terça-feira, 12 de novembro de 2013

"Pensai nas Coisas lá do Alto"

Ellen White

Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da Terra. Col. 3:2.

Quando o povo de Deus tirar os olhos das coisas deste mundo e os puser no Céu e em coisas celestiais, será um povo peculiar, porque verá a misericórdia e bondade e compaixão que Deus mostrou aos filhos dos homens. Seu amor atrairá deles uma resposta, e na vida mostrarão aos que os rodeiam que o Espírito de Deus os controla, que estão pondo suas afeições nas coisas de cima e não nas da Terra.
Ao pensar no Céu, podemos levar nossa imaginação à expansão máxima, e cultivar os mais elevados pensamentos de que somos capazes, e nossa mente se tornará cansada no esforço de compreender a largura e profundidade e altura do assunto. A nossa mente é impossível apreender os grandes temas da eternidade. É-nos mesmo impossível fazer um esforço para compreender essas coisas sem que o esforço afete para bem todo o nosso caráter, e tenha uma influência edificante sobre nosso espírito. Quando pensamos em como Cristo veio ao nosso mundo para morrer pelo homem caído, compreendemos alguma coisa do preço que foi pago por nossa redenção, e reconhecemos que não há verdadeira bondade nem grandeza à parte de Deus.
Unicamente à luz que brilha do Calvário, podemos saber a que profundezas de pecado e degradação o gênero humano caiu. Unicamente pelo comprimento da corrente baixada do Céu para nos alçar, podemos saber as profundezas às quais havíamos caído. E é unicamente mantendo em vista as invisíveis realidades que podemos compreender algo do maravilhoso tema da redenção. Manuscrito 17, 1888.
Estamos quase no lar; em breve ouviremos a voz do Salvador, mais melodiosa do que qualquer música, dizendo: Vossa peregrinação está terminada. Entrai no gozo de vosso Senhor. Benditas, benditas boas-vindas! Quero ouvi-las de Seus lábios imortais. Quero louvá-Lo; quero honrar Aquele que está assentado sobre o trono. Quero que minha voz ecoe e recoe através dos palácios do Céu. Estareis vós lá? ... Deus nos ajude, enchendo-nos de toda a plenitude e poder, e assim poderemos fruir as alegrias do mundo por vir. Manuscrito 8, 1888.

Maranata, O Senhor Vem - MM 1977 Pag 320

Postagens de Destaque