sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

A tragédia da apostasia (III)

Resultado de imagem para imagens de apostasia


A tragédia da apostasia (III)

por Eric Davis

11. Nós temos aprendido que excessiva tristeza e correr atrás dos apóstatas pode desonrar Cristo

Ir atrás e chorar pelos apóstatas é necessário. Mas, exagere, e nós corremos o risco de glorificá-los. Se nós rastejamos atrás e mimamos apóstatas, comunicamos que o seria um privilégio para Cristo ter eles. Ao fazer isso, nós podemos tornar Deus parecido com um filhote desafortunado que pode ou não ser escolhido no abrigo.
Mas a Escritura ensina outra coisa. “Eu sou grande Rei, diz o Senhor dos Exércitos” (Ml 1.14). Nosso Senhor é o grande EU SOU. Sua supremacia satura toda a criação. Ele é radicalmente glorioso e bom. Assim, o privilégio de seguir Cristo é todo nosso. Nós não devemos comunicar outra coisa aos apóstatas.

12. Nós temos sido lembrados de que a apostasia é um pecado desprezível

A Escritura fala da apostasia com algumas das palavras mais duras. Por exemplo, “eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério” (Hb 6.6) e “aquele que pisar o Filho de Deus” (Hb 10.29).
Eles têm repetidamente ouvido sobre a majestade de Cristo. O banquete de seu amor tem sido servido diante deles na Escritura. A glória de Cristo na redenção tem sido proclamada continuamente para eles, mas eles simplesmente vão embora como se Cristo fosse uma montanha-russa com defeito.
O ato de apostasia proclama que Jesus mereceu ser crucificado. Sua vida, morte e ressurreição não são dignos do tempo do apóstata. Por isso, eles o expõe ao vitupério. A palavra grega traduzida como “vitupério” em Hebreus 6.6 significa “levar alguém a sofrer desgraça pública; descreditar abertamente alguém”.Por tudo isso, a apostasia é um ato horrível.
Nós simplesmente não temos o direito de apostatar porque seres humanos não têm o direito de dizer “Não” ao Senhor Jesus Cristo. Era impensável em tempos antigos, por exemplo, um escravo dizer “não” a seu senhor. Quanto mais ao Senhor dos senhores!
Outros comentaram sobre isso:
D.A. Carson: “Deixar de crer vem da falha moral de reconhecer a verdade, não a partir da evidência, mas de negligência voluntária ou distorção da evidência.”
John Stott: “Incredulidade não é um infortúnio a ser lamentado; é um pecado a ser deplorado”.”
John Owen: “Pois nenhum pecado do qual os homens podem ser culpados neste mundo é de natureza tão horrível e de aspecto tão medonho quanto é essa incredulidade, onde uma visão clara dele é obtida à luz do evangelho”.”
João Calvino: “Desistir, após ter começado bem, é mais vergonhoso que nunca ter começado”.”
Resultado de imagem para imagens de apostasia

13. Nós temos sido lembrados de que Deus será glorificado no castigo eterno mais severo dos apóstatas impenitentes

Por enquanto, a apostasia parece ter vencido. Deus parece estar sendo derrotado pelos deuses pagãos por esse ato. Mas, os apóstatas enfrentarão um castigo mais severo no inferno por causa de sua exposição e difamação de Cristo (Hb 10.29). Alguns dos tormentos mais duros do inferno parecem ser reservados a eles. O castigo é tão terrível porque o Deus que eles profanaram é tão maravilhoso.  Por esse motivo, seria melhor morrer que apostatar.
E nós não nos alegramos nisso. Entretanto, certamente nos alegremos por a glória de Deus ser confirmada. Isso acontecerá no juízo, quando a perfeita justiça de Deus administrar sua retribuição (Ap 20.11-15). Naquele dia, o povo glorificado de Deus o adorará por fazer isso.
Entretanto, como Octavius Winslow escreveu, os apóstatas gritarão por toda a eternidade: “Deus é santo; eu era pecado; eu rejeitei Sua salvação, voltei minhas costas para Seu evangelho, eu desprezei Seu Filho, eu odiei o próprio Deus, eu vivi em meus pecados, eu amei meus pecados, eu morri em meus pecados, e agora estou perdido por toda a eternidade! E Deus é justo em minha condenação!”.”
Outras lições devem ser aprendidas com a tragédia da apostasia. Algumas incluem: aprender a confiar em Deus, orar, continuar a afirmar sua bondade e a importância total da reunião do corpo de Cristo.
Traduzido por Josaías Jr | Reforma21.org | Original aqui
Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Postagens de Destaque