segunda-feira, 30 de setembro de 2013

SEPARAÇÃO PROFETIZADA – EM 1914 OU NA LEI DOMINICAL?




Autor: Pr. Vilmur C. Medeiros (ex-reformista)



Com o objetivo único de ajudar aos irmãos reformistas, preparamos este breve capítulo por julgarmos muito oportuno. Pouco lugar reservamos para comentários nossos, porque reputamos os textos do Espírito de Profecia suficientes para esclarecerem a questão.
Como outros grupos separados, o "movimento de reforma" tem procurado "comprovação profética" para a sua existência, o que na realidade não existe. Esse movimento não tem, profeticamente, razão de ser. Surgiu apenas pela vontade de homens como Dorscheler, Spanknöbel, e outros cujos traços biográficos desmentiram serem eles guiados por Deus.

Vejamos alguns trechos do Espírito de Profecia utilizados torcidamente com a pretensão de que esse movimento tenha surgido como cumprimento deles (desses trechos):

"Quando a religião de Cristo for mais desprezada, quando Sua lei mais desprezada for, então deve nosso zelo ser mais ardoroso e nosso ânimo e firmeza mais inabaláveis. Permanecer em defesa da verdade e justiça quando a maioria nos abandona, ferir as batalhas do Senhor quando são poucos os campeões - essa será nossa prova. Naquele tempo devemos tirar calor da frieza dos outros, coragem de sua covardia, e lealdade de sua traição." – 2TS:31.
Esta é uma das passagem citadas freqüentemente nos panfletos em que se lê "só para ASD".
Eis a continuação do texto:
"A nação ficará do lado do grande líder rebelde.
"A prova virá por certo. Trinta e seis anos atrás foi-me mostrado que o que agora se desenrola haveria de suceder, QUE SERIA IMPOSTA AO POVO A OBSERVÂNCIA DE UMA INSTITUIÇÃO DO PAPADO POR MEIO DE UMA LEI DOMINICAL, enquanto se pisaria a pés o santificado dia de repouso de Jeová. O Capitão de nossa salvação fortalecerá o Seu povo para o conflito no qual terão de se empenhar." – 2TS: 31,32.
Não está claro que a irmã White está falando referência ao tempo quando virá o decreto dominical, a prova final para o povo de Deus? Por que ainda usam injustamente esse testemunho, totalmente deslocado de seu contexto? Unicamente pelo desejo de forjar profecia para o movimento separatista!
O conselho de Deus a respeito é:
"Tendes tirado também de sua conexão porções dos testemunhos que o Senhor tem dado para benefício de Seu povo, e as aplicastes mal para sustentar vossas teorias errôneas - tomando emprestada ou roubando a luz do Céu para ensinar aquilo com que os testemunhos não se harmonizam, e que sempre têm condenado. Colocais assim tanto a Escritura como o testemunho no mesmo encaixe de erro." – 2ME: 83.

Outro texto mal aplicado:
"Ao aproximar-se a tempestade, uma classe numerosa que tem professado fé na mensagem do terceiro anjo, mas não tem sido santificada pela obediência à verdade, abandona sua posição, passando para as fileiras do adversário. ..."– GC:608.
Nossas reticências são motivadas pelo seguinte: Qual o membro de qualquer dos movimentos de reforma que não conhece de memória o restante desse texto? Ele tem sido indevidamente tomado como base em que fundamenta a "reforma".
Aqui o movimento espúrio vê uma verdadeira "maravilha profética" para o seu surgimento. Filosofa, refilosofa e toma a filosofar e refilosofar sobre este mesmo ponto para "provar" que o acontecimento nele descrito teve cumprimento no decantado ano de 1914. Não é assim mesmo? Quem ousa afirmar o contrário? No entanto, que ilusão!
Não vamos nos demorar para analisar esta passagem. Apenas faremos oportuna referência ao contexto, o que achamos suficiente para o leitor sincero se convencer da verdadeira aplicação desta profecia, a saber:
"A igreja apelará para o braço forte do poder civil, e nesta obra unir-se-ão romanistas e protestantes. Ao tornar-se o movimento em prol da IMPOSIÇÃO DO DOMINGO mais audaz e decidido, invocar-se-á a lei contra os observadores dos mandamentos. ...
"Como os defensores da verdade se recusem a honrar o DESCANSO DOMINICAL, alguns deles serão lançados na prisão, exilados, e outros tratados como escravos." – CG:607-608.
Conclamamos o leitor a abrir agora mesmo o livro O Grande Conflito, e ler, atentamente, na página 607 os dois parágrafos que antecedem o famoso "Ao aproximar-se a tempestade ..." Se o leitor assim proceder, entenderá claramente que até agora tem sido vítima de uma ardilosa montagem. Entenderá, consequentemente, que o contexto indica claramente não haver absolutamente nenhuma relação com a famosa data 1914! ...
Ninguém seja tão incauto a ponto de ainda continuar sendo iludido com o falso conceito de que o "Aproximar-se" aqui seja um longo período de 80 ou 100 anos antes da promulgação da lei dominical. Esta é uma afirmação muito ruminada premeditadamente falsa. A irmã White refere-se nesta passagem a uma aproximação imediata. Esta é a verdade, quer queiramos ou não.

Alguns pensamentos importantes devemos notar neste testemunho:
a) A separação será por ocasião do decreto dominical;
b) Os que saem da igreja adventista são os apóstatas.
c) Os fiéis permanecem; e
d) Esta classe numerosa, portanto, ainda não se desligou da igreja adventista do sétimo dia.

A um indivíduo insolente que ensinava que com a sacudidura sairiam da igreja, os mais puros e santos, a irmã White disse:
"Tomais passagens dos Testemunhos que falam do fim do tempo da graça, da sacudidura do povo de Deus, e falais da saída dentre esse povo de um outro povo mais puro, santo, que surgirá. Ora, TUDO ISSO AGRADA AO INIMIGO." – 1ME:179.
Logo, a verdadeira sacudidura entre o povo de Deus só deverá vir no fim do tempo da graça. De maneira nenhuma poderia ter ocorrido em 1914. Os que hão de sair da igreja não serão os mais puros ou os mais santos. Isto está em oposição direta ao que o "movimento de reforma" ensina.

Eis mais um texto torcido:
"Não está longe o tempo quando virá a prova a cada alma. A observância do falso sábado será imposta sobre todos. A controvérsia será entre os mandamentos de Deus e os mandamentos dos homens. Os que passo a passo têm-se rendido às exigências mundanas e se conformado a mundanos costumes, então render-se-ão aos poderes existentes, em vez de se sujeitarem ao escárnio, ao insulto, às ameaças de prisão e morte. NESSE TEMPO O OURO SERÁ SEPARADO DA ESCÓRIA." – PR. 188.
Esta é uma citação paralela à de GC:608, 2TS:31; EV:361, etc. Nestas passagens a profetisa da igreja adventista menciona o problema, do decreto dominical, apenas usando palavras diferentes.

São estes os pensamentos que emanam do texto:
a) Ao sobrevir o decreto dominical, os adventistas (individualmente) que não se prepararam devidamente, não resistirão a prova;
b) Deixarão a igreja adventista e sairão como escória;
c) Isto prova que o ouro e a escória estarão juntos até o decreto;
d) Não é o ouro que será tirado da escória conforme o pretensioso opúsculo "ACONSELHO-TE" quer insinuar mas sim a escória ou a palha, que é a mesma coisa, que sai do ouro; se não leiamos:
"Por esse tempo o ouro será separado da escória ... A palha, como nuvem, será levada pelo vento ..." – SC: 49.
Não creiamos, irmãos nessa estória de duas separações – uma antes e outra na lei dominical. E que os fiéis adventistas vão deixar a Igreja para se unir aos "Santos na luz" (TM:234).
O autor de "Aconselho-te" deveria usar sua paráfrase por contraste: "Desaconselho-te", porque em realidade, a companhia dos santos na luz não é nenhum movimento transviado como esse surgido em 1914, fracionado desde o seu início, e cada vez mais desintegrado em épocas sucessivas (195l, 1978, etc.).

Assim em rápidas considerações, podemos perceber quão amplo é o território de areia movediça do "movimento de reforma", e quão frágil o seu alicerce, plantado bem no epicentro dos abalos sísmicos que com freqüência ocorrem nesse mesmo perigoso território.

O "movimento de reforma" (tanto da facção Lavrikista, como da Kozelista) tem montado toda sua heresia com passagens mal aplicadas. Entretanto o Espírito de Profecia condena essa criminosa prática: 

"Muitos estudam as Escrituras a fim de provar que suas próprias idéias estão certas. Mudam o sentido da palavra de Deus para se acomodar a suas próprias opiniões. E o mesmo fazem com os testemunhos por Ele enviados. CITAM MEIA SENTENÇA, DEIXANDO A OUTRA METADE QUE, SE FOSSE CITADA, MOSTRARIA A FALSIDADE DE SEU RACIOCÍNIO." (Mensageira da Igreja Remanescente, p. 194).
"Alguns há que apanham da Palavra de Deus e também dos Testemunhos parágrafos ou sentenças destacados que podem ser interpretados de maneira a se ajustarem a suas idéias, e nelas se detêm, e apoiam-se em suas próprias posições, quando Deus não os está dirigindo. Aí está o vosso perigo." – 1ME:179.

Convidamos os leitores sinceros a meditarem ainda no seguinte:
"Sempre haverá movimentos falsos e fanáticos feitos na igreja por pessoas que pretendem ser dirigidas por Deus – pessoas que correrão antes de ser enviadas, E DARÃO DIA E DATA PARA O CUMPRIMENTO DA PROFECIA NÃO CUMPRIDA. O INIMIGO SE AGRADA DE QUE ASSIM PROCEDAM, POIS SEUS SUCESSIVOS FRACASSOS E DIREÇÃO EM SENTIDO FALSO, CAUSAM CONFUSÃO E INCREDULIDADE." – 2ME:84.

Concluindo, eis a última passagem sobre o tempo da verdadeira sacudidura entre o povo de Deus:
"Nações serão agitadas até ao centro. Retirar-se-á o apoio aos que proclamam a única norma de justiça divina, o único seguro teste do caráter. E todos quantos não se curvarem ao decreto dos concílios nacionais e obedecerem às leis nacionais para exaltar o sábado instituído pelo homem do pecado, para menosprezar o santo dia de Deus, sentirão, não somente o poder opressivo do papado, mas do mundo protestante, a imagem da besta.
"Satanás operará seus milagres para enganar; estabelecerá seu poder como supremo. A IGREJA TALVEZ PAREÇA COMO PRESTES A CAIR, MAS NÃO CAIRÁ. ELA PERMANECE, ao passo que os pecadores de Sião serão lançados fora no joeiramento – a palha separada do trigo precioso. É esse um transe terrível, não obstante importa que tenha lugar." – 2ME:380. 

Este maravilhoso texto estabelece que:
A) A Igreja Adventista do Sétimo Dia não caiu e não cairá. Ela permanecerá até o fim, como igreja de Deus (Ver também: 2TS:363; 3TS:439, 440);
B) Os pecadores ou os que não foram santificados pela obediência à verdade serão lançados fora;
C) Quando? Em 1914? Não! No joeiramento, sacudidura ou decreto dominical; e
D) A palha é que será levada. Não o trigo. (SC:49).
Irmãos reformistas. Por que ainda ficar assim separados da igreja remanescente de Deus? Por que não desfrutar como nós outros o prazer santo que advém da plena certeza e consciência de estar na igreja verdadeira?

·        VENHAM NOS AJUDAR A TERMINAR A OBRA DE DEUS NA TERRA!
DEUS QUER QUE ESTEJAMOS UNIDOS

Postagens de Destaque