terça-feira, 3 de novembro de 2015

Como tratar com os maus boatos,


Resultado de imagem para imagens de amor


Como tratar com os maus boatos, 12 de Outubro

Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão. Mateus 18:15.


 “Acima de tudo, porém”, escreve o apóstolo, “tende amor intenso uns para com os outros.” 1 Pedro 4:8. Não deis ouvido a relatos contra um irmão ou irmã. Sede muito cautelosos quanto a como recebeis um relato contra vosso próximo. Perguntai ao que apresenta a acusação se ele obedeceu à Palavra de Deus acerca da questão. Cristo deixou orientações explícitas quanto ao que deve ser feito. Ide a vosso irmão e, entre ele e vós tão-somente, dizei-lhe a falta. Não vos negueis disso, dizendo: Não há ofensa pessoal entre mim e o acusado. As regras dadas por Cristo são tão definidas, tão explícitas, que essa desculpa não é válida. Quer a ofensa seja, quer não seja entre vós e a pessoa acusada, a ordem de Cristo é a mesma. Vosso irmão carece de auxílio. Dizei-lhe a ele, e não a qualquer outra pessoa, que circulam boatos a seu respeito. Dai-lhe oportunidade para explicar-se. É possível que os rumores sejam falsos, e que as dificuldades possam ser ajustadas mediante alguma explicação bem simples. Este trato é devido a toda pessoa que se suponha estar em erro. Diz Paulo: “Se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão, olhando para ti mesmo, para que não sejas também tentado.” Gálatas 6:1. ... Estas palavras são a ordem do Céu, e devem ser introduzidas na prática diária. Se alguém estiver em falta, em vez de isso dizer a algum outro, ide àquele que julgais estar em erro, e terna e respeitosamente, como desejaríeis ser tratados se estivésseis em seu lugar, falai-lhe de seu erro. Se não for avisado de sua falta, mas em vez disso se levantarem suspeitas entre outros, e nenhum esforço se fizer para salvar o que está errado, abrindo-lhe os olhos quanto ao perigo em que está, como considerará então Deus os que fazem essa obra cruel? Deus declara: “Não há um justo, nem um sequer.” Romanos 3:10. Todos têm a mesma natureza pecaminosa. Todos são suscetíveis de cometer erros. Ninguém é perfeito. O Senhor Jesus morreu pelos que erram, a fim de que fossem perdoados. Não é nossa obra condenar. Cristo não veio para condenar, mas para salvar. — Manuscrito 31, 1911

Ellen White
Nos Lugares Celestiais 604

Postagens de Destaque