quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Ervas venenosas



Texto:  II Reis 4:38-41   +   6:24-30

Era uma época de grande fome na terra. Não somos informados qual o motivo da fome; se uma seca, ou praga de gafanhotos, ou qualquer outra calamidade natural.
O certo é que as pessoas andavam desesperadas, procurando alimento por toda parte. Comiam qualquer coisa que lhes acalmasse a fome. Até esterco de pombos era vendido para alimento. Um pouco de esterco era vendido por cinco siclos de prata e a cabeça de um jumento era vendida por 80 peças de prata...

Nesse tempo, o profeta Elizeu fez uma visita ao seminário teológico que fica em Gilgal que também era chamado de Escolas de Profetas.
Na hora do almoço, o profeta ordenou que seu secretário colocasse a panela grande ao fogo e fizesse  um cozinhado para os alunos. (Verso 38)
O texto dá a entender que havia alguma reserva de alimento, provavelmente pouca mais o suficiente para fazer um cozinhado.
Um dos alunos, com medo que aquela comida não fosse suficiente para todos ficar saciados, resolveu ajudar à sua maneira.

“Saiu ao campo a apanhar ervas e achou uma trepadeira silvestre; e, colhendo dela, encheu a sua capa de colocíntidas; voltou e cortou-as em pedaços, pondo-os na panela, visto que não as conheciam”  (verso 39)

Percebe-se pelo texto, que aquele moço foi enganado. Ele achava que aquela era uma planta comestível, mas era colocíntida, erva parecida com a que ele conhecia, porém, altamente toxica,

E quando a sopa foi servida soou o grito: “Homem de Deus, há morte na panela!”...

O profeta Elizeu pediu. Trazei farinha. Trouxeram-lhe,  Ele a pós na panela e o veneno perdeu o efeito. Todos puderam comer sem susto.

Vivemos em dias de fome pior do que a fome de Samaria. Enquanto aquela era fome física, a que vivemos hoje, é fome espiritual. E esta fome às vezes esta dentro da igreja.

Esta história nos ensina várias lições para nossa vida e crescimento espiritual

1.      Pode existir fome dentro da própria igreja.

Se não nos cuidarmos, a corrida pela vida pode nos fazer negligenciar tomar o alimento espiritual e passamos a ter fome da palavra de Deus, com ela na mão.

2.      A morte na panela pode existir dentro de uma igreja sólida e organizada.

a) Onde eles estavam, havia ensino religioso sólidoOu seja, lá estavam os estudantes de teologia, no seminário de Eliseu, na Escola de Profetas. Eles estão diante de um grande professor. Um homem de poder. Um santo homem de Deus. Um homem que jamais negociou seus valores absolutos nem mercadejou seu ministério. .... E é exatamente nesse tempo é que houve o dramático clamor:  “Homem de Deus, há morte na panela!”.

b) Também onde eles estavam, havia comunhão religiosa.
A fome, a pobreza, a crise, longe de quebrar a comunhão dos filhos dos profetas, os estreitou ainda mais. Eles estavam juntos na crise. Entretanto, numa comunidade onde reina comunhão religiosa pode também existir  “morte na panela.”

c) Onde eles estavam, havia liderança forte e organizada,
Ou seja, Eliseu era um profeta de grande destaque em Israel. Era um santo homem de Deus, em quem repousava o Espírito do Senhor. Um homem poderoso em obras e instrumento valioso para a realização de estupendos milagres. Mas mesmo assim, neste contexto, a morte estava na panela...

Ou seja, a morte na panela pode existir dentro de uma igreja sólida e organizada...

3.      A morte na panela é uma realidade dolorosa na vida da igreja.

O texto diz que a fome assolava a região e com certeza muitos estavam desesperados à busca de alimentos....    -   E é exatamente isso que estamos vendo hoje no contexto espiritual. Muitos estão buscando alimento. Os homens estão como ovelhas inquietas, famintas à busca de alimento. Alguns estão buscando pastos verdes, diferentes. E quando encontram novidades, logo as abraçam com sofreguidão.
 Diz o texto: “Um deles foi ao campo apanhar legumes e encontrou uma trepadeira...”

A trepadeira é viçosa, é frondosa, deve dar fruto bom. Da mesma maneira encontramos hoje muita coisa frondosa e viçosa em nosso meio, muitos ensinos que são arrojados, desafiadores, bonitos, impactantes, mas não são bíblicos, são venenosos!
O texto diz que os discípulos dos profetas comeram veneno pensando estar se alimentando de coisa boa. Acharam parecidos. Aliás, o joio é parecido com o trigo. Mas um é veneno, e o outro é alimento.

Vemos nesse fato, duas questões importantes:

4.      Devemos ter cuidado com os que correm ser serem enviados.

O profeta encarregou seu secretário para fazer a comida. Disse: “põe a panela no fogo e faça alguma coisa”. ‘“Procure algo para cozinhar para o povo” enquanto o secretário estava providenciando, “Então saiu um ao campo a apanhar ervas achou uma trepadeira silvestre; e, colhendo dela encheu a sua capa de colocíntidas; voltou e cortou-as em pedaços, pondo-os na panela, mas não as conhecia” 4:39.
Veja que alguém bem intencionada, mas sem autorização, e sem conhecimento do que ia fazer, saiu a apanhar ervas, e a primeira que encontrou, trouxe, e sem consultar ninguém, pôs na panela.
A intenção era das melhores, porém fez tudo errado. Saiu sem ser enviado, não sabia o que estava fazendo, colheu ervas desconhecidas, e pós na panela sem consultar ninguém

O mesmo perigo acontece hoje, com os pregadores que correm ser serem enviados.

O perigo de ser enganado pelas aparências.

Às vezes as coisas não são o que parecem ser. Os erros mais perigosos são aqueles que parecem com a verdade. A meia verdade é mais perigosa que a mentira, pois se torna mais sutil, menos perceptível, por isso mais penetrante.

Normalmente, as seitas que permeiam nossa sociedade e os dissidentes que surgem no meio adventista, tem muito ensino bíblico em sua doutrina, têm muita coisa boa, certa, verdadeira.
Mas nem tudo é verdade, há veneno no meio do alimento, há morte na panela. Há negação e distorção de verdades essenciais do cristianismo.

O todo do Evangelho fica comprometido. A sã doutrina é solapada. A pureza do Evangelho é diluída num caldo mortífero de heresias que grassam no conjunto doutrinários dessas seitas e movimentos dissidentes espúrios.
Por isso você precisa exercer discernimento neste tempo de preparo dos seus alvos, dos seus planos e dos seus projetos espirituais...

Não podemos comer todo alimento que se serve em nome de Deus. Existem muitas pregações fantásticas, ensinos arrebatadores que mexem com as emoções e sacodem com as estruturas da vida humana, usam textos bíblicos forjados para sustentar suas ideologias, mas contaminadas por veneno perigoso.

Aliás, o diabo gosta de citar a Bíblia. Ele citou a Bíblia para Jesus no deserto. Mas o diabo usa a Bíblia contra a Bíblia. Ele usa a Bíblia para tentar. Ele cita a Bíblia fora do contexto, por pretexto. Ele cita a Bíblia pelas metades, torcendo o seu sentido. Assim, nem toda pessoa que anda com a Bíblia, prega a Bíblia é de Deus.
A Bíblia na mão do diabo não é Palavra de Deus, é palavra do diabo, é tentação pura...

Quer alguns  exemplos?

1.      A teologia do domínio.

Muitos pregadores estão hoje levando os crentes a afirmarem:

 O Brasil é do Senhor Jesus. Povo de Deus declare isto. 

Ora, não é através de uma declaração ou de uma frase mágica que nós vamos ver a transformação moral e espiritual do nosso país a não ser pela pregação do Evangelho e testemunho dos cristãos!

A verdade hoje está sendo atacada não apenas nas ruas, mas nos púlpitos, nos livros, nas conferências. Muitos pensam que o crescimento numérico das igrejas é o único referencial da bênção de Deus.   Entretanto esse não pode ser o ponto nevrálgico, porque os Muçulmanos, os budistas e os espíritas crescem também.  Ou seja, nem tudo o que cresce é de Deus.  Em João 6, a Bíblia diz que a multidão ao ouvir um duro discurso de Jesus, o deixou e não mais o seguiu.   -  Portanto, NÃO SE ENGANE PELAS APARENCIAS!!!!

E por falar em aparências não podemos deixar de mencionar a       Confissão positiva de Kenneth Hagin ou seja, a

2.      Teologia da Prosperidade.  

Esta teologia diz que todo crente deve viver endinheirado, morar em mansão, desfilar em carrões, jamais ficar doente e possuir a natureza divina. É uma teologia que gera frustração e decepção.

O apóstolo Pedro disse para o paralítico que jazia à porta do templo: “Não tenho ouro e nem prata...”, ou seja, eram pobres também.   Por outro lado a historia nos mostra que homens santos de Deus foram acometidos de graves enfermidades ou sofreram profundamente como João Calvino, Charles Spurgeon, Billy Grham.

E o que estamos vendo hoje é que muitas pessoas enfrentam uma outra decepção: a de ser declarado curado pelos pregadores em nome de Deus e continuarem convivendo com o drama da enfermidade. Pregadores que prometem as pessoas aquilo que Deus não promete. Dizem em nome de Deus o que Deus não está falando.

E quando as pessoas frustradas e decepcionadas se chocam com a dramática realidade de que não estão curadas, recebem ainda um outro fardo: você não foi curado, porque você está em pecado ou porque você não teve fé.    Portanto, avalie muito bem para onde você haverá de direcionar a sua vida e da sua família nesse novo ano na questão da sua devoção com Deus....


3.      Batalha espiritual

Pessoas estão vendo o demônio em tudo. Não chegam em uma casa sem exorcizarem os demônios que estão dentro de casa, na igreja...     Pessoas que confundem demônio com obras da carne: demônio da avareza, da prostituição, da mentira, da morte...

Crentes que vivem amarrando demônios em vez de pregar a Palavra do Evangelho libertador.    -   Crentes que vivem dando nome de demônios que a Bíblia não revela, por revelação do próprio diabo que é o pai da mentira.  -   Crentes expulsando demônios de crentes nascido de novo.

Pessoas pregando sobre espíritos territoriais (descobrir o demônio controlador da cidade). E a partir daí afirmam que o nome da cidade revela sua história espiritual.    E a gente fica pensado que se de fato fosse assim Vitória e Salvador não teriam problemas espirituais, não é mesmo?

4.      Ofertas bíblicas

 As ofertas são bíblicas, mas há igrejas hoje mercadejando o Evangelho. Comercializam a fé. Arrancam o dinheiro do povo sem escrúpulo.
 Elaboram mecanismos de misticismo pagão como o óleo ungido, a rosa ungida, o lenço ungido, água fluidificada, sal grosso, folha de arruda, água santa de Israel, saquitel de mirra, óleo de alabastro, sabão  abençoado, etc.  fazem de tudo para tirar dinheiro do povo simples e místico... 

-  Aliás o desempenho de muitos pastores e igrejas é medido pela quantidade de dinheiro que se arrecada.
           
Parece que estamos vendo novamente a famigerada doutrina da Idade Média das indulgências, só que agora no meio evangélico. A bênção é comprada. Quando mais dá, mais bênção você vai ter...

5.      Cura Divina

 A cura divina é bíblica, mas o que se prega hoje é que toda doença vem do maligno. Prega-se hoje que o crente não pode ficar doente e que se não for curado é falta de fé ou pecado.  E por conta disso, muitas pessoas deixaram de tomar os remédios por causa de uma promessa segura de cura e depois de perceberem que não estavam curadas ficaram decepcionadas com Deus.

6.      Benção e maldição

 Estão tirando o caminho da santificação para o caminho da quebra de maldição.  Ou seja, qualquer desgraça que venha sobre você tais como: doença, desemprego, um filho que caia nas drogas, etc. é tudo maldição herdada, e você precisa quebrar isso em nome de Jesus...

Entretanto a Bíblia fala de homens santos, piedosos e que tiveram filhos rebeldes e maus:  Josafá, Ezequias...  Como também fala de homens ímpios e maus que tiveram filhos santos e piedosos: Abias, Jotao

O profeta Ezequiel no capitulo 18:20 diz que “Aquele que pecar é que morrerá. O filho não levará a culpa do pai, nem o pai levará a culpa do filho. A justiça do justo lhe será creditada, e a impiedade do ímpio lhe será cobrada”.    II Corintios 5:17 fala que “Se alguém esta em Cristo é nova criação. As coisas antigas já passaram, eis que surgiram coisas novas”.

Portanto meu irmão ao arquitetar sua vida espiritual para este ano não se esqueça de identificar a morte na panela, agora em que ainda é um tempo oportuno!

No meio adventista

Tem surgido no meio adventista muitas “colocíntidas”. Muita erva venenosa, que tem matado espiritualmente muita gente.
São os chamados movimentos reformatórios, que pregam doutrinas esdrúxulas, que negam a divindade de Jesus, e renegam o Espírito Santo,
São contra a Trindade divina, e/ou rejeitam a organização da igreja da profecia, e criam novas igrejas e movimentos, fora da profecia, e da orientação divina que deixou bem claro que no final do tempo, “Deus só teria uma igreja que estaria no mundo reparando a brecha da Santa Lei”, e que essa igreja é a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a original, a igreja que foi fundada como resultado do cumprimento da profecia de Daniel, e que surgiu em 1844.
Entre os falsos movimentos, surgidos do adventismo, que são ervas bonitas, e até parecem alimentar bem, mas estão eivados de veneno, eu conheço vários.

1.      Reformistas históricos

Igrejas chamadas de “Movimento de Reforma”, tradicionais, eu conheço oito. Todas dizem ter a pura mensagem do advento. E todas condenam a Igreja Adventista.

Quais são?

·         Igreja Adventista do Sétimo Dia -  Movimento de Reforma, 1914.
                        Editora Missionária “A Verdade Presente

·         .Igreja Adventista do Sétimo Dia - Movimento de Reforma, 1951
            Editora Missionária “Luz Para os Nossos Dias”

As duas tem o mesmo nome. Uma surgiu da outra, depois de uma briga lá, entre eles, mas conservaram o mesmo nome. E, claro, cada uma é mais santa e certa que a outra.

·         Igreja Adventista da Promessa

·         Igreja Adventista - ‘“Última voz de Misericórdia”

·         Igreja Adventista – “ O Remanescente”

·         Igreja Adventista da Completa Reforma.

·         Igreja Adventista da Completa Reforma


Também são duas com o mesmo nome.
Com a morte do Senhor José Gomes de Menezes, fundador da Completa Reforma, dois filhos dele, brigaram pela liderança da igreja, como não chegaram a um acordo, fizeram um racha na igreja e cada um ficou com um pedaço, porém mantém o mesmo nome. Quem não desconfia, acha que é uma igreja só, porém são duas igrejas. Ele tem dois presidentes. E cada presidente ensina que sua igreja é mais certa e santa que a do outro.

·         Igreja Adventista Último Remanescente de Israel

2.      Dissidentes

Quantos aos movimentos dissidentes modernos são vários. Cada um prega uma coisa diferente, e se considera mais santo que o outro.

·         Há os que são contra o judaísmo, e os que são praticamente judeus em sua forma de pensar e prática de vida.
·         Há os que são contra a Trindade, mas batizam invocando o nome da mesma,
·         Há os que também negam a trindade e só batizam em nome de Jesus.
·         Outros afirmam que o Espírito Santo é o anjo Gabriel.
·         Alguns atualmente estão pregando que O Espírito Santo é Satanás. Por este motivo eles não adoram o Espírito Santo, pois quem o adora, está adorando satanás. Dizem
·         Há outro grupo que ensina que pronunciar o nome Jesus é pecado, tem que falar yuoshua
·         Outros ensinam que para ser salvo os homens tem que cobrir a cabeço com o kipar, espécie de boina, também usada pelos cardeais.

Todas essas  doutrinas estapafúrdias, dizem eles, ser encontradas na Bíblia. Mas são enganos. Não passam de “colocíntidas” ou, ervas venenosas, trazidas por quem não as conhece e nem foram enviados.

            Todos esses condenam a igreja adventista.

Dizem que a igreja adventista é apostatada, por que prega as doutrinas dos reformadores do século XVI, entre elas, a doutrina da Trindade, que, segundo eles, é doutrina da igreja católica e das igrejas evangélicas tradicionais.

 A MORTE NA PANELA É CURADA.

v. 40: “Então Eliseu pediu um pouco de farinha, colocou no caldeirão e disse: Sirvam a todos.  E já não havia mais perigo no caldeirão”.

A morte é afastada quando colocamos na Panela a genuína Palavra de Deus. Prega a Palavra, só a Palavra. Toda a Palavra.
Os cristãos hoje não querem doutrina - só querem experiência. Estão jogando suas confissões  de fé no caixote de lixo.

Irmãos, somos filhos da Reforma: SOLA SCRIPTURA.
Nós, os Adventistas do Sétimo Dia, temos como regra de fé e prática a Bíblia.
Como fonte de consulta, temos os livros de Ellen White, não como segunda Bíblia, mas como luz menor que nos guia à luz maior, a palavra de Deus.
Portanto, não precisamos sair por aí, à procura de doutrinas estranhas, de novidades, pois, por muito bonitas que parecem, são ervas desconhecidas, são colocíntidas venenosas.  Podem matar.


Título original - Morte na panela

Postagens de Destaque