quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Menos doces e mais memória

Fonte - http://veja.abril.com.br/blog/viver-bem/

Thinkstock
Thinkstock
Um estudo publicado recentemente na revista Neurology relaciona níveis altos de glicose sanguínea com a redução da memória. O estudo contou com a participação de 141 indivíduos; os níveis de glicemia sanguínea e hemoglobina glicada (média dos valores de glicemia de aproximadamente três meses) foram avaliados, assim como a capacidade de memória. Os indivíduos que apresentaram menores valores de glicemia e de hemoglobina glicada, mostraram melhores scores de habilidade de aprendizado e memória.
Alguns alimentos têm alta carga glicêmica, e podem aumentar rapidamente a glicemia sanguínea. Mesmo que o indivíduo não apresente diabetes ou que tenha intolerância à glicose, de acordo com esse estudo se a glicemia subir muito, a memória poderá ser afetada.
Esse estudo mostra a importância de uma maior vigilância por parte dos pais, nos princípios de educação nutricional. Considerando que as crianças aprendem por imitação, os adultos não devem exagerar nos doces e açúcares. Dessa forma as crianças certamente terão uma melhor capacidade cognitiva, atenção, foco e melhor rendimento escolar. O mesmo ocorre com os adolescentes que estão se preparando para as provas de vestibular e para adultos com melhor rendimento no trabalho e nas atividades intelectuais.
O importante também é incluir alimentos ricos em fibras (verduras, legumes, cereais integrais) na alimentação rotineira, considerando que lentificam a absorção dos açúcares, favorecendo um bom controle glicêmico
Apresentamos algumas estratégias para ajudar a reduzir a glicose sanguínea e contribuir para a prevenção de diabetes e ainda melhorar a memória:
O que é melhor evitar Melhores escolhas
Alimentos refinados e a versão branca de (pão, arroz, massas) Alimentos integrais como pães, massas, arroz.
Doces como sobremesas, e guloseimas (balas, pirulitos) De preferência frutas frescas ou doces sem açúcar (consumo moderado)
Bolachas doces e biscoitos recheados Bolachas e cookies integrais, de preferência sem açúcar
Sucos de caixinha com açúcar, refrigerantes Sucos naturais diluídos ou água de coco
Salgadinhos de pacote ou fritos Aperitivos à base de vegetais ( cenoura palito, pepino, tomate) com pasta de grão de bico (hommus) por exemplo, salgados ao forno
Combinar dois ou mais carboidratos na mesma refeição – Ex: pão, arroz, purê de batatas Escolher um carboidrato por refeição: pão, arroz, purê de batatas etc.
Refeições sem verduras e legumes Verduras e legumes nas refeições principais
É importante lembrar que o acompanhamento nutricional individualizado deverá ser considerado para avaliar individualmente o plano alimentar.

Postagens de Destaque