de cristão você é? Você está pronto a renunciar tudo por amor a Jesus, entregar a própria vida, como esta fazendo nossos irmãos no Iraque, ou você é apenas um fingido, um falso, que frequenta a igreja só por passa tempo?

Leia essa matéria da revista Veja 

Em foto chocante, criança segura cabeça decapitada de sírio

Menino é filho de terrorista australiano que passou a integrar as fileiras do EIIL. Premiê da Austrália diz que imagens são prova de 'atrocidades terríveis'

Menino segura cabeça de soldado sírio decapitado
Menino segura cabeça de soldado sírio decapitado (Reprodução/VEJA)
Na foto, o garoto aparece segurando a cabeça de um soldado sírio decapitado. Na legenda, a frase: “Este é o meu garoto”. A imagem assustadora foi publicada no perfil de Khaled Sharrouf no Twitter. Em outras fotos, o terrorista aparece com os três filhos, todos segurando armas, à frente de uma bandeira do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, o grupo que está desintegrando o território iraquiano e espalhando a barbárie.
O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, disse que as imagens são outro exemplo das “atrocidades horríveis” de que os terroristas são capazes. “Vemos cada vez mais evidências do quão bárbara é essa entidade em particular”, disse à imprensa australiana.
Sharrouf foi condenado na Austrália e alegou ser culpado das acusações de terrorismo. Ele fugiu do país no ano passado para se juntar aos jihadistas na Síria e no Iraque. “O Estado Islâmico – como eles estão chamando a si mesmos agora – não é apenas um grupo terrorista, é um exército terroristas que não está em busca apenas de um enclave terrorista, mas de um estado terrorista, de uma nação terrorista”, disse o premiê a uma rádio australiana.

Leia também:

Vídeo: Chefe jihadista usa relógio caro e condena luxo

Papa chora ao saber sobre cristãos crucificados na Síria

Jihadistas tomam a maior cidade cristã do Iraque

O grupo jihadista está impondo uma selvageria cotidiana em um vasto território entre a Síria e o Iraque, decapitando, crucificando e executando sumariamente os considerados 'infiéis'. A minoria yazidi é um dos principais alvos do EIIL no norte do Iraque – neste domingo, ao menos 500 pessoas foram mortas e muitas foram enterradas vivas, incluindo mulheres e crianças. Em Raqqa, na Síria, o grupo expôs cabeças de várias vítimas em postes no final de julho – quando também teria sido tirada a foto do filho de Sharrouf, segundo o jornal Sydney Morning Herald.

Armas aos curdos – Os Estados Unidos iniciaram na última sexta-feira uma série de ataques aéreos contra os terroristas, e começaram a fornecer armas diretamente às forças curdas para o enfrentamento, segundo a agência Associated Press, que citou fontes da administração Barack Obama.
Um representante do Departamento de Estado limitou-se a dizer que os curdos estão sendo armados “por várias fontes”, sem negar o envolvimento do governo americano. “Há várias discussões ocorrendo entre vários países. Eles estão recebendo algo rapidamente”, disse.
Os Estados Unidos vinham afirmando que o envio de armas era feito somente para o governo iraquiano em Bagdá, mas a situação mudou depois dos ganhos conseguidos pelos jihadistas nas últimas semanas. As forças americanas estão ajudando a enviar armas dos iraquianos aos curdos, fornecendo assistência logística e transporte para o norte.

Combates – No domingo, as forças curdas retomaram duas cidades controladas pelo EIIL, ajudadas pelos ataques aéreos realizados pelos EUA na região. As cidades retomadas foram Gwer e Mahmour, ambas localizadas a poucos quilômetros de Arbil. No entanto, na manhã desta segunda-feira, os terroristas tomaram a cidade de Jalawla, 115 quilômetros a nordeste da capital Bagdá. No domingo, um ataque suicida havia matado dez combatentes curdos no local.

Foto 1 / 33
Ampliar Fotos
Iraquianos que fugiram da violência na província de Nínive, chegar à província de Sulaimaniya
Iraquianos que fugiram da violência na província de Nínive, chegar à província de Sulaimaniya - Reuters
1 de 5

Cristãos

 

Cristãos iraquianos buscam abrigo na igreja de São José, em Arbil, no norte do Iraque depois de fugirem de suas aldeias invadidas por terroristas
O número de cristãos no Iraque caiu de aproximadamente 1,5 milhão em 2003 para algo entre 350.000 e 450.000 atualmente, estimativa que corresponde a menos de 1% dos habitantes do país. A maioria vive na província de Nínive, no norte do país. Além de Qaraqosh – a maior cidade cristã do país, tomada pelos jihadistas em 7 de julho –, outros locais como Bartella, Al Hamdaniya e Tel Kef também abrigam cristãos.
Os cristãos no país são de diversas etnias e denominações, mas a maioria é de católicos assírios ou caldeus – uma das várias igrejas iraquianas com nomes que remontam às origens do cristianismo –, descendentes de povos da Mesopotâmia que falam aramaico.

 

Postagens de Destaque