sexta-feira, 13 de março de 2015

O BATISMO COM O ESPÍRITO ( parte 1 )

O  BATISMO  COM  O  ESPÍRITO

Há muitos anos, quando eu estava freqüentando urna pequena escola bíblica na Flórida, fui a uma "reunião de avivamento ao ar livre". O discursante era um pregador de avivamento sulista à antiga, e o espaço ao Seu redor estava totalmente tomado por umas 200 pessoas. O pregador complementava com trovões o que lhe faltava em lógica, o que agradava muito ao povo.
– Vocês foram batizadas com o Espírito Santo? – ele perguntou aos ouvintes durante o sermão.
Aparentemente ele conhecia diversas pessoas ali, porque apontou para um homem e perguntou:
– Irmão, você foi batizado com o Espírito Santo? – E o homem respondeu:
– Sim, graças a Deus!
– Meu jovem – ele disse, apontando o dedo para mim, – você foi batizado com o Espírito Santo?
– Sim, Senhor – eu respondi.
– Quando você foi batizado com o Espírito Santo? – ele continuou. Ele não tinha perguntado isto aos outros.
– No momento em que recebi a Jesus Cristo como meu Salvador – eu respondi. Ele olhou para mim com uma expressão surpresa, mas antes de passar para outra pessoa, ele disse:
– Isto não pode ser.
Mas podia! E era.
Não duvido da sinceridade deste pregador. No entanto, durante os anos, estudando a Bíblia, cheguei à conclusão que só há um batismo com o Espírito Santo durante a vida de cada crente, e que ocorre no momento da conversão. Este batismo com o Espírito Santo começou no dia de Pentecostes, e todos que conhecem a Jesus Cristo como Salvador experimentaram isto, foram batizados com o Espírito no momento em que foram regenerados. Além do mais, podem ser enchidos com o Espírito Santo; se não são, precisem ser.
A maneira com que as Escrituras usam a palavra batismo mostra que ele é algo inicial, tanto no uso do batismo com água como com o Espírito, e que não se repete. Não achei nenhum versículo bíblico que indicasse uma repetição do batismo com o Espírito.
"Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um só corpo" (I Cor. 12:13). O original grego deixa claro nesta passagem que este batismo do Espírito Santo é uma ação completa, no passado.
Duas coisas se destacam neste versículo: primeiro, que o batismo com o Espírito é uma ação coletiva do Espírito de Deus; segundo, que inclui todos os crentes.
O Dr. W. Graham Scroggie disse urna vez em Keswick: "Observem com cuidado a quem o apóstolo está escrevendo e de quem ele está falando." Ele usa a palavra "todos" – "Paulo não está escrevendo aos fiéis tessalonicenses, nem aos generosos filipenses, nem aos espirituais efésios, mas aos coríntios, carnais (1 Cor. 3:1)". Scroggie continua. A indicação clara é que o batismo com o Espírito está ligado a como estamos diante de Deus, não a nossa situação espiritual momentânea; a nossa posição, e não a nossa experiência.
Isto se torna ainda mais claro se examinarmos as experiências dos israelitas descritas em 1 Coríntios 10:1-5. A palavra todos aparece cinco vezes nestes versículos. "Todos sob a nuvem", "todos passaram pelo mar", "todos foram batizados", "todos comeram" e "todos beberam". Foi depois que todas estas coisas aconteceram com todas as pessoas que surgiram as diferenças: "Entretanto, Deus não se agradou da maioria deles" (1 Cor. 10:5).
Em outras Palavras, todos faziam parte do povo de Deus. Mas isto não significa que todos levaram uma vida de acorda com o chamado de Deus para serem um povo santo. De modo semelhante todos os crentes foram batizados com o Espírito Santo. Só que isto não quer dizer que estão cheios ou controlados pelo Espírito. O que importa é a grande verdade central – quando eu venho a Cristo, Deus me dá o Seu Espírito


 Diferenças que nos Dividem

Eu sei que o batismo com o Espírito Santo foi entendido de maneiras diferentes por alguns dos meus irmãos crentes. Não devemos evitar definir diferenças de opinião específicas. Mas também devemos tentar entender uns aos outros, estar dispostos a aprender uns dos outros enquanto procuramos saber o que a Bíblia ensina. As diferenças de opinião sobre este assunto do semelhantes às diferenças de opinião sobre o batismo com água ou o governo da igreja. Alguns batizam crianças; outros não. Alguns aspergem ou derramam; outros só imergem. Alguns têm uma forma de governo congregacional; outros têm uma democracia presbiteriana ou representativa; ainda outros têm uma forma de governo episcopal. De maneira nenhuma estas diferenças deveriam nos dividir. Eu me sinto maravilhosamente unido, especialmente na área da evangelização, com cristãos de outros pontos de vista.
Por outro lado, acho eu, a questão do batismo com o Espírito Santo é muitas vezes mais importante que estes outros assuntos, especialmente quando a doutrina sobre o batismo com o Espírito Santo é distorcida. Alguns cristãos, por exemplo, defendem que o batismo com o Espírito Santo só vem algum tempo depois da conversão. Outros dizem que este batismo posterior com o Espírito é indispensável para que a pessoa possa ser realmente usada por Deus. Ainda outros acham que o batismo com o Espírito Santo sempre vem acompanhada com o sinal externo de um dom especial, e se este sinal não se evidenciar a pessoa não foi batizada com o Espírito.
Tenho de admitir que houve ocasiões em que eu estava realmente disposto a crer neste ensino. Eu também queria ter uma "experiência". Mas eu quero que todas as experiências tenham base bíblica. E me parece que a verdade bíblica é que nós somos batizados no corpo de Cristo pelo Espírito na hora da conversão. Este é o único batismo com o Espírito Santo. Neste exato momento nós podemos e deveríamos ser enchidos pelo Espírito, e mais tarde mais cheios ainda, até a borda. Diz-se às vezes: "Batismo, uma vez; cheio, muitas." Eu não vejo na Escritura que este estar cheio do Espírito Santo é um segundo batismo, nem que falar em1ínguas é indispensável para ser cheio do Espírito.
Às vezes estas diferenças de opinião nada mais são que diferenças de expressão. Como veremos no próximo capítulo, o que algumas pessoas chamam de batismo do Espírito pode ser na verdade o que a Escritura chama de ser cheio do Espírito, o que pode acontecer muitas vezes em nossa vida, depois da conversão.
Casualmente há só sete passagens no Novo Testamento que falam diretamente do batismo com o Espírito. Cinco destas passagens se referem ao batismo com o Espírito como acometimento futuro; quatro são palavras de João Batista (Mat. 3:11, Mar. 1:7,8; Luc. 3:16 e João 1:33) e uma é de Jesus, depois da Sua ressurreição (Atos 1 :4,5). Uma sexta passagem recapitula os acontecimentos e experiências do dia de Pentecostes (Atos 11:15-17), mostrando que são cumprimento das promessas de João Batista e Jesus. Somente uma passagem – 1 Cor. 12:13 – fala da experiência mais ampla de todos os crentes.
Em meu ministério já conheci muitos cristãos que agonizavam, trabalhavam, lutavam e oravam para "receber o Espírito". Eu costumava perguntar-me se eu estava errado em pensar que já que fui batizado pelo Espírito no corpo de Cristo no dia da minha conversão, não precisava de outro batismo. Mas quanto mais estudava as Escrituras, mais ficava convicto de que estava certo. Acompanhe comigo o que Deus fez na Semana da paixão de Cristo e cinqüenta dias depois em Pentecostes, para ver que nós não precisamos procurar o que Deus já deu a cada crente.


Postagens de Destaque