quarta-feira, 18 de março de 2015

A LUTA INTERIOR DO CRISTÃO


Resultado de imagem para imagens a luta interior do cristão

A  LUTA  INTERIOR  DO  CRISTÃO

Billy Graham 

Um pescador esquimó vinha cada sábado à tarde à cidade. Sempre trazia consigo seus dois cachorros, um branco e um preto. Ele os tinha ensinado a lutar quando ele ordenasse. Cada sábado, na praça da cidade, o povo Se ajuntava e o pescador fazia apostas, enquanto os dois cachorros brigavam. Às vezes ganhava o cachorro branco, às vezes o preto – mas o pescador sempre ganhava as apostas! Seus amigos começaram a perguntar-lhe como ele fazia isto. Ele disse:
– Eu deixo um passar fome durante a semana, e só dou comida para o que eu quero que ganhe. O cachorro que está bem alimentado ganha porque está mais forte.

Uma Natureza ou Duas?

Esta história dos dois cachorros é muito apropriada para nos ensinar algo sobre a luta que se desenvolve no interior da pessoa que nasceu de novo.
Nós ternos dentro de nós duas naturezas, que lutam para ter o domínio. Qual delas vai vencer? Depende de qual nós alimentamos. Se nós alimentamos nossa vida espiritual e damos permissão ao Espírito de nos revestir com poder, Ele nos dirigirá. Se nós matamos nossa natureza espiritual de fome e em Seu lugar alimentamos a natureza velha, pecaminosa, a carne dominará.
Cada cristão pode se identificar com o apóstolo Paulo, quando ele diz: "Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e, sim, o que detesto. ... Então encontro a lei de que a mal reside em mim ... mas vejo nos meus membros outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros" (Rom. 7:15, 21, 23).
De tempo em tempo algum crente jovem me diz: "Desde que me tornei cristão tenho tido lutas internas como nunca antes! Eu não sabia que era um pecador tão grande. E antigamente eu não tinha tanta vontade de pecar. Eu pensei que Deus me tinha salvo dos meus pecados!"
De certa forma nós devemos ser gratos por esta situação, por estranho que isto possa parecer. Porque isto é uma prova de que o Espírito Santo entrou em nossa vida e está trazendo luz às trevas do pecado, está fazendo nossa consciência ficar sensível ao pecado, está despertando em nós um desejo novo de ser puros e livres de pecado diante de Deus. Os velhos pecados estavam lá também antes. As velhas tentações tinham a mesma força antes também, mas não nos pareciam tão más. Agora o Espírito Santo entrou em nossa vida. Somos uma pessoa nova, regenerada por este mesmo Espírito. E agora tudo tem outra aparência.

A Luta Interna

Agora você sabe do problema principal na vida do cristão, a luta contra o pecado. No Novo Testamento o apóstolo Paulo diz que todos os cristãos estão envolvidos em uma intensa batalha espiritual: "Porque a nossa luta não é contra a carne e o sangue (seres humanos, BLH), e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes" (Efés. 6:12). Forças espirituais externas estão agindo neste mundo, tentando nos manter longe de Deus e da Sua vontade. Mas nós não precisamos culpar Satanás por tudo que não dá certo ou por cada pecado que cometemos. Muitas vezes a nossa própria natureza pecaminosa está agindo dentro de nós. "Porque a carne milita contra o Espírito, e a Espírito contra a carne, porque são opostos entre Si; para que não façais o que porventura Seja do vosso querer" (Gál. 5:17).
Isto não está acontecendo somente ao nosso redor, mas esta batalha está dentro de nós. Este é o tema de Romanas 7, principalmente de 7 a 25. Leia, por exemplo, Romanos 7:7 e 8 (em uma boa tradução moderna). Deixe-me fazer uma paráfrase do que Paulo está dizendo:
Antes de ouvir falar da lei de Deus e das boas novas da salvação, eu não sabia que cobiça era pecado. Mas então eu ouvi o décimo mandamento, "não cobice": a lei de Deus me mostrou este pecado em meu coração, e de repente eu me tornei consciente de quanta cobiça havia em mim, quanta maldade em minha vida. Compreendi quão grande pecador eu era, condenado à morte – mas por Cristo! Como cristão comecei a combater estes maus desejos dentro de mim. E que luta! Tentei parar de cobiçar e invejar, mas não consegui.
Tenho certeza que você também já se sentiu muitas vezes como Paulo. Talvez o seu pecado sejam desejos sexuais errados, orgulho, glutonaria, preguiça ou raiva ou qualquer outro "pecado que tenazmente nos assedia" (Heb. 12:1). A luta interna é a mesma. Às vezes você chega à mesma conclusão que Paulo em Romanos 7:22-24, que eu citei acima.
Mas não pare aqui! Observe a última frase de Paulo (v. 25) e Rom. 8:2 (na carta original de Paulo não havia divisões de capítulos!): "Graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor! ... Porque a lei do Espírito da vida em Cristo Jesus te livrou da lei do pecado e da morte." Um grande santo disse há muitos anos: "O pecado não reina mais, mas ainda luta!"
Horatius Bonar foi um teólogo brilhante, um grande santo, um pastor cheio de bondade. Morreu com a idade de 33 anos, mas não sem que antes um grande avivamento irrompesse em sua igreja na Escócia. Seus Sermões e livros têm abençoado o povo de Deus durante os últimos 150 anos. Honestamente ele fala por todos nós quando diz: "Enquanto a conversão acalma um tipo de tempestade, ela faz surgir outra, que durará a vida toda."1
Durante séculos os teólogos já tentaram explicar esta luta. Alguns usaram das palavras de Paulo, falando de "duas naturezas" do cristão – o "velho homem" e o "novo homem". Estes termos achamos em Efésios 4:22-24, onde Paulo diz: "No sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano,...e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade" (grifo meu).
Na nota de rodapé a esta passagem a Nova Bíblia Scofield de Referências observa: "O 'novo homem' é o regenerada, distinto do velho homem ... é novo porque se tornou participante da natureza e da vida divinas ... não é o velho homem melhorado, em nenhum sentido."2 Scofield continua, na nota de rodapé a Romanos 7:15: "O apóstolo personifica a luta entre as duas naturezas dentro do crente: a velha natureza adâmica, e a natureza divina recebida através do novo nascimento."3
Como podemos entender e visualizar o que está acontecendo dentro de nós? Acho que a melhor descrição está em Romanos 8:1-13. Tentarei fazer uma paráfrase do que Paulo está dizendo neste trecho, e na primeira pessoa – porque se aplica a mim:
Eu nasci em pecado. Durante anos o pecado me controlou e eu não o sabia. Eu estava literalmente "morto em delitos e pecados" (Efés. 2:1). E então eu ouvi a Palavra de Deus, a lei e o Evangelho. Vi meus pecados pela primeira vez, e senti que estava condenado. Aceitei a Cristo. Agora a lei de Deus fala a mim cada dia, através da Palavra de Deus. Tornei-me consciente de pecados que eu não sabia que tinha. Às vezes eu me desespero (como Paulo em Romanos 7:24: "miserável homem que sou!"), mas, louvado seja o Senhor, eu sei agora que ninguém pode apresentar qualquer acusação contra mim porque eu estou em Cristo (Rom. 8:1). Cristo me libertou da lei do pecado e da morte (Rom. 8:2). Eu ainda sou a mesma pessoa – com a velha personalidade e natureza pecaminosas, hábitos nefastos que ficaram fortes nos tantos anos em que ainda não era creme. Mas agora o Espírito Santo entrou em minha vida. Ele me mostra meu pecado. Ele até condena o pecado em mim (Rom. 8:3). E com Seu poder Ele me ajuda a cumprir as exigências da lei de Deus (Rom. 8:4).
Se eu continuar pensando em minha vida anterior com seus pecados, eu voltarei a ela. O velho "eu" continuará pecando. Mas se eu me concentrar em Cristo e tentar ouvir e obedecer o Espírito Santo (Rom. 8:5), o Espírito Santo me dará vida e paz (Rom. 8:6). Quem é cristão tem o Espírito Santo (Rom. 8:9). Seu espírito foi vivificado (Rom. 8:10). O Espírito Santo dá vida ao Seu corpo, afastando-o da morte que o pecado causa (Rom. 8:11) e trazendo vida plena em Cristo

Billy Graham 
A  LUTA  INTERIOR  DO  CRISTÃO Pags 1-5 

Postagens de Destaque